Portal EcoDebate: Índice da edição nº 1.867, de 01/07/2013

    Golpe de direita em curso? artigo de Montserrat Martins O Brasil com S, a Amazônia e o desenvolvimento sustentado, artigo de João de Deus Barbosa Nascimento Júnior Transporte e Mudança Climática, artigo de Vanessa da Costa Áreas protegidas perto do PAC têm mais desmate As muitas pedras no meio do caminho, artigo de Washington Novaes Código da Mineração atenta contra áreas protegidas, por Aldem Bourscheit 'O sistema de transporte público

Golpe de direita em curso? artigo de Montserrat Martins

    [EcoDebate] Tantos amigos me advertindo sobre um golpe de direita em curso, com essas manifestações de rua, que comecei a ficar preocupado. Decidi ficar atento aos sinais, o que seria afinal uma política de “direita”? Já que no Brasil hoje ninguém mais se diz de direita (o PP, herdeiro da antiga Arena, está no governo federal), vou tentar identificar a direita por suas práticas. Vamos ver, começando pelas questões macroeconômicas. Primeiro:

O Brasil com S, a Amazônia e o desenvolvimento sustentado, artigo de João de Deus Barbosa Nascimento Júnior

    [EcoDebate] A rápida expansão demográfica mundial; 1 bilhão de pessoas em 1830, 2 bilhões em 1930, 3 bilhões em 1960, 4 bilhões em 1975, 5 bilhões em 1990, 6 bilhões em 2000, um pouco mais de 7 em 2010, 8 em 2025 e talvez mais de 9,5 bilhões em 2050, mostra a evolução demográfica da humanidade nestes dois últimos séculos. O atual quadro de segurança alimentar mundial que atualmente atinge

Transporte e Mudança Climática, artigo de Vanessa da Costa

    [EcoDebate] As condições do transporte público no Brasil são um grave caso de desrespeito aos direitos humanos e a maioria dos estudantes e trabalhadores do país vive isso diariamente. Paga-se, ainda, um preço abusivo por esse serviço. Essa foi a gota d’água que levou milhares de manifestantes às ruas nos últimos dias, mas as reivindicações vão muito além da questão dos transportes, incluindo, saúde, educação, segurança e combate à corrupção. Lutar

Áreas protegidas perto do PAC têm mais desmate

    As áreas protegidas mais desmatadas da Amazônia no período de agosto do ano passado a março deste ano estão concentradas em torno das obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). É o que mostra um estudo feito pelo instituto de pesquisas ambientais Imazon, baseado em Belém (PA). A reportagem é de Giovana Girardi e publicada pelo jornal O Estado de S. Paulo, 29-06-2013. O trabalho levou em conta os alertas de

As muitas pedras no meio do caminho, artigo de Washington Novaes

  Foto em A Pública, Agência de Reportagem e Jornalismo Investigativo   [O Estado de S.Paulo] Durante caminhada por um parque público, o autor destas linhas ouviu trechos da conversa entre dois senhores com mais de 60 anos: "O problema é o aparelhamento do poder pelos partidos que estão no governo federal e até em outros; só interessa, só se faz o que é conveniente para manter no poder o pessoal desses partidos;

Código da Mineração atenta contra áreas protegidas, por Aldem Bourscheit

  © Roger LeGUEN / WWF-Canon   [WWF Brasil] O Governo Federal enviou ao Congresso na última terça (18) um conjunto de projetos de lei para estabelecer um novo marco regulatório para a mineração no país. No pacote, uma proposta do deputado Vinícius Gurgel (PR-AP) quer abrir 10% de parques nacionais e outras unidades de conservação de proteção integral para mineração, uma atividade altamente impactante. Para isso, bastaria às empresas doarem aos órgãos ambientais

‘O sistema de transporte público não pode ser indutor de custo social’, entrevista com Fernando Macdowell

  Em meio a manifestações de todo o país, várias cidades voltaram atrás no reajuste do preço das passagens e a presidente Dilma Roussef prometeu mais investimento na área. Nesta entrevista, Fernando Macdowell, engenheiro de transportes e ex-diretor do Metrô Rio, analisa a situação do transporte no Brasil. Além de concordar que as condições são péssimas, ele garante: a saída para baixar as tarifas não é criar mais subsídios, mas fazer

Copa do Mundo: gastos públicos excessivos e desvirtuados. Entrevista com Rafael Bittencourt

  “As reivindicações podem ser resumidas no canto popular: ‘Da copa, da copa eu abro mão, quero o dinheiro para saúde, moradia e educação’”, diz membro do Comitê Popular de Atingidos pela Copa – COPAC. Confira a entrevista. Foto: http://www.otempo.com.br As manifestações que ocorreram em Belo Horizonte nos últimos dias, especialmente na quarta-feira, durante jogo do Brasil e Uruguai pela Copa das Confederações, demonstram que “a realização dos megaeventos está sendo feita em detrimento

MTE atualiza cadastro dos exploradores de mão de obra análoga à de escravo

    No cadastro foram incluídos 136 nomes de empregadores e 06 reinclusões por determinação judicial, além de 26 exclusões O Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) atualizou, nesta sexta-feira (28), o cadastro de empregadores flagrados explorando mão de obra análoga à escrava no país. No cadastro foram incluídos 136 nomes de empregadores flagrados mantendo trabalhadores em condições análogas às de escravo, além de seis reinclusões por determinação judicial. Além disso, 26 empregadores foram

MT: fazendeiro e dois funcionários são condenados por manter pessoas em condições degradantes de trabalho

    Condenação é resultado da ação do Ministério Público Federal em Cáceres, em 2010. Envolvidos terão pena de reclusão convertida em prestação de serviços e ao pagamento de mais de R$ 42 mil de multa O proprietário da fazenda Lagoa do Guaporé - Barra do Prata Agropecuária S/A, no município de Pontes e Lacerda (MT), e dois funcionários foram condenados por submeterem dez pessoas a condições semelhantes à escravidão. A condenação é

MPF/PA denuncia responsáveis por trabalho escravo

    Em Goianésia, no sudeste do Estado, sete trabalhadores foram resgatados; já em Prainha, no Baixo Amazonas, foram onze libertados O Ministério Público Federal no Pará (MPF/PA) denunciou nas duas últimas semanas dois casos de submissão de trabalhadores a trabalho escravo. Em um dos casos, o denunciado era o responsável por uma carvoaria em Goianésia do Pará, no sudeste do Estado, onde foram encontrados sete trabalhadores submetidos a condições semelhantes às da

Top