Portal EcoDebate: Índice da edição nº 1.595, de 21/05/2012

  Uma horta em cada escola é fundamental, artigo de Efraim Rodrigues Rio+20 - Quando Acabar, artigo de Ana Paula de Carvalho Dilma se reúne com ministros no Alvorada para se posicionar sobre Código Florestal Veta Tudo Dilma: Em Defesa do Código Florestal. Por Luiz Zarref SBPC e ABC encaminham documento criticando o texto do novo Código Florestal Manifestação em São Paulo pede veto ao texto do novo Código Florestal Código

Uma horta em cada escola é fundamental, artigo de Efraim Rodrigues

  [EcoDebate] Muitos devem ter lido o título pensando que estou atrás de uma escolinha para meu filho com hortinha, composteira e espantalho, um sonho idílico medieval, viver do que a terra nos dá etc. Nada disso. Falta às crianças a capacidade subjetiva para compreender o mundo, mas poderão fazê-lo por uma metáfora com algo concreto. Nada mais familiar que comida. Para chegar à comida, são necessárias várias etapas, todas envolvendo trabalho. Aprenderão

Rio+20 – Quando Acabar, artigo de Ana Paula de Carvalho

  [EcoDebate] De nada adianta o direito de igualdade se não temos uma justiça que garanta este princípio, além de que nada adiantam as leis se criamos instrumentos para burlá-las, assim como nem tudo que é legal, é moral. Neste sentido não adiante discutirmos, estabelecermos agendas, definirmos metas se não as seguimos e criamos artifícios para fazer o que queremos. O Brasil tem tudo para viver ás custas de energia renovável,

Dilma se reúne com ministros no Alvorada para se posicionar sobre Código Florestal

  Os possíveis vetos ao novo texto do Código Florestal foi tema de reunião que presidenta Dilma Rousseff teve até por volta das 19h30 deste sábado (19) com vários ministros, no Palácio da Alvorada. Ao longo da semana, Dilma e a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, já haviam se reunido três vezes para tratar do tema. A presidenta Dilma tem até o dia 25 deste mês para sancionar ou vetar –

Veta Tudo Dilma: Em Defesa do Código Florestal. Por Luiz Zarref

  O projeto que altera o Código Florestal brasileiro, votado nesta semana na Câmara dos Deputados, representa a pauta máxima ruralista. A bancada apoiadora do agronegócio e defensora daqueles que cometeram crimes ambientais mostrou sua coesão e conseguiu aprovar um texto de forma entrelaçada, comprometendo todo o projeto. O texto está de tal forma que se a presidenta Dilma Rousseff vetar partes dele, continua a mesma coisa. Exemplo: se vetar a distância

SBPC e ABC encaminham documento criticando o texto do novo Código Florestal

  A Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) e a Academia Brasileira de Ciências (ABC) entregaram, no dia 17/5, uma carta à presidente Dilma Rousseff criticando o texto do novo Código Florestal aprovado na Câmara dos Deputados. O documento é assinado pela presidente da SBPC, Helena Nader, presidente da ABC, Jacob Palis e pelo coordenador do Grupo de Trabalho sobre o Código Florestal e secretário da SBPC, José Antônio

Manifestação em São Paulo pede veto ao texto do novo Código Florestal

  Usando camisas verdes, levando faixas e cartazes, um grupo de manifestantes reunidos por organizações ambientalistas pediu ontem (20) que a presidenta Dilma Rousseff vete o texto do novo Código Florestal. O grupo reuniu-se em frente ao Parque Ibirapuera, na capital paulista, e seguiu em passeata por dentro do parque. O texto que altera a legislação ambiental foi aprovado pela Câmara dos Deputados no mês passado e a presidenta Dilma Rousseff tem

Código Florestal permite redução de áreas nativas. Entrevista com Ricardo Machado

  “Não há mais espaço no mundo para esse tipo de visão, que estimula o desenvolvimento sem salvaguardas ambientais”, aponta o biólogo. Confira a entrevista. A plantação de cana-de-açúcar para a produção de etanol está modificando a geografia e as terras do cerrado brasileiro, porque os investidores “buscam áreas já desmatadas, com solo corrigido e pronto para o plantio”. A expansão da monocultura, segundo Machado, força, indiretamente, o deslocamento do gado para outras

Relatório ‘Povos Resilientes, Planeta Resiliente’: ONU faz 56 recomendações para avanços concretos na Rio+20

  Versão em português do relatório “Povos Resilientes, Planeta Resiliente” é apresentada no Rio de Janeiro. Ministra do Meio Ambiente ressalta a necessidade de ousadia nos debates e nas ações. Novos modelos de governança, baseados em desenvolvimento social, fortalecimento econômico e sustentabilidade ambiental, devem nascer a partir da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20) – e ir além. Este é o foco principal das 56 recomendações do relatório “Povos Resilientes,

Rio+20: crônica de uma morte anunciada? Artigo de Roberto Guimarães

  [O Globo] O livro de Gabriel García Márquez retrata fielmente os preparativos para a Conferência da ONU sobre Desenvolvimento Sustentável a ser realizada em junho no Rio de Janeiro. Conspiram para o fracasso diversas características que a tornam singular, em especial o seu desenho, processo preparatório e resultados esperados. Em nítido contraste com a Rio-92, a Rio+20 não foi concebida como uma Reunião de Cúpula, mas apenas como uma "conferência de

Recomendações que a sociedade civil apresentar durante a Rio+20 não serão acolhidas no documento final da conferência

  Sociedade civil fica fora do documento final da Rio+20 - As recomendações que a sociedade civil apresentar durante a Rio+20 não serão acolhidas no documento final da conferência. “A ideia não é influenciar o documento, mas alimentar o debate do pós-Rio+20”, disse ontem o negociador-chefe da delegação brasileira para a Rio+20, embaixador André Corrêa do Lago. O documento final da conferência passará por uma nova rodada de negociações a partir da

PF fecha lixão a céu aberto no município de Tanguá, no Rio de Janeiro

  Agentes da Coordenadoria Integrada de Combate aos Crimes Ambientais (Cicca) da Policia Federal (PF), do Exército e de órgãos estaduais ligados ao meio ambiente fecharam na última sexta-feira (18) um lixão que funcionava no município de Tanguá, região da Baixadas Litorâneas do Rio. A operação faz parte do Programa Lixão Zero da Secretaria de Estado do Ambiente, cuja meta é acabar com todos os lixões a céu aberto no Rio

Top