Índice da edição nº 2.950, 2018 [de 27 e 28/03/2018]

    O grande crescimento global da energia solar em 2017, artigo de José Eustáquio Diniz Alves Águas para a Vida! artigo de Nísio Miranda Recursos hídricos: o pedido de socorro ao ecossistema, artigo de Sucena Shkrada Resk Relatório revela que as atividades humanas já impactaram 75% da superfície terrestre Especialistas alertam que a perda de biodiversidade ameaça bem-estar das gerações atuais e futuras Corredores de conservação podem salvar os habitats naturais? No Senado, projeto de lei que

O grande crescimento global da energia solar em 2017, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] O mundo adicionou quase 100 GW de energia solar fotovoltaica (PV) em 2017. O que foi adicionado em 2017 corresponde a toda a capacidade acumulada global até 2012. Isto equivale a mais de 7 usinas hidrelétricas de Itaipu construídas em um só ano. O crescimento da energia solar PV tem ocorrido acima de todas as expectativas e já coloca esta fonte de energia renovável como a de maior crescimento e

Águas para a Vida! artigo de Nísio Miranda

    “A água é o princípio de todas as coisas” Tales de Mileto   [EcoDebate] Há muito estudamos e trabalhamos com as questões ambientais, especialmente às inerentes ao elemento mais importante, do ponto de vista da manutenção da vida, em todos os seus aspectos: a água. E sob uma perspectiva que talvez não interesse – mas deveria interessar - a todos: a de que a água não é um recurso. Água é patrimônio.

Recursos hídricos: o pedido de socorro ao ecossistema, artigo de Sucena Shkrada Resk

    O Informe Mundial das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento dos Recursos Hídricos 2018, lançado nesta semana, tem como mote “as soluções baseadas na natureza” (SbN) para a gestão das águas, um conhecimento milenar mas que conceitualmente tem sido desenvolvido desde 2002. Esta constatação não é por acaso, no período do Antropoceno, em que “predar” ainda ganha rounds diante do “conservar”. Então, a que e a quem apelar? Ao próprio ecossistema, que em sua

Relatório revela que as atividades humanas já impactaram 75% da superfície terrestre

  Por Karina Toledo, de Medellín | Agência FAPESP     Apenas 25% da superfície terrestre permanece livre de impactos substanciais causados por atividades humanas. E o índice deve cair para meros 10% até 2050, segundo projeções da Plataforma Intergovernamental sobre Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos (IPBES). “Apenas algumas regiões nos polos, desertos e as partes mais inacessíveis das florestas tropicais permanecem intactas”, afirmou o sul-africano Robert Scholes, um dos coordenadores do relatório temático sobre Degradação

Especialistas alertam que a perda de biodiversidade ameaça bem-estar das gerações atuais e futuras

  Por Karina Toledo, de Medellín | Agência FAPESP     Os habitantes das Américas têm acesso a três vezes mais benefícios oferecidos pela natureza do que a média global dos cidadãos, porém, a maioria dos países da grande região que vai do polo Norte ao Sul está fazendo uso desses recursos de forma insustentável – excedendo a capacidade dos ecossistemas de se renovar e promover qualidade de vida. As Américas abrigam 13% da população

Corredores de conservação podem salvar os habitats naturais?

  ALERT - alert-conservation.org   Os ecossistemas estão sendo rapidamente fragmentados à medida que a pegada humana se espalha pela Terra. Mason Campbell, da ALERT, da James Cook University, na Austrália, nos conta sobre uma importante iniciativa que pode ajudar a natureza a sobreviver ao ataque. Os seres humanos estão rapidamente destruindo o mundo natural, isolando as populações de animais selvagens e tornando-as mais propensas à extinção. Isso está acontecendo mais rápido hoje do que nunca. As

No Senado, projeto de lei que permite plantio de cana na Amazônia tem votação adiada

  Agência Senado Foi adiada mais uma vez a votação do projeto que autoriza o plantio de cana-de-açúcar em áreas já alteradas e nas áreas do bioma Cerrado e dos campos gerais situadas na Amazônia Legal. O texto (PLS 626/2011) é polêmico porque, apesar do potencial econômico apontado pelos seus defensores, críticos da mudança alegam que há riscos ambientais. De acordo com o presidente do Senado, Eunício Oliveira, o adiamento se deu em

Pesquisa indica que vítimas de racismo têm maior chance de sofrer transtornos mentais

  Fiocruz Bahia A saúde mental de mulheres brasileiras pode ser prejudicada ao sofrer preconceito por causa da cor da pele, tanto na dimensão pessoal quanto em grupo, aumentando em até 70% a chance de sofrer transtornos mentais comuns (TMC). Essa foi a conclusão de um estudo feito pelo pesquisador e coordenador do Centro de Integração de Dados e Conhecimentos para Saúde (Cidacs) da Fiocruz Bahia, Maurício Barreto, em conjunto com pesquisadores do Instituto

Top