Portal EcoDebate: Índice da edição nº 1.401, de 10/08/2011

A redistribuição da economia internacional e os novos desafios ambientais, artigo de José Eustáquio Diniz Alves O Brasil medido em campos de futebol, artigo de Telma Monteiro No Brasil dos latifundiários, plantar árvores dá cadeia, artigo de Mauricio Santos Matos Economia do Meio Ambiente: um salto importante para o debate. Resenha do livro 'Economia do Meio Ambiente: Teoria e Prática', por Ricardo M. Casetta 'Salada' de remédios, artigo de Américo

A redistribuição da economia internacional e os novos desafios ambientais, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

[EcoDebate] Os países ricos e desenvolvidos estão passando por uma enorme crise econômica, desde 2007. Após a desaceleração de 2008 e a grande recessão de 2009, esperava-se que houvesse recuperação nos anos seguintes. Mas o curto fôlego só aconteceu em 2010. Tudo indica que as economias americana e da área do Euro podem cair na recessão novamente, caracterizando a situação de “duplo mergulho”. Na melhor das hipóteses os países desenvolvidos

O Brasil medido em campos de futebol, artigo de Telma Monteiro

"A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou na tarde desta terça-feira (5 abril de 2011) a desapropriação de 3,5 mil hectares de terras particulares – um hectare equivale a aproximadamente um campo de futebol – para a construção da hidrelétrica de Belo Monte, no Rio Xingu, no Pará. A diretoria da agência declarou as terras como de “utilidade pública”. Fonte: G1 [EcoDebate] O Brasil não pode continuar a ser um

No Brasil dos latifundiários, plantar árvores dá cadeia, artigo de Mauricio Santos Matos

[EcoDebate] A cada ano que passa, com a chegada de uma nova idade, temos a impressão de que não vamos nos surpreender com mais nada. Mas a sociedade capitalista é pródiga em nos oferecer surpresas. Desagradáveis, na maioria das vezes. Plantar árvores, no Brasil, virou crime. Nos últimos oito anos e meio o país tem vivido situações complexas, contraditórias e até mesmo, bizarras. Em 2002, com a posse de Lula,

Economia do Meio Ambiente: um salto importante para o debate. Resenha do livro ‘Economia do Meio Ambiente: Teoria e Prática’, por Ricardo M. Casetta

[EcoDebate] O livro “Economia do Meio Ambiente: Teoria e Prática” organizado pelo economista Peter May é mais do que um ponto de partida para entender as principais questões relacionadas ao tema título do livro. Ele traz (em suas 370 páginas divididas em 16 capítulos) discussões bastante interessantes sobre as limitações da economia tradicional, os custos incorridos pelas sociedades ao utilizar modelos insuficientes e premissas irrealistas e as possíveis saídas para

‘Salada’ de remédios, artigo de Américo Canhoto

[EcoDebate] A espantosa capacidade de adaptação do nosso organismo está com os dias contados; tamanha a proporção do envenenamento a que estamos submetidos no dia a dia. Água e ar envenenados e poluídos; alimentos envenenados por agrotóxicos e aditivos químicos usados na industrialização; envenenamento por produtos que são usados na lavagem de utensílios, roupas (a pele tem espantosa capacidade de absorção); produtos de higiene pessoal (as mulheres estão em pior

Audiência Pública na PGR: Avaliação dos impactos do plano de expansão de energia ainda é insuficiente

Esse foi o argumento defendido na abertura de audiência pública na PGR “A nossa intenção não é, em momento algum, substituir as consultas que deverão, necessariamente, ocorrer junto à sociedade civil. Esse é apenas mais um espaço de discussão”. Foi o que afirmou a coordenadora da 6ª Câmara de Coordenação e Revisão do Ministério Público Federal, subprocuradora-geral da República Deborah Duprat, na abertura da audiência pública sobre o Plano Decenal de

MPF ajuíza ação para proteger bacias hidrográficas brasileiras do impacto na geração de energia elétrica

Segundo a ação, o modo como vem sendo avaliado o impacto para geração de energia elétrica em cursos d'água é parcial e não reflete os riscos ambientais Preocupado com problemas na metodologia adotada para avaliação de impactos ambientais e socioeconômicos na geração de energia elétrica em rios brasileiros, o Ministério Público Federal no Distrito Federal (MPF/DF) propôs uma ação civil pública contra o Ministério de Minas e Energia (MME), a Empresa

Tempestades nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Campinas irão se tornar mais freqüentes

Extremos do Clima - Análise dos dados dos últimos 60 anos da ocorrência de tempestades nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Campinas mostram que as tempestades irão se tornar mais freqüentes, devido ao aumento da temperatura superficial das águas do oceano Atlântico no hemisfério sul em decorrência do aquecimento global. Neste período, o oceano Atlântico teve um aquecimento médio da ordem de 0,6 graus, simultaneamente ao aquecimento global

Alimentação dos brasileiros se caracteriza pelo alto consumo de alimentos ricos em gorduras

Dieta dos brasileiros, especialmente dos adolescentes, se caracteriza pelo alto consumo de alimentos ricos em gorduras; consumo máximo recomendado pela OMS é de 300 mg ao dia. Hábitos de vida saudável, esse é o lema para quem deseja ter qualidade de vida. O aparecimento precoce de doenças crônicas tem deixado a população em alerta. No Dia Nacional de Combate ao Colesterol, comemorado hoje (8), o

Especialistas alertam sobre nível alto de colesterol em crianças e adolescentes

O colesterol alto na infância e adolescência está relacionado, na maioria dos casos, à má alimentação e ao sedentarismo. Pode ser provocado por uma doença genética ou histórico familiar, como pais e avós que tenham tido infarto ou derrame. O estudo mais recente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) sobre a dieta alimentar do brasileiro mostra que os adolescentes de 14 a 18 anos de idade são os que

SP: MP pede liminar para impedir destinação de 25% dos leitos hospitalares para planos de saúde

A Promotoria de Justiça de Direitos Humanos – área da saúde pública, da Capital, ajuizou, nesta terça-feira (9), ação civil pública contra o Estado de São Paulo para impedir a entrega de 25% dos leitos de hospitais públicos estaduais, gerenciados por organizações sociais, para particulares e planos de saúde. A possibilidade de que estabelecimentos públicos de saúde reservem até 25% de sua capacidade operacional para atender pacientes usuários do sistema privado

Top