SC: O novo projeto da CASAN poderá destruir a Praia de Canasvieiras? artigo de Ana Echevenguá

 

[EcoDebate] Início de junho de 2012. A maré está alta e as águas do mar de Canasvieiras estão verdes. Os verdes mares do sul! As gaivotas retornaram. Os pescadores esperam pacientemente a tainha. Apesar de estarmos no outono, os dias ensolarados permitem um agradável banho de mar.

Água limpa e banho de mar saudável em Canasvieiras… ah! Isso é sadia qualidade de vida que precisa ser perpetuada. De que forma? Quem vive aqui o ano inteiro sabe que, com a chegada dos turistas na alta temporada, tudo muda. A balneabilidade desaparece porque a prefeitura contratou uma empresa para tratar o esgoto e esta não cumpre sua obrigação.

Este fato gerou, em 2010, a fundação do Movimento SOS Canasvieiras. Seu grito de guerra é: Queremos praia limpa! Mas, a coleta de mais de 3.000 assinaturas, inúmeras reuniões com autoridades, instauração de um inquérito civil, audiências públicas, … não foram suficientes para segurar a poluição crescente da águas dos rios e mar.

Os últimos verões foram caóticos. Os problemas de saúde que isso acarreta, com dados fornecidos pelos órgãos oficiais de Santa Catarina, exigiriam a interdição da praia. Um problema de saúde pública.

O vertiginoso crescimento do número de casos de diarreias no Norte da Ilha, especialmente em Canasveiras, está sendo denunciado pela ONG SOS Canasvieiras e se deve ao transborde frequente da estação de tratamento de esgoto da Casan no local. Um dia a casa cai”. http://wp.clicrbs.com.br/cacaumenezes/2012/02/15/impasse/?topo=67,2,18,,38,e289

Mas, pasmem: isso pode ficar pior!

Por quê? Porque a nossa ETE – Estação de Tratamento de Esgotos – vai receber o esgoto produzido nos bairros Ingleses, Jurerê Tradicional, Pontas das Canas. Além do esgoto do bairro Cachoeira de Bom Jesus, cuja rede já foi implantada e conectada à referida ETE.

Há, neste caso do novo projeto da CASAN (Companhia Catarinense de Águas e Saneamento), uma porção de pontos de interrogação quanto aos números que envolvem este projeto:

– quem deu a benção para essas obras?

– por que não projetaram uma ETE para cada um desses bairros?

– cadê a participação popular nessa tomada de decisão?

– quanto de esgoto esta ETE receberá?

– qual o impacto dessa centralização de esgoto nas nossas águas?

– este projeto é contemplado pela atual LAO (Licença Ambiental de Operação) ou seria necessário outro processo de licenciamento para a recepção dessa nova lega de esgoto?

Há uma infinidade de questionamentos. Ajudem-me a compilá-las, por favor. Precisamos de técnicos que nos ajudem a entender os dados que nos foram repassados.

Por enquanto, há somente uma certeza: a ETE não trata corretamente o esgoto que hoje recebe. E o rio do Braz recebe seu efluente não tratado e o carrega para a praia de Canasvieiras, poluindo a maior parte da nossa Baía.

Mas, há uma luz no fundo do túnel. Os ensinamentos do Direito Ambiental. Se há dúvida quanto a qualquer atividade ou projeto impactante, Canasvieiras tem a seu favor o Princípio da Precaução. Traduzindo em miúdos, quer dizer: parem tudo até que tenhamos a certeza que as novas obras não causarão impactos negativos ao meio ambiente. É algo parecido com aquela máxima do trânsito: na dúvida não ultrapasse!

Claro que todos têm direito ao tratamento de esgoto. Isso é incumbência do Município. Mas, aqui, as sucessivas administrações não cumpriram tal obrigação porque contrataram uma empresa – CASAN  – que transformou a paradisíaca Florianópolis numa ilha cercada de esgoto. Um absurdo em uma cidade procurada pelo turista que paga para usufruir do contato com o mar, dos rios, das lagoas…

Por isso, precisamos de mobilização popular. Morador, turista, empresário, usuário, admirador de Canasvieiras… A situação é muito grave! Ajudem-nos a convocar todas as pessoas de bem para esta nova etapa da luta por “praia limpa”.

O primeiro passo é pedir a suspensão imediata das obras até que tenhamos todas as respostas aos inúmeros pontos de interrogação do projeto.

Ana Echevenguá – advogada ambientalista – OAB/SC 17.413
ana@ecoeacao.com.br
Instituto Eco&Ação –
www.ecoeacao.com.br

EcoDebate, 04/06/2012

[ O conteúdo do EcoDebate é “Copyleft”, podendo ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, ao Ecodebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate
Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta clicar no LINK e preencher o formulário de inscrição. O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Alexa

17 comentários em “SC: O novo projeto da CASAN poderá destruir a Praia de Canasvieiras? artigo de Ana Echevenguá

  1. Que reportagem rídicula….
    Todos que acompanham o problema de Canasvieiras sabem que foram instalados equipamentos para atender o verão. Você realmente acha que uma empresa do porte da casan não possui funcionários qualifiacdos e com experiência para produzir projetos de adequação da Estação de Tratamento??? Será realmente que os hotel dsees balneário possuem seus esgotos conectados na rede da Casan e pagando por isso?? Será que não há redes clandestinas jogam esgoto bruto direto no mar? Você acha que as estações de tratamento não são fiscalizadas pela Fatma??? Será que, com toda sua inteligência, você acha que todo bairro deva ter uma ETE???Se você acha que a casan cercou a Ilha de esgoto, imagine nossa ilha sem tratamento?? Lembrás da Baía Norte fedendo??

  2. Tirem as ETES e vejam como ficará esse “paraiso” que era Floripa… seria melhor distribuir rolhas para a população não mais defecar! O esgoto existe e está cada vez maior em função da ocupação desenfreada de toda a ilha.

    Não foi a CASAN que poluiu as praias e sim ela tenta despoluir e recebe esse ingrato julgamento de quem parece ter interesses particulares!

  3. Não, para com isso. Que perguntas idiotas;
    Não um projeto desse porte não tem Licença Ambiental não queridos. Quanta falta de conhecimento.
    É acho melhor continuar a se despejar esgoto in natura no mar que polui menos.
    Ainda bem que eu não fui trabalhar na área de meio ambiente.
    Pq chega a dar nojo essas pessoas que são tão retrogradas que cobram obras de melhorias que elas mesmo barram.
    Vai te instruir um pouco ok.

  4. Prezada Echevenguá,

    Em primeiro lugar favor se inteirar dos projetos que a CASAN implantará no município de Florianópolis, onde haverá grande ampliação da coleta e tratamento de esgoto;
    Em segundo lugar mais respeito aos profissionais da empresa onde temos colegas com título de doutor e sabemos das etapas para implantação de um projeto (inclusive licenças ambientais);
    Outrora não houve o aporte finaceiro suficiente, pois ou fornecia água ou tratava-se o esgoto. Qual a senhora optaria para sobrevivência???

  5. Ana, vá estudar antes de falar besteira… Não se constói uma ETE em cada bairro… Imagina o custo, da obra, da manutenção, de funcionários… Além do mais, a ‘descentralização” já provou que é uma farsa…

  6. Ana, qual a proposta da população para o esgoto de suas casas?
    Muito fácil reclamar dos sistemas de esgotamento sanitário e não apresentar uma solução alternativa. Enquanto vocês reclamam, vocês continuam a produção de esgoto. Ou vocês param enquanto inibem a construção de um processo?

    O quê a população local diz enquanto tentam “dar um jeitinho” tentando enrolar a CASAN e a Vigilância Sanitária” para não ligar suas casas à rede coletora de esgoto, pois não querem lacrar suas fossas e quebrar suas calçadas?

  7. “Mas, aqui, as sucessivas administrações não cumpriram tal obrigação porque contrataram uma empresa – CASAN – que transformou a paradisíaca Florianópolis numa ilha cercada de esgoto.”

    Quem produz o esgoto não é a CASAN; quem dera que assim fosse, seria fácil resolver o problema; mas sim todos nós.
    O que me assusta nisso tudo é saber que essa matéria (???) foi escrita por uma advogada ambientalista (usando a forma como a autora assinou), que, de forma teórica, deveria ter o mínimo de conhecimento na área.
    Assim fica difícil resolver o problema.

  8. Vivemos em uma democracia por isso aceitamos opiniões diversas e qualquer um pode escrever o que quiser, mas não subestimem a inteligência e a FORÇA da comunidade.

    Hoje pagamos MUITO CARO por um LIXO de serviço, e se pudemos nós “fechamos negócio” com os ferrenhos defensores da CASAN, abram mão da cobrança das ricas taxas de coleta que abrimos mão do (des)serviço prestado por ela.

    Curioso é que todos os comentários favoráveis ao “brilhante” serviço prestado pela empresa sempre são conjugados no FUTURO, irão construir, irão…irão… irão… cobram A VISTA mas o serviço fica para depois… no depois culpam o crescimento desenfreado, a sempre culpada população, falta de recursos(?) e etc…

    … Se cobra para executar um serviço FAÇA-O! Agora se não tem competência pendure o boné e deixe outros tentarem resolver o problema de forma séria e transparente.

    Quem PLANEJA antecede-se aos acontecimentos e DISCUTE com a comunidade e não faz as coisas às escuras, sorrateiramente.

    CREDIBILIDADE se conquista com TRANSPARÊNCIA.

    Quem acredita que a comunidade está “louca” em rejeitar investimentos na região que apoie-se na matemática e veja o tamanho da casa (estação de tratamento) que querem colocar uma cidade inteira (norte da ilha). Caminhamos para a completa INTERDIÇÃO da praia de Canasvieiras e isso interessa a quem?

    Ao ler os comentários ácidos contra a população (como sempre paga o pato) pergunto-me a qual “cabide” os críticos estão agarrados… mas isso faz parte…

    Não acreditem que a blogueira está delirante e sozinha nesta empreitada.

    Mostraremos A FORÇA DA COMUNIDADE!!!

    E acreditem….. AQUI NÃO! nos levarão a cabresto!!!

  9. Não preciso escrever nada a respeito, o comentarista Gustavo foi brilhante na sua colocação.

  10. Moro em São Paulo mas estou sempre antenada nas notícias daí, por vínculos familiares..e pelo que me consta a coisa tá feia em termos de saneamento básico.
    Minha filha de seis anos contraiu uma virose muito séria nas águas do mar de Canasvieiras e Cachoeira nesta última temporada!
    Porque os próprios moradores destes bairros não tomam banho de mar no norte da ilha?
    Não vejo a advogada ambientalista como uma pessoa sem conhecimento.
    Quem teria interesse em desestabilizá-la?

  11. Miriam, boa noite.

    A situação é bem simples. A CASAN é uma estatal que não é fiscalizada. Ela se autofiscaliza. Os órgãos fiscalizadores nada fazem porque – apesar de contarem com técnicos eficientes – não são os tomadores de decisão. Esta fica com os “amigos do rei”.

    Desde 2010, lutamos pela despoluição da nossa praia. E não obtivemos êxito em virtude disso: interesses político-partidários.

    A solução – por enquanto – é não trazer sua filha para adoecer aqui… é o que fazemos com nossos filhos e netos.

    Um abraço.

  12. Quantos comentários de abafamento a Advogada Ana recebeu??? Que coisa burra essas pessoas penduradas na CASAN escreveram???!!! KKKK Ficou claríssimo que eles sao responsaveis, participam e tem consciencia do erro tecnico, publico e legal que estao cometendo contra a populaçao de Canas Vieiras e contra toda a Economia local. Até hoje nao entendo por que o presidente da CASAN ganhava um salario maior que a presidente da Republica???? Que por sinal deveria ter sido investido na modernizaçao de seus metodos antiquados de tratamento… Que tal viajarem ou trazerem tecnicos da Europa mais com açoes inovadoras e ambientalmente corretas? Vejam as inúmeras irregularidades nesta empresa que insiste em colocar politicos e nao técnicos em sua Diretoria: http://vaniocbossle.blogspot.com.br/2012/04/gratificacoes-irregulares-na-casan.html

  13. Estas sete críticas” ferrenhas ” estão muito estranhas! Parece que foram “encomendadas”, devido a sequencia em que foram escritas. Uma atrás da outra…em dia e horário!
    Será que são todas do mesmo “departamento”, com a mesma intenção de denegrir uma luta que é comunitária?

  14. Caro Sr. Henrique Cortez. Parabéns pela liberdade de expressão admitida em seu website. Precisamos de ferramentas como essa: onde todos possam manifestar suas opiniões.

    A Ilha da Magia experimenta um sério problema de saúde pública e de proliferação de crimes ambientais que precisam ser sanados. A Administração Pública está “matando a galinha dos ovos de ouro”. Vivemos do turismo de verão! O turista procura nossas praias e lagoas… Obrigada pelo espaço oportunizado.

  15. Cara Paula, ridiculo é sua resposta a um problema enorme.
    Acho até que você nunca frequentou a praia de Canasvieiras. Sugiro que informe-se melhor antes de comentar um artigo tão importante para a cidade de Florianópolis.

  16. “O QUE ME PREOCUPA NÃO É O GRITO DOS MAUS. É O SILÊNCIO DOS BONS.
    Martin Luther King

    Cara Ana Echevenguá, desconsidere o que foi dito de negativo… eles não sabem o que dizem, pois estas pessoas não existem.
    Continue o seu trabalho e não estarás sozinha.

Comentários encerrados.

Top