Prato feito na guerra das redes sociais, artigo de Montserrat Martins

    A guerra das redes sociais pressiona a “escolher um lado” e isso significa aderir ao “prato feito” do momento, onde você tem de consumir o que está posto, ou A ou B   [Ecodebate] Dá pra trocar o feijão por ovo? Uma alternativa importante num prato feito é poder fazer alguma troca de itens. Quando você está numa cidade desconhecida, ou num lugar não planejado, diferente de sua rotina, pode se defrontar

A epidemia de narcisismo, artigo de Montserrat Martins

    Epidemia de narcisismo [EcoDebate] Décadas atrás atendi uma senhora, deprimida, que não sabia dizer quais eram suas preferências pessoais, tudo que fazia era pela família, marido e filho. Eu propus um exercício que ela deveria fazer até a próxima sessão: se imaginar na “Ilha da Fantasia”, onde os seus desejos seriam realizados, me contando depois que desejos foram esses. Na sessão seguinte a paciente abriu o assunto assim: “Doutor, eu acho

Do bullying à loucura, artigo de Montserrat Martins

    [EcoDebate] “Obessão por games, abandono dos pais e bullying marcaram vida de atirador”, diz matéria jornalística sobre a tragédia paulista, onde dois jovens mataram outros oito e se mataram. Sequer usavam drogas, segundo a reportagem que ouviu familiares, que não imaginavam a possibilidade de comportamento violento. Como já aconteceu em casos semelhantes, em várias partes do mundo, os homicidas/suicidas tinham sido vítimas de bullying de colegas. Estratégias de enfrentamento do bullying

Fridays for Future – Uma geração que crê no amanhã do planeta, artigo de Carlo Petrini

  Fridays for Future A questão ambiental é “uma urgência que continuou crescendo entre uma geração que talvez seja a primeira a sentir ‘nas entranhas’ essas demandas. Esses jovens sentem dentro que não podem mais esperar, sabem que devem exigir respostas agora.” A opinião é do chef italiano Carlo Petrini, fundador do movimento Slow Food, em artigo publicado em La Stampa, 15-03-2019. A tradução é de Moisés Sbardelotto.     Eis o texto. Em uma época de

Brasil escolheu a cultura de morte, não da paz, artigo de Roberto Malvezzi (Gogó)

    [EcoDebate] A necrofilia faz parte de nossa história: o massacre de 10 milhões de indígenas, milhões de negros, de pobres em Canudos, Caldeirão, Contestado, Pau-de-Colher, os coronéis do sertão, chegam hoje às gangs e milícias das periferias urbanas brasileiras. Matar é constitutivo de nossa história. Porém, há novidade. A liberação de armas iria inevitavelmente incrementar a violência na classe média, à semelhança do que acontece nos Estados Unidos. É literalmente uma

Maioria das crianças não sabe distinguir armas reais de armas de brinquedo

Estudo destaca a necessidade de campanhas para educar os pais sobre a importância do armazenamento seguro de armas de fogo Por Márcia Wirth Um novo estudo descobriu que a maioria dos pais e cuidadores, incluindo os proprietários de armas de fogo, disse que estava confiante de que seus filhos poderiam distinguir entre uma arma real e uma arma de brinquedo. As próprias crianças também disseram que achavam que podiam reconhecer a diferença.

Diminuição da maioridade penal, você é contra ou a favor? artigo de Everson Araujo Nauroski

    Maioridade penal [EcoDebate] O título desse artigo, em forma de uma pergunta simples, já se apresenta como uma provocação. Não é dessa forma que muitas vezes a imprensa apresenta um problema complexo ao cidadão comum? O polêmico Projeto de Emenda Constitucional 171 que prevê a diminuição da maioridade penal de 18 para 16 anos tem sido tema de inúmeros debates entre opositores e defensores dessa proposta. Os que defendem a redução costumam argumentar

15/3 – A greve global dos adolescentes pelo clima; análise de Luiz Marques (IFCH/Unicamp)

  Esse movimento é o ponto de luz no cenário de chumbo em que estamos. Ele se insurge contra a apatia ou mesmo a cumplicidade dos adultos no que se refere à aceleração em curso das mudanças climáticas. No âmbito desse movimento, que vem crescendo e que esperamos cresça cada vez mais, ocorrerá no próximo dia 15, sexta-feira, uma greve global dos adolescentes pelo clima. Também os estudantes brasileiros começam agora

Bem vindos à Era Binária, artigo de Montserrat Martins

    Era Binária [EcoDebate] 2019 começa agora, depois do carnaval, e vai ser um ano agitado. Quem procura emprego torce para que seja uma agitação boa, de reaquecimento da economia. Quem já trabalha teme ser afetado pela reforma da Previdência. As redes sociais continuam “nervosas”, como se as eleições de 2018 não tivessem acabado. Quem perdeu a eleição fustiga o governo. E o governo se dedica a governar fustigando a oposição, até pelo

Feminicídios e casos de extrema violência nos dias que antecedem o Dia Internacional da Mulher

  Feminicídios mais que dobraram entre 2017 e 2018 O carnaval que antecedeu este Dia Internacional da Mulher, 8 de março, foi marcado por casos de feminicídio e de extrema violência contra as mulheres na Região Sudeste, a mais rica e populosa do país. No interior de São Paulo, na cidade de Borborema, uma mulher de 29 anos foi morta por estrangulamento pelo próprio namorado. O crime ocorreu na madrugada de terça-feira (5). Na

As mulheres evangélicas pobres e a eleição de Bolsonaro, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] O sociólogo Marcos Coimbra afirmou ao jornalista Mauro Lopes do canal “Paz e Bem” (e à TV) 247 que a parcela feminina pobre e evangélica do eleitorado foi quem decidiu a eleição presidencial de 2018 a favor do presidente Jair Bolsonaro. Com base no gráfico acima, o presidente do Instituto Vox Populi afirmou que, nas semanas anteriores ao pleito, a diferença entre Fernando Haddad e Jair Bolsonaro se manteve estável

Do rural às localidades; das ruralidades ao enfrentamento do capital, artigo de Julio Cesar Pereira Monerat

    Do rural às localidades; das ruralidades ao enfrentamento do capital Julio Cesar Pereira Monerat Professor do IF Sudeste MG – Campus Muriaé Doutorando em Serviço Social - UERJ   [EcoDebate] Todo mundo tem uma ideia do que é o mundo “rural” na cabeça. Essas ideias certamente são muito variadas e podem se ter graus diferentes de profundidade, indo do senso comum até o estudioso do tema. Profundidade maior, no entanto, não garante convergência de sentido,

Top