EcoDebate: Índice da edição nº 3.279, de 06/09/2019

  Revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394   Países com maiores áreas e percentagens de floresta, artigo de José Eustáquio Diniz Alves Acumulam capital destruindo vidas, artigo de Gilvander Moreira O aquecimento global pode diminuir a variedade genética de plantas na Europa Central Extinção da anta e da queixada causaria uma importante redução na biodiversidade florestal Período das bandeiras vermelhas nas faturas aumenta interesse dos brasileiros por energia solar A ameaça global dos oceanos:

Países com maiores áreas e percentagens de floresta, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

“A floresta precede os povos. E o deserto os segue” François-René Chateaubriand (1768-1848)   [EcoDebate] A preservação das florestas e o aumento da cobertura florestal passou a ser uma das maiores preocupações mundiais em função do agravamento do aquecimento global. Diante do aumento dos incêndios e queimadas em vários países do mundo, mas especialmente no Brasil, o tema do desmatamento e da destruição florestal entrou na pauta do G7 (grupo dos 7 maiores

Acumulam capital destruindo vidas, artigo de Gilvander Moreira

Acumulam capital destruindo vidas Por Gilvander Moreira1 A realidade dramática causada pela implantação da barragem e hidrelétrica de Itapebi no Rio Jequitinhonha, no município de Salto da Divisa, na região do Baixo Jequitinhonha, MG, e em todos os grandes projetos de interesse do capital, nos recorda Marshall Berman, no livro Tudo o que é sólido se desmancha no ar, quando o personagem Fausto, após passar pela primeira metamorfose, que o ensinou a

O aquecimento global pode diminuir a variedade genética de plantas na Europa Central

  Mudanças climáticas: Apenas algumas espécies vegetais estão preparadas para o aumento das secas Max-Planck-Gesellschaft* As variedades genéticas de plantas na Europa Central podem entrar em colapso devido a temperaturas extremas e secas provocadas pelas mudanças climáticas. De acordo com um novo artigo, apenas alguns indivíduos de uma espécie já se adaptaram a condições climáticas extremas. Esses achados sugerem que a diversidade genética geral das espécies pode ser bastante reduzida. A publicação foi

Extinção da anta e da queixada causaria uma importante redução na biodiversidade florestal

    Agência FAPESP * – Uma equipe de pesquisadores da Universidade Estadual Paulista (Unesp) em Rio Claro concluiu que a extinção conjunta dos dois maiores herbívoros sul-americanos – a anta (Tapirus terrestres) e a queixada (Tayassu pecari) – causaria uma importante redução na biodiversidade florestal do continente. Resultados de um experimento iniciado há 10 anos indicam que as comunidades de plantas são mais diversificadas nas áreas em que as espécies estão simultaneamente

Período das bandeiras vermelhas nas faturas aumenta interesse dos brasileiros por energia solar

Por: Ruy Fontes – Agência #movidos Pelo segundo mês consecutivo em 2019, os mais de 80 milhões de consumidores de energia elétrica do Brasil irão arcar com a cobrança adicional da bandeira vermelha na conta de luz. O anúncio foi feito pela ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) e marca a época do ano, de agosto a novembro que, desde 2017, registra a ocorrência desses adicionais devido ao quadro de estiagem

A ameaça global dos oceanos: poluição, acidificação e aumento do nível dos mar

  IHU Os oceanos, que foram centrais para a evolução e sobrevivência de milhões de espécies, estão se transformando em uma ameaça global gerada, acima de tudo, pela interferência humana. Se não for reduzida a poluição de CO2 que prejudica o meio marinho, revelou a ONU no rascunho de um relatório que será discutido em Mônaco, nas próximas semanas, os oceanos não apenas representarão um enorme perigo para as pequenas nações insulares e comunidades costeiras, mas também

Estudo revela que estados com letalidade maior por câncer têm mais desigualdade social

    Um estudo do Observatório de Oncologia, do Movimento Todos Juntos Contra o Câncer, para avaliar fatores sociais que possam estar relacionados com os resultados e a eficácia do tratamento do câncer no Brasil, mostrou que estados onde há letalidade maior pela doença há mais desigualdade social, maior percentual de população pobre, menor gasto per capita em saúde, menor número de leitos hospitalares e menor percentual de população com acesso a

Top