Portal EcoDebate: Índice da edição nº 1.179, de 14/09/2010

Entre o vestir e o calçar, onde está Deus? artigo de Frei Gilvander Luís Moreira Engenharia, Meio Ambiente e Desenvolvimento, artigo de Aroldo Cangussu Ambiente por Inteiro: Mapa do Tesouro, artigo de Efraim Rodrigues Projeto de Vida - Ainda não tem o seu? artigo de Américo Canhoto Geotecnica brasileira vive a 'ditadura da solução', artigo de Álvaro Rodrigues dos Santos Gestão da água na cidade e na bacia hidrográfica: Águas urbanas, artigo de Carlos E.

Entre o vestir e o calçar, onde está Deus? artigo de Frei Gilvander Luís Moreira

Frei Gilvander Luís Moreira Pistas para uma pedagogia de luta por transformação socioambiental, inspirada nos trabalhadores que militam nos mundos da produção de calçado e de vestuário. (Artigo publicado no livro O VESTIR E O CALÇAR – perspectivas da relação saúde e trabalho, José Reginaldo Inácio e Celso Amorim Salim (org.), Ed. Crisálida, Belo Horizonte, 2010, pp. 439-459.) Gilvander Luís Moreira[1] Resumo O artigo “Entre o vestir e o calçar, onde está Deus?”, a

Engenharia, Meio Ambiente e Desenvolvimento, artigo de Aroldo Cangussu

[EcoDebate] Com a elevação do PIB brasileiro beirando aos 7% no último ano, a reativação da economia e a explosão das obras de infraestrutura e industriais, apareceu um fenômeno que eu mesmo já havia previsto aqui há dois anos atrás: a falta de engenheiros no país. Está acontecendo um verdadeiro apagão de profissionais da engenharia para acompanhar o ritmo de crescimento do país. Matéria do jornal Hoje em Dia, do

Ambiente por Inteiro: Mapa do Tesouro, artigo de Efraim Rodrigues

[EcoDebate] Todos somos inimigos das embalagens, ou deveríamos ser. Embalagens são a melhor representação do consumismo porque voce não a veste, não a bebe e não a usa e por isso todos impactos ambientais associados a ela são vistos como desnecessários. Como todo ambientalista merecedor do título, ando com sacolas no carro, carrego pequenas compras na mão e até levo laranjas em minhas viagens para depois trazer as cascas de volta para

Projeto de Vida – Ainda não tem o seu? artigo de Américo Canhoto

Dr. Américo Canhoto [EcoDebate] Esta conversa é dirigida a pessoas antigas, muito antigas que, neste momento, até possam ser crianças ou jovens, de todas as idades e de todas as épocas. Parte de nós tem um esquecido; daí, não cumprimos as metas e o cronograma do nosso projeto de vida – a intenção, é despertar para a necessidade de acessarmos esse projeto; afinal faltam apenas em torno de oitocentos céleres dias,

Geotecnica brasileira vive a ‘ditadura da solução’, artigo de Álvaro Rodrigues dos Santos

"A formulação de um problema é, muitas vezes, mais importante que sua solução, a qual vai depender simplesmente de uma habilidade matemática ou experimental. Fazer novas perguntas e considerar novas possibilidades para enfocar velhos problemas através de um novo ângulo, isso sim exige imaginação criadora e indica o verdadeiro progresso da ciência". Einstein [EcoDebate] Como muitas áreas da engenharia nacional, a Geotecnia (Engenharia Geotécnica e Geologia de Engenharia) está sendo surpreendida

Gestão da água na cidade e na bacia hidrográfica: Águas urbanas, artigo de Carlos E. M. Tucci

RESUMO As águas urbanas geralmente incluem abastecimento de água e saneamento. Nessa perspectiva, saneamento envolve a coleta de tratamento de efluentes domésticos e industriais, não inclui drenagem urbana, gestão dos resíduos sólidos, porque ainda perdura uma visão desatualizada da gestão das águas urbanas da cidade. Águas urbanas envolvem componentes que permitem o desenvolvimento ambiental sustentável e utilizam os conceitos da gestão integrada dos

‘Canavial Brasil’: Minas e Energia defende multiplicar por 15 a área cultivada para produção de etanol

O secretário de Petróleo e Gás do Ministério de Minas Energia (MME), Marco Antônio Almeida, defendeu ontem (13) a expansão da produção de etanol no país. Segundo ele, as terras cultivadas deveriam passar de 0,5% do território nacional para 7,5%. “O Brasil produz etanol com qualidade de forma sustentável. Hoje, temos o potencial de produzir 16 vezes mais na área, passando de 0,5% para 7,5% do território cultivado”, afirmou ele ao

Com as tecnologias atuais o mundo não conseguirá evitar o aquecimento de 2ºC até 2050

Carbono sem fim – As tecnologias atuais de geração de energia não são suficientes para reduzir as emissões de carbono aos níveis considerados necessários para evitar os riscos ao planeta promovidos pelo aquecimento global. A afirmação é de um artigo publicado por cientistas dos Estados Unidos e do Canadá na edição desta sexta-feira (10/9) da revista Science. Estima-se que, para evitar os riscos das mudanças climáticas globais, seria preciso evitar que

Estudo da Esalq conclui que óxido nitroso não prejudica sustentabilidade do etanol

Com até 110 quilos de nitrogênio por hectare de plantação, a ureia e o nitrato de amônio apresentam emissão semelhante de óxido nitroso Uma pesquisa da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq) da USP confrontou a produção do etanol com a produção de gasolina, para saber se a primeira é, de fato, menos prejudicial para o planeta do que a segunda. A partir da análise do solo onde é

Estudos avaliam impacto da publicidade no consumo de alimentos e medicamentos

O uso irracional e abusivo de medicamentos, influenciado pela publicidade, tem feito com que esses produtos sejam o principal agente de intoxicação humana registrado no SUS Mundial de futebol, na África do Sul. Em todo o mundo, a estimativa é de que 33 bilhões de pessoas tenham assistido aos jogos via televisão. Além do hino nacional, a escalação dos jogadores, os gols e a torcida, os telespectadores assistiram também a

Desindustrialização e crescimento sustentável, artigo de Roberto Nicolsky

"Exportamos cinco toneladas de soja ou quatro de minério de ferro pelo preço de um laptop, cuja produção gerou muito mais empregos e renda" Apesar de a economia brasileira ter crescido, entre 2006 e 2008, a uma taxa média de cerca de 5% ao ano, em 2009 amargamos uma queda no PIB, ainda que pequena. Neste ano devemos recuperar no PIB o buraco da crise, mas as nossas contas externas já

Top