32 anos do Protocolo de Montreal, avanços e desafios, por Rodrigo Berté e Augusto Lima da Silveira

    [EcoDebate] O Protocolo de Montreal, que trata de substâncias que fragilizam a camada de ozônio, é um tratado internacional em que os países signatários comprometem-se a substituir as substâncias que demonstrem ser responsáveis pela destruição do ozônio, a partir de 16 de setembro de 1987, entrando em vigor em 1 de janeiro de 1989. A diminuição da camada de ozônio é um dos impactos antrópicos mais significativos da história da

Entrada dos hidroclorofluorcarbonos (HCFCs) no país passa a ser controlada

  Camada de ozônio: fundamental para a vida terrestre   Medida faz parte do esforço mundial para proteger a camada de ozônio O governo federal controlará a entrada dos hidroclorofluorcarbonos (HCFCs) no país. A substância é usada em espumas de vários tipos e aparece como uma das principais responsáveis pela destruição da camada de ozônio. Com a instrução normativa do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) publicada no Diário

Eliminação dos HCFC, uma ‘tsunami’ anunciada, artigo de Jorge Colaço

  [EcoDebate] Participei da feitura do projeto brasileiro de eliminação dos CFC’s aprovado pelo Comitê Executivo do Protocolo de Montreal de 2002. A melhor forma que poderia sugerir para comemorar o cumprimento da meta de eliminação quase total dos CFC´s, após oito anos decorridos, seria fazer uma analise profunda dos números obtidos no recolhimento e reciclagem destes gases de refrigeração e com base nisso traçar estratégias corretivas para o enfrentamento dos

No Ártico, o segundo buraco de ozônio

  No Ártico como também no Polo Sul: culpa de um inverno muito rígido na estratosfera e dos compostos de cloro e flúor. A reportagem é de Elena Dusi, publicada no jornal La Repubblica, 03-10-2011. A tradução é de Moisés Sbardelotto. Uma "destruição sem precedentes", que na última primavera "atingiu níveis semelhantes aos da Antártida". Pela primeira vez, "podemos falar oficialmente de um buraco de ozônio também na região do Ártico". A revista Nature

Com redução sem precedentes, buraco na camada de ozônio do Ártico é equivalente ao da Antártida

  Imagem: NASA/JPL-Caltech Cientistas afirmaram que, pela primeira vez, registraram um buraco gigante na camada de ozônio na atmosfera superior acima da região do Ártico, parecido com o buraco encontrado regularmente sobre a Antártida, no sul. Segundo os cientistas, o buraco foi detectado durante vários meses no começo do ano e seu tamanho era cinco vezes o tamanho da Alemanha. Os cientistas afirmaram ainda que, a cerca de 20 quilômetros acima da superfície

Aumenta destruição da camada de ozônio devido ao uso de produtos químicos, advertem cientistas

A Organização Mundial de Meteorologia (cuja sigla em inglês é WMO) identificou um aumento na destruição na camada no Ártico. A perda é considerada inédita, mas não inesperada. A principal causa da destruição é a elevação no uso de produtos químicos presentes em aerossóis, geladeiras e extintores de incêndio. A camada de ozônio é a que protege a vida no planeta dos efeitos nocivos dos raios ultravioleta. O aumento da quantidade

Consulta pública sobre hidroclorofluorcarbonetos termina sábado, 15/1

Termina no próximo sábado (15) o prazo para participação na consulta pública sobre o Programa Brasileiro de Eliminação dos HCFCs (sigla para hidroclorofluorcarbonetos, gases que afetam a camada de ozônio). O plano será apresentado ao comitê de monitoramento do Protocolo de Montreal, que regula a redução de emissões de HCFCs em 150 países. A meta do Brasil, prevista no protocolo, é reduzir em 10% o consumo de HCFCs até 2015. Em

Camada de ozônio na Antártica se recuperará até 2080

'Buraco' na camada de ozônio, em 1979 e 2008. As cores indicam a concentração e ozônio (a máxima em laranja e a mínima em violeta). Imagem Nasa / El País. Os cientistas e os ecólogos gostam particularmente da história do chamado buraco na camada de ozônio: o problema foi previsto há menos de 20 anos (e depois a descoberta levou o prêmio Nobel), foi medido sobre a Antártida e levou à

Buraco na camada de ozônio supera o tamanho registrado em 2007

Buraco na camada de ozonio no dia 07/10/2008 Relatório da ESA, European Space Agency, afirma buraco na camada de ozônio superou o registrado em 2007, embora tenha sido menor do que recorde de 2006. A camada de ozônio é uma camada protetora atmosférica encontrada cerca de 25 quilômetros de altitude, atuando como um filtro solar, "blindando" a vida na Terra dos nocivos raios ultravioletas, que podem aumentar o risco de

Levará anos para reverter dano à camada de ozônio

O buraco na camada de ozônio, em gráfico que reflete a situação de 14 de setembro. Imagem: Nasa Cientistas e especialistas da Organização das Nações Unidas (ONU) alertam que o mundo precisará de mais meio século para que o buraco da camada de ozônio desapareça. A Organização Mundial de Meteorologia anunciou ontem que o buraco sobre a Antártida é maior do que o registrado em 2007. Por Jamil Chade, no O

Top