O mundo rumo a economia circular

 

economia circular
Imagem: Euronews

 

O mundo rumo a economia circular, artigo de Marcelo Souza

[EcoDebate] Não há dúvidas que o ano de 2020 marcará a humanidade, em um futuro próximo, veremos os livros de histórias falando sobre o mundo antes e depois da Covid-19. No meio à abundância de incertezas, é muito difícil prever o que seria o novo normal, mas com base nos fatos, podemos afirmar que em 2021, veremos um mundo diferente.

Sob os holofotes desse cenário, o Fórum Econômico Mundial, fundado pelo professor Klaus Schwab, possui como missão o compromisso com a melhoria do estado do mundo. Fundado em 1971 para discutir práticas de gestão global, o Fórum vem desempenhando um grande papel entre as lideranças mundiais. O professor Schwab nos brindou, por exemplo, com a terminologia Indústria 4.0 em 2010, momento em que falou sobre as futuras transformações que o mundo viveria. Dessa vez, Schwab nos alerta que, apesar do alto preço pago com a pandemia que nos assola, pode ser a oportunidade que o mundo precisa para repensar e corrigir muitas coisas, uma espécie de segunda chance.

Nos últimos 200 anos, na chamada era das revoluções, o capitalismo produziu muita riqueza. Quase triplicou a expectativa de vida, erradicou muitas doenças que dizimaram milhares de pessoas, nos levou à lua, desenvolveu a medicina, engenharia, os meios digitais, psicologia, a ciência como um todo, mas não fomos capazes de equilibrar e dividir toda essa riqueza de forma a promover o bem comum. Assim, vemos que o capitalismo é ótimo para produzir e péssimo para dividir, gerando uma desigualdade imensa, dividindo o mundo entre “poucos com muito” e “muitos com pouco”.

Além da geração mal distribuída de riqueza, quando observamos o dia de sobrecarga da Terra, fica bastante clara a exploração dos recursos naturais sem precedentes. Trata-se da data em que consumimos todos os recursos naturais disponíveis para o ano e, a cada ano que passa, batemos novos recordes. Para exemplificar, se comparado com uma conta bancária, seria o dia que se entra no vermelho. Em 2019, a data Brasil foi 31 de julho e, nos EUA, 15 de março, ou seja, utilizamos os recursos naturais disponíveis para o ano de 2019 inteiro antes do meio do ano. Para que se possa ter parâmetro de comparação, o dia de sobrecarga da terra na década de 70 era 29 de dezembro.

Para Schwab a Covid-19 evidenciou muitas das vulnerabilidades da humanidade, mas mostrou que o mundo pode agir rápido e junto por um bem maior. Para o professor, a palavra reset é a primeira que vem em mente quando se fala do momento, pois agora temos que pensar como estruturar, como projetar e viver era pós Covid-19, uma coisa é certa, não podemos voltar ao velho normal, temos que encarar o que vivemos em 2020 e aproveitar para fazer como nossos pais e avós fizeram após a Segunda Guerra Mundial para realmente refletir sobre o que deu errado e o que poderíamos fazer melhor.

Com a atual e impactante transformação ritmada pela quarta revolução industrial, uma renovação completa na economia, política e sociedade já vinha ocorrendo. A pandemia com certeza catalisou isso e veremos um mundo diferente, com novos valores e consecutivamente, mercados deixarão de existir e outros surgirão.

Assim, essa reinicialização do mundo, segundo executivos do Fórum Econômico Mundial deverá ser pautada em três prioridades centrais.

Primeiro: Tornar o mundo mais resiliente para eventuais novas surpresas, cisnes negros, como são chamados, talvez diferentes tipos de vírus.

Segundo: Tornar o mundo mais inclusivo, mais justo e equilibrado, atingimos níveis insustentáveis de pessoas em situação de vulnerabilidade.

Terceiro: Tornar o mundo muito mais verde, colocando todas as energias na descarbonização e preservação de recursos para evitar uma catástrofe ainda maior.

Dessa maneira podemos esperar para os próximos anos uma agenda muito mais pautada em engenharia social e economia circular.

As empresas precisam olhar atentamente para esses pontos, pois o pensamento não será mais de lucro como fator principal e sim do impacto que a organização terá na sociedade que está inserida.

*Marcelo Souza é CEO da Indústria Fox , pioneira em indústrias de reciclagem, refurbished de eletrônicos e plataformas digitais da economia circular

Nota da redação : visando consolidar o conhecimento relativo ao tema “Economia Circular” sugerimos que leiam, também, o nosso conteúdo já

O que é economia circular, conceitos e práticas

Economia circular é a saída para acabar com o lixo do mundo!

Economia circular e a transformação de produtos em serviços

O que as pessoas tem a ganhar com a economia circular?

Economia circular: soluções possíveis para cidades inteligentes

Economia circular é urgente

3 etapas para a implementação de uma economia circular

Economia circular pode ajudar a combater mudanças climáticas

Repensar a economia futura: a Economia Circular

O futuro nos leva para o lixo zero, para a economia circular, a reutilização total

 

 

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 26/01/2021

 

A manutenção da revista eletrônica EcoDebate é possível graças ao apoio técnico e hospedagem da Porto Fácil.

Nota: Para receber atualizações pelo grupo de notícias do EcoDebate no WhatsApp, adicione o telefone 21 98682-4779 e, em seguida, envie uma mensagem com o texto ADICIONAR.

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate com link e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Top