Índice da edição nº 2.884, 2017 [de 05 e 06/12/17]

    Os três países mais populosos possuem os três maiores déficits ambientais, artigo de José Eustáquio Diniz Alves Terra, poder e renda produzem monoculturas e violência socioambiental, artigo de Gilvander Moreira Os limites do nosso imaginário e o bem viver, artigo de Claudio Dourado Banco genético da Embrapa vai conservar material de peixes de Tocantins Censo Agro 2017: Agricultura familiar orgânica no Rio de Janeiro valoriza alimentação saudável FAO alerta para aumento da degradação dos solos

Os três países mais populosos possuem os três maiores déficits ambientais, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  “Precisamos pegadas menores, mas também precisamos de menos pés”. (Enough is Enough, 2010)   [EcoDebate] Nos últimos 250 anos, o progresso humano tem ocorrido às custas do regresso ambiental e o enriquecimento da humanidade tem ocorrido em função do empobrecimento da biodiversidade. O impacto negativo sobre o meio ambiente é tanto maior quanto cresce o tamanho da população e o volume de produção e consumo. Não por coincidência os três países que apresentam

Terra, poder e renda produzem monoculturas e violência socioambiental, artigo de Gilvander Moreira

Terra, poder e renda produzem monoculturas e violência socioambiental Por Gilvander Moreira1     [EcoDebate] Em um dos livros que a Comissão Pastoral da Terra (CPT) edita anualmente desde 1979, Conflitos no Campo Brasil, Marcelo Resende e eu apresentamos as causas da violência no campo: terra, renda e poder (MOREIRA; RESENDE, 2004, p. 34-38). Recordamos que o estado de Minas Gerais teve como capital a cidade de Vila Rica ainda no século XVIII, em

Os limites do nosso imaginário e o bem viver, artigo de Claudio Dourado

OS LIMITES DO NOSSO IMAGINÁRIO E O BEM VIVER Por Claudio Dourado1 [EcoDebate]  Estamos vivendo um momento de crise incomparável na história da humanidade. Segundo Leonardo Boff raramente houve tanta acumulação de situações de crise como no atual momento. Algumas são conjunturais e superáveis. Outras são estruturais e exigem mudanças profundas. O Bem Viver ressurge e insurge como uma mirada relacional entre ser humano – ser humano; ser humano – natureza;

Banco genético da Embrapa vai conservar material de peixes de Tocantins

  A “Arca de Noé” da Embrapa foi incrementada com peixes de Tocantins. Nos últimos dias 28 e 29 de novembro, em Brejinho de Nazaré, no Centro-Sul do estado, pesquisadores dos centros de pesquisa da Embrapa Pesca e Aquicultura (Palmas, TO), Recursos Genéticos e Biotecnologia (Brasília-DF) e Tabuleiros Costeiros (Aracaju, SE) coletaram 450 amostras de sêmen de 25 peixes, entre tambaquis (Colossoma macropomum) e caranhas (Piaractus brachypomus). A iniciativa é para

Censo Agro 2017: Agricultura familiar orgânica no Rio de Janeiro valoriza alimentação saudável

  IBGE O Censo Agro 2017 já está em seu terceiro mês de coleta. A pesquisa mostrará um retrato dos estabelecimentos agropecuários que, no caso do estado do Rio de Janeiro, são predominantemente produtores de lavouras temporárias, criação de bovinos e horticultura. A pecuária e lavoura de cana são mais fortes no Norte do estado, onde a área colhida de cana-de-açúcar chegou a 48 mil hectares, em 2016, segundo a Pesquisa Agrícola Municipal,

FAO alerta para aumento da degradação dos solos em escala global

  Degradação do solo já obrigou migração de 10 milhões de pessoas no mundo; agricultores devem produzir 49% de alimentos a mais até 2050 para resolver o problema.     Por Manuel Matola, ONU News, em Nova Iorque. A Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura, FAO, alerta para o aumento da degradação dos solos, a nível mundial, devido às práticas inadequadas de manuseamento da terra. Segundo a FAO, aproximadamente 33% dos solos globais

‘Perseguição a indígenas do Acre demonstra que pacto social nunca existiu no Brasil’. Entrevista com Lindomar Padilha

    IHU Se o re­cru­des­ci­mento do trato aos mo­vi­mentos so­ciais per­passa o Brasil, não ne­ces­sa­ri­a­mente se re­sume aos úl­timos doze meses. Que o digam os povos in­dí­genas de vá­rias partes do ter­ri­tório, ex­cluídos dos prin­ci­pais de­bates sobre o de­sen­vol­vi­mento do país e até das prá­ticas ditas sus­ten­tá­veis. Nesta en­tre­vista, Lin­domar Pa­dilha, co­la­bo­rador do Con­selho In­di­ge­nista Mis­si­o­nário, alvo re­cente das im­pre­ca­ções da ban­cada ru­ra­lista, co­menta as de­nún­cias de per­se­guição de et­nias in­dí­genas do

Top