Portal EcoDebate: Índice da edição nº 2.309, de 22/05/2015

    A redução da pobreza no longo prazo no Brasil e sua possível reversão, artigo de José Eustáquio Diniz Alves Dilma veta seis pontos do Novo Marco Legal da Biodiversidade Podcast: Movimentos sociais consideram Marco da Biodiversidade inconstitucional Marco da Biodiversidade: entidades esperam fazer ajustes durante regulamentação Barragens Subterrâneas Amenizam Efeitos da Seca no Semiárido Concessões florestais no Brasil: modelo acertado, resultados tímidos Mudança de hábitos pode ser a chave para

A redução da pobreza no longo prazo no Brasil e sua possível reversão, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] A redução da pobreza humana é um processo que vem ocorrendo no longo prazo no Brasil (embora a pobreza das outras espécies tenha aumentado). Avanços civilizacionais tem melhorado a qualidade de vida dos cidadãos em termos de renda, educação e saúde, especialmente depois da Segunda Guerra Mundial. Assim, parece até piada quando setores ufanistas do PT se vangloriam de ter erradicado a pobreza e alguns ideólogos dizem que a oposição

Dilma veta seis pontos do Novo Marco Legal da Biodiversidade

    A presidenta Dilma Rousseff vetou seis pontos da lei que institui o Novo Marco Legal da Biodiversidade, sancionada na quarta-feira (20). A legislação regulamenta o acesso ao patrimônio genético e ao conhecimento tradicional associado. Os vetos só foram divulgados hoje no Diário Oficial da União. O principal veto está relacionado à repartição de benefícios com as comunidades tradicionais. Dilma retirou da lei um parágrafo que isentava do pagamento de royalties produtos

Podcast: Movimentos sociais consideram Marco da Biodiversidade inconstitucional

    Por Jéssica Gonçalves Movimentos sociais contrários à nova Lei da Biodiversidade consideram a sanção uma derrota. A assessora do Instituto Socioambiental (ISA) e especialista em biodiversidade, Núrite Ben Sussãn, afirma que não há motivo para comemorar. Núrite Ben Sussãn diz que o texto é inconstitucional porque não houve consulta prévia aos povos tradicionais, como determina convenção da Organização Internacional do Trabalho (OIT). O assessor da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib), Paulino

Marco da Biodiversidade: entidades esperam fazer ajustes durante regulamentação

    Representantes de movimentos sociais, de comunidades tradicionais e de pequenos agricultores criticam o processo final de elaboração do Marco Legal da Biodiversidade, sancionado na quarta-feira (20), com vetos, pela presidenta Dilma Rousseff. Para esses movimentos, a nova lei, que regula o acesso ao patrimônio genético e ao conhecimento tradicional associado, fere diretos adquiridos dessas populações e privilegia setores, como a indústria farmacêutica e cosmética. Eles esperam reverter alguns pontos durante a

Barragens Subterrâneas Amenizam Efeitos da Seca no Semiárido

    Por Carlos Dias Saindo de Recife e adentrando pelos estados de Pernambuco e Alagoas, a paisagem dominante era a da vegetação seca sob o sol inclemente do semiárido: alguns poucos cultivos de mandioca e palma subsistiam em meio à caatinga e desafiavam o clima seco. Chegamos então à propriedade de Seu Dedé, no pequeno município de São José da Tapera, em Alagoas. O contraste era visível: dentro de seu terreno, as

Concessões florestais no Brasil: modelo acertado, resultados tímidos

    Artigo de pesquisadores do Brasil e Estados Unidos aponta onde estão os problemas no atual modelo para concessões. Em 2006, o governo brasileiro inaugurou o modelo de concessões de florestas. O objetivo foi, por meio de parcerias com entidades privadas, permitir a exploração sustentada das florestas nacionais e cortar gastos públicos. Passados quase dez anos, pesquisadores avaliam a estratégia como acertada, porém com impacto reduzido por conta de problemas estruturais e

Mudança de hábitos pode ser a chave para afastar o fantasma do racionamento

O brasileiro convive mais uma vez com a necessidade de economia de recursos básicos, como água e luz. O aumento das tarifas de energia elétrica e a falta d’água em pontos variados do país são sinais de que algumas (ou muitas) coisas não vão bem. Um exemplo claro é a recente implementação das bandeiras tarifárias, que indicam ao consumidor quando a energia está mais cara ou quando houve redução de

Feijão transgênico liberado há dois anos está em ‘banho-maria’. Entrevista com José Maria Guzman Ferraz

  “O caso do feijão é emblemático para ressaltar a irresponsabilidade de liberações comerciais sem o devido cuidado e sem observações mínimas do princípio da precaução, colocando em risco a saúde da população e o meio ambiente”, afirma o agrônomo.   Foto: terradedireitos.org.br O feijão transgênico Embrapa 5.1, liberado no Brasil pela Comissão Técnica Nacional de Biossegurança – CTNBio em 2011, está em “‘banho-maria’, pois apareceram vários problemas, os quais já tinham sido apontados pelos avaliadores

Top