Portal EcoDebate: Índice da edição nº 1.978, de 12/12/2013

    Combustíveis fósseis dominarão a matriz energética até 2040, artigo de José Eustáquio Diniz Alves Ir pela escada é bom para a saúde, artigo de Fabio Ravaglia Gás de xisto no Brasil: os problemas que se avizinham, artigo de Raul do Valle Nutrientes na medida certa, artigo de Hélio Castello Cana na Amazônia: pressão para mais desmatamento, artigo de Flávia Camargo O Brasil na COP19: mais do mesmo? por Pedro da

Combustíveis fósseis dominarão a matriz energética até 2040, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] A boa notícia no campo energético é que as fontes renováveis são as que mais crescem no mundo atualmente. A capacidade instalada solar global cresceu 41% em 2012, alcançando a marca de 100 GW (1 GW, gigawatt = 1000 megawatts, MW), sendo que o aumento desde 2007 foi de cerca de 900%. Já a capacidade instalada da energia eólica chegou a 300 GW. A má notícia é que os combustíveis

Ir pela escada é bom para a saúde, artigo de Fabio Ravaglia

    [EcoDebate] Fazer atividade física é sabidamente necessário e, talvez nem fosse necessário falar sobre isto se todos tivessem o hábito de praticar atividades físicas. Pessoas fisicamente inativas, infelizmente, ficam com as portas abertas para certas doenças. O difícil é mudar o hábito da falta de atividade física e do sedentarismo. Há muitas possibilidades de atividades físicas, mas nem sempre as pessoas encontram o gosto e determinam uma rotina para praticá-las.

Gás de xisto no Brasil: os problemas que se avizinham, artigo de Raul do Valle

    Na última quinta (5/12), houve uma excelente audiência pública, convocada pela Comissão de Meio Ambiente da Câmara dos Deputados, para discutir a exploração de “gás de xisto” no país, cujo pontapé inicial foi dado pela Agência Nacional do Petróleo (ANP) na semana retrasada, após malandramente dar um “drible da vaca” no Ministério Público Federal (saiba mais). Diferentemente da audiência ocorrida alguns meses atrás no Senado, esta contou com representantes da área

Cana na Amazônia: pressão para mais desmatamento, artigo de Flávia Camargo

  No momento em que as taxas de desmatamento na Amazônia voltaram a elevar-se, o Senado pretende aprovar o Projeto de Lei do Senado (PLS) 626/2011 que autoriza o plantio de cana nas áreas alteradas em geral e nas áreas de Cerrado e “Campos Gerais” da Amazônia Legal. A proposta poderá contribuir direta ou indiretamente para elevar ainda mais o desmatamento que, no último ano, aumentou quase 30%. Ironicamente, o projeto coloca

O Brasil na COP19: mais do mesmo? por Pedro da Motta Veiga e Sandra Polónia Rios

  Ambientalistas e os diplomatas não esperavam grandes avanços na cúpula do clima da ONU   [O Estado de S.Paulo] Nas negociações climáticas multilaterais, o Brasil é um ator central, mas que opera aquém de suas potencialidades, em razão de suas opções de política e estratégia negociadora. Exemplo disso foi a estratégia adotada pelo País na COP 19, de Varsóvia, realizada na segunda quinzena de novembro. O País tem condições naturais e físicas que

Atingidos e ameaçados por usinas na Amazônia protestam no dia dos Direitos Humanos

    Foto: Brent Millikan Nesta terça, 10, Dia Internacional dos Direitos Humanos, indígenas e organizações de representação e apoio a populações atingidas e ameaçadas pelas hidrelétricas de Belo Monte, do rio Tapajós e do rio Teles Pires fizeram uma série de manifestações exigindo celeridade do Judiciário no julgamento de ações contra a violação de direitos. Em Brasília, cerca de 50 Munduruku de aldeias do Alto e Médio Tapajós, no Pará, ocupam desde o

Governo é contra a PEC 215, diz Maria do Rosário no Fórum Mundial de Direitos Humanos

    Brasília - A ministra da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, Maria do Rosário, disse ontem (11) diante de representantes de povos indígenas de todo o país que o governo é contra a proposta de Emenda à Constituição (PEC) 215/00, que transfere para o Congresso a prerrogativa de demarcar terras indígenas. "Não queremos a PEC", disse e ressaltou que a proposta fere os direitos indígenas, "que são parte

Top