Eduardo Giannetti defende que PIB e sistema de preços levem em conta critérios verdes, como poluição e desmatamento

* Se derrubamos nossa floresta para vender madeira no mercado internacional, o PIB brasileiro vai dar um salto fantástico. Só que, ao optarmos por esse caminho, estamos empobrecendo as gerações futuras de uma forma irreparável * Entrevista: Eduardo Giannetti defende que se contabilize um PIB verde Economista de formação e professor do Instituto de Estudos e Pesquisas (Inesp), o mineiro Eduardo Giannetti, 52 anos, está convencido de que o modo convencional como

Eletronuclear irá propor cinco lugares para construção de duas usinas nucleares no Nordeste do País

A Eletronuclear deve encaminhar ao governo federal até o final de fevereiro cinco propostas de locais para serem construídas duas usinas nucleares no Nordeste do País. Entre as propostas, há pelo menos uma área próxima ao Rio São Francisco, que está praticamente certa de ser encaminhada. "Não sabemos se vai ser na foz, ou no meio do Estado, mas a região que beira o São Francisco está sobre uma base

EUA mudam de posição e iniciam revisão dos riscos do bisfenol-A(BPA) à saúde

Composto é usado em embalagens de plástico, como copos e potes EUA revisam riscos do bisfenol A à saúde - Em uma mudança de posição, a Food and Drug Administration (FDA), agência que controla alimentos e remédios nos Estados Unidos, está manifestando preocupações sobre possíveis riscos à saúde provocados pelo bisfenol A, ou BPA, um componente de garrafas e embalagens de alimentos de plástico amplamente usado no mercado. Na análise anterior,

Que potência queremos ser? artigo de David Oliveira de Souza

Por todos os cantos sopram ventos de um Brasil potência, o que aumenta nossa responsabilidade diante dos gritos da Terra [Folha de S.Paulo] Terceira semana de 2010. Em algum lugar da África acaba de amanhecer. Sentada no chão de terra de uma enfermaria humanitária, uma mulher segura um bebê enrolado em panos. Eu e você nos aproximamos e afastamos o tecido com cuidado. Para nossa surpresa, não se trata exatamente de

Terremotos: Reflexões enquanto o Big One não acontece, artigo de Simon Winchester

Área residencial de Port-au-Prince, Haiti, destruída pelo terremoto. Foto ONU/Logan Abassi Se a ciência pudesse dar o alerta, haveria mobilização antiterremoto? [O Estado de S.Paulo] Embora deva oferecer pouco conforto às vítimas do terremoto no Haiti, a sismologia vem fazendo algum progresso na busca de uma descoberta definitiva que permitirá prever catástrofes pavorosas como a de terça-feira. Estudos de eventos ultralentos nas profundezas da terra, chamados tremores não vulcânicos, mostram indícios vagos,

Terremotos: O desafio mais difícil, interpretar os tremores antes do ‘Big One’ da Califórnia

Califórnia: zonas em vermelho indicam maior potencial de ocorrência de terremotos Mesmo que seja de escasso conforto para as vítimas do terremoto do Haiti, a sismologia está dando alguns pequenos passos adiante na pesquisa daquilo que parece ser, de momento, irrealizável, ou seja, conseguir antecipar acontecimentos aterrorizantes como o de terça-feira passada. Novos estudos sobre os episódios de deslocamentos ultralentos que se verificam nas profundezas da Terra estão fornecendo alguns indícios

Top