O suicídio dos espanhóis, artigo de Roberto Malvezzi (Gogó)

  Gisela Bajo e sua filha, menor de idade, esperam pelo despejo. Foto de M. Torres, no El País, 15/11/2012.   [EcoDebate] No ano de 2010 estive na Catalunha com grupos solidários que apóiam a Prelazia de São Félix do Araguaia. Era um pedido do bispo Pedro Casaldáliga. A temática era a Agenda Latinoamericana daquele ano, questão das mudanças climáticas, a defesa da mãe Terra. Um dos lugares que estive foi a Universidade de

Evolução (do sistema econômico e social planetário) e não apenas exaustão, artigo de Washington Novaes

    [O Estado de S.Paulo] Por mais que se queira não se consegue fugir ao tema que o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, chamou durante a conferência Rio+20, em junho, de "exaustão do sistema econômico e social planetário" - 868 milhões de pessoas que passam fome todos os dias, 1,3 bilhão vivendo abaixo da linha da pobreza, população total de 7 bilhões avançado para 9 bilhões até meados do século, recursos

Crise na Europa: de recortadores e recortados, artigo de Esther Vivas

  Espanha: Proprietários de lojas tiveram que fechar as portas devido à crise (foto: Daniel Torrejon/Creative Commons)   [EcoDebate] Nos recortaram acima de nossas possibilidades. E ainda podem nos recortar mais. De fato, nos recortarão até deixar-nos em roupas íntimas ou nus. A avareza não tem limites. Assim é o capitalismo: buscar benefícios sem cessar. Assim tem demonstrado o governo do PP e, em seu momento, o governo do Psoe. O dogma neoliberal,

Crise cria ‘geração perdida’ em países ricos

  Grupo protesta por mais empregos para os jovens em frente ao parlamento de Londres O grande problema deles foi ter nascido no ano errado. Ou na geração errada. São jovens na faixa dos 20 aos 30 anos. Estudaram muito mais do que os seus pais. Viajaram e aprenderam diferentes idiomas. Estão habituados às novas tecnologias de comunicação e cresceram em períodos de relativa bonança, sem ter a criatividade e a liberdade

Não devemos, não pagamos, artigo de Esther Vivas

    [EcoDebate] "A dívida: paga-se ou paga-se”. Ela foi gravada em nós a ferro e fogo; é como uma dessas máximas que, ao ser repetida inúmeras vezes, se converte em verdade absoluta. Porém, isso é correto? E se a dívida hipoteca nosso futuro? E se a dívida não foi contraída por nós? Então, por que pagá-la? Anteontem o Ministro da Fazenda (da Espanha), Cristóbal Montoro, apresentava o projeto de Lei dos Orçamentos

As religiões diante das crises globais, artigo de Washington Novaes

    [O Estado de S.Paulo] Não há mais dia em que não estejam na comunicação notícias, análises, debates sobre as várias crises em que estamos mergulhados - da água, das mudanças climáticas, da desertificação, da perda da biodiversidade, do consumo excessivo no mundo, já além da capacidade de reposição do planeta -, agravadas pela perspectiva de que mais 2 bilhões de pessoas venham somar-se aos 7 bilhões de atuais viventes, 1

Rio+20: Negociadores chegam a documento final, mas indicam brechas para mudanças

  Depois de mais de 14 horas de negociações, o ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, anunciou às 2h30 de hoje (19) a conclusão do texto da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20. Ele sinalizou que foi refeito o último rascunho, finalizado no sábado (16), incluindo ajustes de “último minuto”. Também indicou que haverá nova plenária nesta terça-feira, às 10h30, que ainda pode modificar o documento. A delegação do

Rio+20: Thomas Lovejoy teme que crise econômica mundial tire o foco dos problemas ambientais

  O cientista norte-americano Thomas Lovejoy, estudioso da Floresta Amazônica há mais de quatro décadas e reconhecido mundialmente pela atuação em defesa do meio ambiente, teme que a crise econômica mundial tire o foco dos problemas de longo prazo relacionados à biodiversidade. Segundo ele, alguns países não estão dando a devida importância aos problemas relacionados à deterioração do meio ambiente. "A crise mundial é um problema de momento, o que distrai alguns

A crise financeira global para leigos, artigo de Montserrat Martins

“Quiénes son los mercados y cómo nos gobiernan” [EcoDebate] Se o Brasil não se desorganizou em 2008, como a Espanha agora, não foi por acaso. Uma geração de governantes havia sido forjada numa visão econômica coerente e um dos responsáveis por isso foi Paul Singer, autor de vários livros sobre Economia para leigos, principalmente nos anos 80 (também não por acaso, suponho, seu filho André Singer veio a ser porta-voz do

Crise beneficia os mais ricos, afirma David Harvey

  As políticas de austeridade perpetuam o desastre econômico. E há uma lógica por trás disso: os ricos e poderosos se beneficiam da crise, que provoca mais concentração de renda e de poder político. A análise é do geógrafo marxista David Harvey em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, 26-02-2012. Professor de antropologia da Universidade da Cidade de Nova York, ele fala da ascensão do pensamento de direita e espera a

Crise Financeira e Ambiental: Os novos limites do possível, artigo de André Lara Resende

  [Valor Econômico] A crise financeira mundial já vai completar quatro anos, mas ainda não dá sinais de que esteja por se esgotar. Pelo contrário, parece não haver economia no mundo, das mais pobres às mais avançadas, que esteja imune ao seu agravamento. O paralelo com a Grande Depressão do século XX é cada vez mais frequente entre os analistas. Acreditava-se que o antídoto para crises destas proporções havia sido descoberto,

Movimento feminista alerta que mulheres são as mais atingidas pela crise econômica mundial

Pela manhã, as militantes realizaram o debate Feminismo e Ecologia Militantes da Marcha Mundial das Mulheres fizeram ontem (25) uma plenária em paralelo aos debates do Fórum Social Temático (FST) 2012. O objetivo, de acordo com a coordenadora do movimento no Rio Grande do Sul, Cláudia Prates, é utilizar o espaço do fórum para reforçar alianças com outros movimentos na luta contra o capitalismo verde. “Nós sempre cruzamos com mulheres que querem

Fórum Social Temático vai discutir crise financeira global e preparação para a Rio+20

  A mobilização por “um outro mundo possível” será retomada a partir de terça-feira (24), em Porto Alegre, com o início do Fórum Social Temático (FST), ligado ao Fórum Social Mundial. Com o tema Crise Capitalista, Justiça Social e Ambiental, o FST deverá ser uma prévia da Cúpula dos Povos, encontro de movimentos sociais paralelo à Conferência das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, que acontece em junho. A capital

Áudio: Fórum Social discute alternativas para a crise econômica mundial

  O Fórum Social Mundial terá sua décima primeira edição na semana que vem. O evento será Porto Alegre e irá debater formas alternativas para solucionar os problemas da economia mundial. Apresentação Eduardo Mamcasz EcoDebate, 17/01/2012 [ O conteúdo do EcoDebate é “Copyleft”, podendo ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, ao Ecodebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ] Inclusão na lista de distribuição do

‘A aliança entre bancos e governos está no centro da crise’, diz o economista Edmund Phelps

  A irresponsabilidade dos bancos europeus contribuiu para a atual crise do euro, afirma Edmund Phelps. Em seu cerne, porém, está um conluio fatal entre governos e bancos, argumenta e economista. Edmund Phelps é professor de Economia Política da Universidade de Columbia, em Nova York, e diretor do Centro sobre Capitalismo e Sociedade. Em entrevista à Deutsche Welle, o vencedor de 2006 do Prêmio de Ciências Econômicas – conhecido como Nobel de

Brasil e a migração internacional: refugiados do clima e da crise econômica, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  [EcoDebate] Em fevereiro de 2011 escrevi o artigo “Nova reversão do fluxo da migração internacional do Brasil?”, onde comentava que o Brasil deixou de ser “importador líquido” de pessoas, desde 1980, para se tornar “exportador líquido”, até recentemente. Mas com a queda das taxas de fecundidade e a retomada do crescimento econômico, poderia haver uma reversão da reversão da migração. Constatei o seguinte: “Se o Brasil tiver uma política macroeconômica

COP17, em Durban: Crise financeira global ameaça conferência do clima

  A 17.ª Conferência das Partes sobre o Clima começa hoje já acuada pela possibilidade de fracasso. Em meio à mais séria crise econômica dos últimos anos, a COP-17, em Durban (África do Sul), precisa definir o futuro dos acordos sobre emissões de poluentes que afetam o clima. Uma decisão que envolve investimentos, mudanças na produção e financiamento a países mais pobres - temas longe das prioridades dos países desenvolvidos. Matéria

Os banqueiros não desistem, artigo de Mauro Santayana

  Para que se incluam na sociedade humana os marginalizados de hoje, é preciso dela excluir os verdadeiros marginais: os grandes banqueiros privados e seus poderosos clientes. Não é o que está acontecendo na Europa, onde os banqueiros estão assumindo o poder em lugar de líderes fracos e acovardados. A Europa entrou em um vácuo político, e os banqueiros estão assumindo o poder em lugar dos líderes fracos e acovardados, que, desprovidos

Começou a era do mundo finito, artigo de Washington Novaes

  [O Estado de S.Paulo] A perplexidade é geral, depois da queda do sétimo governo na Europa (Islândia, Reino Unido, Irlanda, Portugal, Eslováquia, Grécia e Itália) e já com a Espanha na alça de mira, com uma dívida pública insustentável e uma taxa de desemprego de 21,5% (48% entre os jovens). E tudo acontece simultaneamente com a crise política que se alastra nos países árabes e a expansão do movimento "Ocupem

Dívida ambiental dos países desenvolvidos: quem vai pagar a conta? entrevista com Eloi Laurent

  Enquanto a dívida financeira dos Estados ocupa as manchetes dos jornais, outra dívida, mais discreta, mas não menos importante, busca um lugar para si entre as grandes questões internacionais: trata-se da dívida ambiental, conceito segundo o qual a industrialização dos países desenvolvidos e os danos ambientais por ela causados os tornariam devedores em relação a países em desenvolvimento. Uma dívida que poderia, portanto, aumentar ainda mais a dependência financeira do

Top