UTI ambiental: programa Novo Chico para o Velho Chico, artigo de Osvaldo Ferreira Valente

    [EcoDebate] A série ‘UTI ambiental’ já estava ficando esquecida aqui no Portal do EcoDebate, mas garanto que não está desativada e reaparecerá sempre que necessário para enquadrar algum assunto, como no presente, em que o paciente já anda internado há muito tempo e permanece em estado crítico. Trata-se do nosso Rio São Francisco, que por estar vendo as veias (cursos d’água formadores) do seu corpo (bacia hidrográfica) secando, corre sério

UTI ambiental: o perigo das ações contra o novo Código Florestal, artigo de Osvaldo Ferreira Valente

    [EcoDebate] Até o surgimento do novo Código Florestal, vivíamos presos numa teia de leis, resoluções, portarias e todas aquelas burocracias adoradas pelas instituições públicas brasileiras. Parecia que, com a nova lei, estávamos entrando em uma nova etapa de tranquilidade, duradoura o suficiente para conhecermos a verdadeira situação do doente há muito internado. O diagnóstico viria com o Cadastro Ambiental Rural (CAR), possibilitando uma radiografia do estado do paciente

UTI ambiental: ‘limpando’ organogramas de instituições públicas, artigo de Osvaldo Ferreira Valente

  No artigo da série “UTI ambiental”, publicado em 09/06/2014, eu falei das doenças que acometem as instituições públicas brasileiras, usando a estrutura do Ministério do Meio Ambiente (MMA) como exemplo. Em razão das críticas feitas à superposição de funções dentro do citado ministério, fui provocado por pessoas próximas a fazer uma prescrição de cura, já que o paciente está em estado grave. Relutei um pouco, mas como não sou dado

UTI ambiental: doenças de instituições públicas, artigo de Osvaldo Ferreira Valente

    [EcoDebate] As opiniões que vou emitir neste artigo refletem a sensação de um observador da cena ambiental no país durante os últimos cinquenta anos. Não estou interessado nos ritos processualistas e nem nas hierarquias que são tão cultivadas por aqui. O que me incomoda é o grande número de instituições públicas teoricamente ligadas às questões ambientais e que não conseguem ser eficientes. Há muita superposição de funções, na prática, que

UTI ambiental: olhares pouco comuns sobre o atual Código Florestal, artigo de Osvaldo Ferreira Valente

    [EcoDebate] Há tanta coisa escrita sobre o atual ou novo Código Florestal, que o leitor talvez já esteja cansado, ou enjoado, e com pouca disposição para ler novos textos. Por isso a minha intenção de buscar novos ângulos para mirá-lo. Espero conseguir. A grande polêmica ainda existente sobre benefícios ou malefícios do Código é pouco significativa, a meu ver, pois a nossa grande preocupação deve estar na sua efetiva implantação. Com

UTI ambiental: a água e a realidade nua e crua, artigo de Osvaldo Ferreira Valente

    [EcoDebate] Foram nove artigos publicados aqui no EcoDebate, sobre produção de água . Todos ancorados na série UTI ambiental. Acabo de relê-los, na esperança de ter conseguido passar conhecimentos e preocupações acumuladas ao longo de muitos anos de militância na área. Todas as vezes que faço isso (reler artigos que escrevi), fico com a sensação de ainda estar longe de saber divulgar conhecimentos científicos e técnicos. Mas não vou desanimar,

UTI ambiental: revitalização de bacias hidrográficas II, artigo de Osvaldo Ferreira Valente

  [EcoDebate] O paciente enfartado, quando entra na UTI hospitalar, passa, em primeiro lugar, por uma bateria de exames e só depois, com base nos resultados é que os especialistas traçam o programa de tratamento. As pequenas bacias hidrográficas degradadas, internadas na UTI ambiental, também devem passar por etapas semelhantes para recuperarem suas saúdes hidrológicas e poderem voltar a produzir volumes de água que já estiveram produzindo no passado. Se os

UTI ambiental: revitalização de bacias hidrográficas I, artigo de Osvaldo Ferreira Valente

    [EcoDebate] As nossas bacias hidrográficas estão perdendo a capacidade de produzir água com regularidade. Ou provocam cheias e inundações, conforme notícias frequentes, ou ameaçam com escassez nos períodos de estiagens. Quaisquer dos comportamentos provocam sofrimentos e reações de desconforto ou até de revolta. E se há mudanças no regime de chuvas, com muito mais razão precisamos rever os nossos conceitos de uso das bacias hidrográficas, que, até pela Lei das

UTI ambiental: política brasileira de recursos hídricos, artigo de Osvaldo Ferreira Valente

  Foto: ABr   [EcoDebate] O Brasil tem uma legislação bastante moderna com relação às nossas águas, datada de janeiro de 1997. Trata-se da Lei Federal 9.433, que instituiu a Política Nacional de Recurso Hídricos, com os fundamentos listado em seu Art. 1o: I) a água é um bem de domínio público; II) a água é um recurso natural limitado, dotado de valor econômico; III) em situação de escassez, o uso prioritário dos

UTI ambiental: práticas de manejo de bacias hidrográficas II, artigo de Osvaldo Ferreira Valente

  [EcoDebate] Andei sumido aqui do EcoDebate por algum tempo e os leitores, que talvez estivessem acompanhando a série “UTI ambiental”, devem ter pensado que eu abandonei a promessa feita. Mas o sumiço foi circunstancial, decorrente apenas de efeitos colaterais provocados pela carga de janeiros, que não para de aumentar. Mas como já passou o carnaval (muitos dizem que o país só funciona depois dele) e ainda teremos copa e eleições,

UTI ambiental: práticas de manejo de bacias hidrográficas I; artigo de Osvaldo Ferreira Valente

  [EcoDebate] Depois de analisarmos alguns aspectos importantes de ecossistema hidrológico que caracteriza uma pequena bacia hidrográfica, temos condições de avaliar o seu comportamento em relação a padrões existentes. A partir daí, será possível enquadrar a bacia em dois possíveis modelos básicos: 1) A pequena bacia tem um ecossistema em equilíbrio e mantido em condições naturais, com pouquíssima ou nenhuma ação antrópica nos últimos anos. Se a produção de água estiver dentro

UTI ambiental: contabilidade de água em pequenas bacias hidrográficas; artigo de Osvaldo Ferreira Valente

  [EcoDebate] No último artigo desta série, publicado no dia quatro próximo passado, eu prometi que iria colocar números nas relações entre a bacia hidrográfica e o ciclo hidrológico. A metodologia de fazer contabilidade de água em pequenas bacias hidrográficas, que será usada na produção deste texto, está desenvolvida no livro “Conservação de nascentes - Produção de água em pequenas bacias hidrográficas”, do qual sou o primeiro autor. A ideia é

UTI ambiental: diagnóstico da água III, artigo de Osvaldo Ferreira Valente

  [EcoDebate] Depois de, nesta UTI ambiental, termos analisado o ciclo hidrológico (diagnóstico da água I) e a bacia hidrográfica (diagnóstico da água II), vamos ver o que acontece quando os dois se encontram. Vamos ver como a bacia hidrográfica se comporta em relação a algumas fases do ciclo hidrológico e discutir algumas interações importantes para a produção de água. Começamos por estudar o fluxograma da Figura 1. Nele temos a bacia

UTI ambiental: diagnóstico da água II, artigo de Osvaldo Ferreira Valente

  [EcoDebate] As águas superficiais e subterrâneas resultam da ação de ciclos hidrológicos em bacias hidrográficas. E bacia hidrográfica é uma expressão muito lida e escutada e, em muitos casos, já anda dispensando a palavra hidrográfica, aparecendo como: bacia do Amazonas, bacia do São Francisco etc. É uma unidade geográfica, pois se refere a uma parte da superfície da terra, mas também uma unidade hidrológica, pois nela acontecem fases importantes do

UTI ambiental: diagnóstico da água I; artigo de Osvaldo Ferreira Valente

    [EcoDebate] No artigo publicado no dia 07/05/2013, em que propus a ideia de montar uma UTI virtual para tratar de assuntos ambientais, terminei deixando um gancho para análise do recurso água, dizendo que a sua ocorrência ou não em determinada área está condicionada ao desenvolvimento do ciclo hidrológico e da circulação atmosférica. Vamos ao diagnóstico pertinente. A água está constantemente ao nosso redor, na forma líquida, sólida ou de vapor.

UTI ambiental, artigo de Osvaldo Ferreira Valente

    [EcoDebate] Apesar do temor que ela nos inspira, a UTI (Unidade de Terapia Intensiva), hospitalar, já é nossa conhecida ou já ouvimos falar dela. É uma área de atendimento bastante complexa, dotada de sistemas para monitoração contínua e que admite pacientes com descompensações graves de um ou mais sistemas orgânicos, mas que com suporte e tratamento intensivos tenham possibilidades de recuperação. Se o leitor admitir que a situação atual de

Resenha: ECONOMIA DESTRUTIVA, de Marcus Eduardo de Oliveira, economista e ativista ambiental

  Resenha: ECONOMIA DESTRUTIVA, de Marcus Eduardo de Oliveira, economista e ativista ambiental Em dois séculos de existência, o impacto de dois invasivos movimentos – o industrialismo e o consumismo – imiscuído na esfera da economia de mercado capitalista, desequilibrou completamente a relação Homem-Natureza, e, desde então, nos colocou diante da mais séria e preocupante crise ecológica com a qual passamos a conviver. Dada essa orientação, importa sublinhar que a estratégia econômica estabelecida

Temas Transversais e Educação Ambiental: Uma questão ainda não muito discutida nas Políticas Públicas da Educação Brasileira, artigo de Ricardo Santos David

    Temas Transversais e Educação Ambiental: Uma questão ainda não muito discutida nas Políticas Públicas da Educação Brasileira, artigo de Ricardo Santos David Resumo: A proposta inicial deste artigo é articular diversos saberes e competências, os livros de Meio Ambiente e Atualidades incorporam temas transversais, como ética e pluralidade cultural, às diferentes áreas do conhecimento. As propostas contidas neles podem ser aproveitadas nas atividades de culminância de cada unidade de estudo e também

#RetrocessoAmbientalNão: Iniciativas do Legislativo e Executivo ameaçam 2,2 milhões de hectares de áreas protegidas

  Foto: ICMBio A Câmara de Meio Ambiente e Patrimônio Cultural do Ministério Público Federal (4CCR/MPF) divulgou nesta quarta-feira (16) nota técnica contra medidas do Legislativo e do Executivo que reduzem áreas de Unidades de Conservação no país. Após veto do presidente da República ao PLC 4/17 em junho deste ano, fruto de muita pressão da sociedade e do MPF, as ameaças foram renovadas agora na forma do Projeto de Lei

Construindo Escola Sustentável: Elaboração e Utilização de Cartilha como Ferramenta de Educação Ambiental, por Maria Lindalva Oliveira Fernandes e Débora Barros Andrade

  CONSTRUINDO ESCOLA SUSTENTÁVEL : ELABORAÇÃO E UTILIZAÇÃO DE CARTILHA COMO FERRAMENTA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL. *Maria Lindalva Oliveira Fernandes * Débora Barros Andrade   Resumo A Educação Ambiental tem sido uma ferramenta inovadora e transformadora para a formação de gerações socioambientais responsáveis, o que nos leva a grande caminhada pela sustentabilidade do planeta, reconhecendo a importância da aplicação da EA como ação básica e indispensável para alcançarmos comportamentos corretos de preservação ao meio e vida. Este trabalho

Top