Aumenta destruição da camada de ozônio devido ao uso de produtos químicos, advertem cientistas

A Organização Mundial de Meteorologia (cuja sigla em inglês é WMO) identificou um aumento na destruição na camada no Ártico. A perda é considerada inédita, mas não inesperada. A principal causa da destruição é a elevação no uso de produtos químicos presentes em aerossóis, geladeiras e extintores de incêndio. A camada de ozônio é a que protege a vida no planeta dos efeitos nocivos dos raios ultravioleta. O aumento da quantidade

Em busca de um Brasil sem energia nuclear, entrevista com Washington Novaes

Na visão do jornalista Washington Novaes, especialista em meio ambiente, o país poderia economizar 10% do que gasta com energia se investisse em programas de melhoramento de linhas de transmissão. Questões financeiras e econômicas também permeiam o debate que envolve as consequências do acidente nas usinas nucleares do Japão. O momento, indicado pelo jornalista Washington Novaes, é de unir esforços para uma reflexão, em que é preciso reavaliar decisões. Em

Angra I, II e III. Empreendimentos nucleares desconsideram a população local

Cabe ao Ministério de Minas e Energia e ao governo federal brasileiro explicarem a política nuclear e alertar a população do perigo de um possível acidente e não à empresa pública responsável pela construção da usina, critica o conselheiro da Sociedade Angrense de Proteção Ecológica – Sapê, José Rafael Ribeiro. “A cidade de Angra dos Reis tem um perfil operário que não aparece nas imagens bonitas da TV, que focam

A ação cotidiana dos neoecologistas, artigo de Carlo Petrini

Um número sempre crescente de pessoas considera a escolha dos alimentos como uma participação no trabalho dos agricultores que deve ser remunerado pelos serviços que presta e não pelos bens que coloca no mercado. A opinião é de Carlo Petrini, chef italiano fundador do movimento Slow Food, em artigo para o jornal La Repubblica, 31-03-2011. A tradução é de Moisés Sbardelotto. Eis o texto. O que há de novo naquilo que se chama

Cientistas afirmam que derretimento polar pode mudar padrões das correntes marinhas e da circulação atmosférica

Água doce no Ártico pode alterar clima na Europa A crescente massa de água doce procedente do gelo derretido no oceano Ártico é uma incógnita de consequências imprevisíveis em futuros cenários climáticos, segundo pesquisadores de dez países europeus. A massa de água, que em 2009 tinha um volume equivalente a duas vezes o Lago Vitória na África (o segundo maior do mundo) e cujo tamanho aumenta, poderia se precipitar bruscamente no oceano

Use-Exposure Relationships of Pesticides for Aquatic Risk Assessment

Jump to Abstract Introduction Materials and Methods Results and Discussion Acknowledgments Author Contributions References Yuzhou Luo*, Frank Spurlock, Xin Deng*, Sheryl Gill, Kean Goh Department of Pesticide Regulation, California Environmental Protection Agency, Sacramento, California, United States of America Abstract Top Field-scale environmental models have been widely used in aquatic exposure assessments of pesticides. Those models usually require a large set of input parameters and separate simulations for each pesticide in evaluation. In this study, a simple use-exposure relationship

Captura e o sequestro de carbono: Nos EUA projetos experimentam injetar dióxido de carbono em rochas

Estação de injeção de CO2 da American Electric Power's Mountaineer, New Haven, W.Va. Foto de Kevin Riddell/The New York Times Se quisermos que o carbono seja mantido fora da atmosfera, boa parte dele terá de ser injetado de volta no solo do qual ele foi extraído sob a forma de carvão, petróleo ou gás. Nem mesmo o otimista mais ardoroso em relação às energias alternativas sugeriria que os combustíveis fósseis vão deixar

Top