Uma calamidade social. Mais de 50 mil pessoas afetadas pelas hidrelétricas no RS. Entrevista com Paulo Brack

“Queremos que se defenda a lei, nem que seja o princípio da razoabilidade, pois o chamado desenvolvimento, agora, já é explicitamente insustentável. Queremos que as empresas e os governos responsáveis por isso tudo tenham que pagar na justiça e tenham o destino que a história lhes reserva”. O desabafo é do biólogo gaúcho Paulo Brack, em entrevista concedida por e-mail à IHU On-Line. Na sua visão, as licenças ambientais para a

As enchentes paulistanas e a teoria do ‘já que’, artigo de Washington Novaes

SP: Homem tenta cruzar ponto de alagamento próximo à Ponte do Piqueri, na zona norte. Nível da água atingia cintura. Foto Hélvio Romero/AE [O Estado de S.Paulo] São graves as preocupações manifestadas por editorial deste jornal (A proteção dos mananciais, 15/8, A3) em relação às modificações do Plano Diretor de São Paulo que permitirão a construção de novos conjuntos habitacionais verticais para 4 mil habitantes do entorno dos Reservatórios Billings e

O Brasil queima, artigo de Elenita Nalta Pereira

[Zero Hora] Nos últimos dias, o Rio Grande do Sul ficou envolto na fumaça das queimadas. No website do Inpe, é possível acompanhar o monitoramento do fogo no país, onde podemos constatar uma triste realidade: já são mais de 40 mil focos de incêndio em 2010, no Brasil. O fogo como método de "preparo" para a terra remonta a milhares de anos, praticado pelos indígenas que habitavam o território das Américas.

Lula e a desqualificação dos ambientalistas, artigo de Luiz Carlos Azenha

[Vi o Mundo] Leio no Blog do Planalto que o presidente Lula lembrou que, no passado, se opôs à construção de Itaipu e Belo Monte: “Vocês nem imaginam quantos discursos fiz contra a construção de Belo Monte. E é exatamente no meu governo que ela acontece”, disse Lula na cerimônia que marcou a assinatura do decreto em que concede a Norte Energia — vencedora do leilão para construir Belo Monte

‘O homem transforma riscos naturais em catástrofes’. Entrevista com Salvano Briceno, UN ISDR

Incêndio florestal na Rússia. Foto de AFP/NATALIA KOLESNIKOVA/LE MONDE Cidades e vilarejos se esvaziam no vale do Indo. Centenas de milhares de paquistaneses continuam a fugir das inundações que já causaram 1.500 mortes em um mês. Tanto no Paquistão quanto na Rússia, na China e na Índia, as catástrofes naturais fizeram deste um verão trágico. Mas seriam elas tão naturais assim? Mais do que o clima ou o meio ambiente, “é a

Top