Portal EcoDebate: Índice da edição nº 1.244, de 22/12/2010

Natal: ver com os olhos do coração, artigo de Leonardo Boff Valorização de Serviços Ambientais das matas para a agricultura: Exemplo do café em Machadinho d´Oeste, RO Pesquisa do Incra mostra que assentados têm dificuldade de acesso a crédito e serviços de saúde Plantas medicinais geram renda para agricultores familiares CNPq viabiliza o repatriamento de dados históricos da Flora Brasileira Centro de Trabalho Indigenista: Informe sobre a Saúde na Terra Indígena Vale do Javari Nota do

Natal: ver com os olhos do coração, artigo de Leonardo Boff

[EcoDebate] Somos obrigados a viver num mundo onde a mercadoria é o objeto mais explícito do desejo de crianças e de adultos. A mercadoria tem que ter brilho e magia, senão ninguém a compra. Ela fala mais para os olhos cobiçosos do que para o coração amoroso. É dentro desta dinâmica que se inscreve a figura do Papai Noel. Ele é a elaboração comercial de São Nicolau – Santa Claus

Valorização de Serviços Ambientais das matas para a agricultura: Exemplo do café em Machadinho d´Oeste, RO

João A. Mangabeira 1 Ademar Ribeiro Romeiro 2 Sérgio Gomes Tôsto 3 Célia Regina Grego4 [EcoDebate] Que o verde das matas e florestas traz benefícios para a biodiversidade e o equilíbrio ambiental do planeta todo mundo já sabe. Mais do que isso, a sociedade cobra a manutenção dessa condição, especialmente do setor produtivo. Mas será que a mata é um fator limitante para a produtividade da agricultura? Até que ponto a mata pode ser

Pesquisa do Incra mostra que assentados têm dificuldade de acesso a crédito e serviços de saúde

Pesquisa do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) identificou o perfil e o nível de satisfação das famílias assentadas no país. A maioria dos entrevistados reclama do acesso a hospitais e postos de saúde (56%) e da má qualidade das estradas vicinais de acesso aos assentamentos (57%). E quase metade (48%) respondeu que não teve acesso aos financiamentos do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). “Precisamos investir

Plantas medicinais geram renda para agricultores familiares

foto: Arquivo SAF Há cinco anos, a produção de plantas medicinais tornou-se a principal fonte de renda da família da agricultora familiar Roseli Eurich, 49 anos. Na propriedade de 21 hectares, localizada em Arvoredo, há oito quilômetros de Turvo, no Paraná, Roseli, seu marido Sidney e seu filho  Max Gustavo  cultivam alcachofra, melissa, alecrim, capim limão, orégano e tomilho. No primeiro ano de atividade, a família

CNPq viabiliza o repatriamento de dados históricos da Flora Brasileira

O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico instituiu e apoia um conjunto de ações visando repatriar imagens e informações textuais de exsicatas da flora brasileira obtidas de coletas feitas por missões estrangeiras no Brasil desde o período colonial, a partir do século XVIII. Estas ações se materializaram a partir do momento em que duas importantes instituições - Royal Botanical Garden de Kew e Muséum National d´Histoire Naturalle de Paris

Centro de Trabalho Indigenista: Informe sobre a Saúde na Terra Indígena Vale do Javari

Em junho de 2004 o Centro de Trabalho Indigenista – CTI, diante da grave situação de saúde dos indígenas da Terra Indígena Vale do Javari, lança o dossiê “A grave Situação das Hepatites B e D no Vale do Javari”, denunciando que pelo menos há 13 anos os casos de hepatites virais na região vinham causando várias mortes. Informa que, somente no período de junho de 2001 a junho

Nota do Cimi/Regional Maranhão: ‘Muita terra para pouco índio’: o velho discurso continua!

A revista Veja, em matéria publicada no último dia 7 sobre a demarcação da terra indígena Governador (Amarante/MA), consolida [através da palavra escrita], o preconceito e graves inverdades sobre a realidade do povo indígena Pukobyê-Gavião. Mais uma vez, esse veículo de comunicação cumpre o seu papel de defender os interesses políticos e econômicos de uma classe que sempre explorou e continua explorando os recursos naturais dos territórios indígenas. Lamentavelmente, a

Nota do Movimento Xingu Vivo para Sempre: Belo Monte, cronograma do PAC é um despautério

No 11º Balanço do PAC (parte 4), divulgado em 09 de dezembro e disponível no link http://www.brasil.gov.br/pac/relatorios/nacionais/11o-balanco-4-anos/parte-4/view, o governo afirma que, em relação à hidrelétrica de Belo Monte, a concessão da licença para instalações específicas da usina está prevista para ocorrer até esta quarta, 22; e que ano que vem devem se iniciar as obras das instalações específicas até 15 de janeiro O balanço do PAC vem sendo considerado por vários

Direito de Resposta à matéria ‘Empresa Ypióca segue retirando água em área indígena’

Esclarecimento Em relação à matéria publicada no blog da Funai no dia 30 de novembro de 2010, a Ypióca esclarece que: * A empresa Pecém Agroindustrial Ltda, pertencente ao Grupo Ypióca, se encontra implantada no município de Aquiraz há mais de 25 anos, praticando o cultivo da cana-de-açúcar com técnicas modernas de adubação orgânica e fertirrigação, respeitando o equilíbrio do meio ambiente. Inclusive, o Grupo Ypióca criou na região, em 1995, a

Conhecimento sobre anticoncepção de emergência entre jovens ainda é pequeno

A pesquisa, publicada em um periódico, apontou que 96% dos consultados já tinham ouvido falar sobre anticoncepção de emergência, apenas 19% sabiam para quais situações ele é indicado, 35% deles consideravam o método abortivo e 81% achavam que traz riscos à saúde. Os resultados também indicaram que menos da metade dos estudantes (40,7%) sabiam que a anticoncepção de emergência deveria ser usada até 72 horas do intercurso sexual desprotegido e

Duas operações libertam 20 trabalhadores escravizados em Santa Catarina

Em Xanxerê (SC), grupo móvel libertou 15 pessoas em situação de trabalho escravo contemporâneo na colheita de erva-mate. Em Urubici (SC), outras cinco que colhiam maçã estavam submetidas a condições de escravidão Ações do grupo móvel de fiscalização do governo federal e da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego de Santa Catarina (SRTE/SC) libertaram 20 trabalhadores de condições análogas à escravidão na Região Sul. As vítimas trabalhavam na colheita de erva

Top