Índice da edição de 26/02/2009

A crise é do modelo civilizatório, artigo de Roberto Malvezzi (Gogó) Economia Ambiental e Sociedade, artigo de Carol Salsa Nova pesquisa reafirma que o aumento nas temperaturas globais pode causar severos impactos Impactados pela UHE Estreito se reúnem com Incra e MPF sem presença do consórcio empreendedor Estudo na Suécia propõe estratégia para vencer resistência de células de câncer de mama à droga tamoxifeno Aquecimento dos Pólos é muito maior que se imaginava Uso de anorexígenos

A crise é do modelo civilizatório, artigo de Roberto Malvezzi (Gogó)

Imagem: Stockxpert [EcoDebate] É comovente – sem nenhuma ironia – o esforço de Obama de reerguer os Estados Unidos. As propostas no campo das energias limpas, prometendo milhões de empregos e propondo novas tecnologias são saídas inteligentes, para o futuro. O próprio presidente americano já admitiu que “talvez não voltemos a ser mais o que éramos”. Mas, partiu no rumo certo. 10354

Economia Ambiental e Sociedade, artigo de Carol Salsa

[EcoDebate] Hoje em dia fixou-se patente, como conseqüência de uma crescente conscientização ecológica, a necessidade de ter em conta as múltiplas relações entre a economia e o meio ambiente. O novo paradigma que se reformula está baseado na sustentabilidade global do desenvolvimento, através do uso de uma economia ecológica. Esta nova estrutura econômica permitirá manter um equilíbrio econômico-ecológico a nível mundial e obter assim mesmo um maior conhecimento da realidade.

Nova pesquisa reafirma que o aumento nas temperaturas globais pode causar severos impactos

[Por Henrique Cortez, do Ecodebate] Um novo estudo tenta atualizar algumas das conclusões do Terceiro Relatório de Avaliação do Painel Intergovernamental sobre as Mudanças Climáticas (IPCC), avaliando os diversos cenários previstos de acordo com as faixas de aumento de temperaturas. O estudo concluiu que, mesmo um baixo nível de aumento nas temperaturas médias globais, devido às emissões de gases de estufa, poderia causar problemas significativos em cinco áreas-chave da preocupação mundial.

Impactados pela UHE Estreito se reúnem com Incra e MPF sem presença do consórcio empreendedor

O principal encaminhamento foi a presença do Ceste nas próximas reuniões O Consórcio Estreito Energia (Ceste), responsável pela construção da UHE de Estreito, não compareceu à reunião marcada para esta terça-feira, na sede da Comissão Pastoral da Terra, em Araguaína, realizada por recomendação do Ministério Público Federal para debater a situação dos produtores rurais clientes da reforma agrária que serão impactados pelo lago. Representantes dos projetos de assentamento da região, do

Estudo na Suécia propõe estratégia para vencer resistência de células de câncer de mama à droga tamoxifeno

Molécula torna tumor vulnerável - Cientistas europeus descobriram uma molécula capaz de quebrar a resistência de alguns tumores ao tamoxifeno, uma das principais drogas usadas no tratamento do câncer de mama. Os resultados, por enquanto limitados a experimentos in vitro e com camundongos, abrem mais uma porta de esperança para mulheres que hoje não respondem ao medicamento e, por isso, precisam recorrer a tratamentos mais agressivos, como a quimioterapia. Cerca de

Aquecimento dos Pólos é muito maior que se imaginava

Estudo mostra que o gelo derrete cada vez mais rápido na Groelândia Genebra - A Antártica está derretendo a um ritmo mais rápido que se imaginava. O alerta é de um estudo [State of Polar Research] realizado pela Organização Meteorológica Mundial (OMM), em colaboração com mais de mil especialistas sobre as regiões polares do planeta. A consequência será a elevação sem precedentes dos oceanos a níveis nem mesmo previstos pelo Painel

Uso de anorexígenos é abusivo: EUA, Brasil e Argentina são os maiores consumidores

Um novo relatório divulgado pelo International Narcotics Control Board (INCB), entidade ligada às Nações Unidas, mostra que Estados Unidos, Argentina e Brasil lideram o consumo de drogas anorexígenas, os chamados inibidores de apetite. Segundo o estudo, os três países responderam por 78% do consumo mundial desse tipo de estimulantes em 2007. No período, os Estados Unidos apresentaram um consumo de 9,5 doses diárias de anorexígenos para cada mil habitantes (S-DDD, na

Visão ambiental no setor energético: Ter ou não ter, por Míriam Leitão

[Panorama Econômico] O que que o Obama tem? Tem três pacotes, uma crise gigante e um rumo: quer usar os estímulos econômicos para sair da crise convertendo a economia americana a um outro padrão energético e de emissão de carbono. Aqui, o governo dá estímulos econômicos a esmo. Os usineiros podem ter bilhões do governo, mas sem qualquer contrapartida. Os usineiros estão pedindo prorrogação de dívidas ao BNDES e ao Banco

A Europa e a iniciativa dos três vintes, artigo de Luis Queiros

A segunda análise estratégica da política energética, divulgada no final do ano transacto pela Comissão Europeia, reafirma o compromisso na Iniciativa 20-20-20: conseguir até 2020 uma redução de 20% das emissões de gases com efeito de estufa; aumentar para 20% a quota das energias renováveis no consumo energético; e melhorar a eficiência energética em 20%. De entre as várias acções que se pretende levar a efeito no âmbito desta iniciativa, destacam-se

Sistema de manejo do bacuri no Maranhão reduz desmatamento e preserva a bacia amazônica

Com sabor e aroma agradáveis, além de muito nutritivo, o bacuri pode se tornar uma fruta de consumo generalizado no país, a exemplo do guaraná e do açaí (foto: José Silva). Depois do guaraná, do cacau, do açaí e do cupuaçu, hoje consumidos em todo o país, uma nova fruta pode seguir o mesmo caminho: o bacuri. Encontrado sobretudo na bacia amazônica (Pará, Maranhão, Mato Grosso e Piauí), o bacurizeiro é

Florestas desmatadas na Amazônia não recuperam sua biodiversidade

Desmatamento na Amazônia, em foto de arquivo Mesmo após décadas de regeneração, só um terço das espécies de grandes árvores retorna, apontam estudos A constatação de que 20% das áreas desmatadas da Amazônia têm florestas em regeneração coloca o Brasil no centro de uma discussão internacional sobre o valor ecológico das florestas secundárias. Elas merecem a mesma proteção legal de uma floresta primária? Até que ponto elas são capazes de recuperar a

Top