Fracasso da Rio+20, artigo de Frei Betto

  Charge de Alecrim, no Humor Político http://www.humorpolitico.com.br [Correio Braziliense] Terminou em fracasso a Conferência da ONU para o Desenvolvimento Sustentável. Foram gastos US$ 150 milhões para promovê-la. Dinheiro jogado fora. Teria sido mais bem utilizado na preservação de florestas. O documento final, aprovado por 193 países, é pífio. Como nenhum país, sobretudo os mais ricos, queria se comprometer com medidas de curto prazo, o texto sofreu tantos cortes, para não desagradar a

Rio+20 vista desde a Cúpula dos Povos: A montanha pariu um rato. Entrevista com Ivo Poletto

  “O governo brasileiro demonstrou, uma vez mais, que tem ciência diplomática para ‘salvar conferências da ONU’”, ironiza assessor do Fórum Mudanças Climáticas e Justiça Social. Confira a entrevista. “É tal o assentimento da quase totalidade dos governos à ideia de que não haveria outra forma de promover o desenvolvimento econômico além do capitalismo, e de que, por isso, seria natural a existência e o agravamento das desigualdades sociais, bem como seria

‘Rio+20 é o piso, e não é o teto’ é uma frase triste e o recibo oficial do resultado pífio’. Entrevista com André Lima

  “A Rio+20 falhou ao não apresentar uma avaliação crítica responsável sobre a falha na implementação dos principais acordos de 1992 e no estabelecimento de metas ambiciosas para o futuro próximo”, avalia o advogado. Confira a entrevista “O maior problema não me parece que sejam os dissensos explícitos em frases ambíguas no insosso documento final da Rio+20, mas os acordos tácitos que ele cela. A não decisão que acomoda divergências é uma decisão

Avaliação da Rio+20: Entre a Fantasia e a Realidade, artigo de Valdeci Pedro da Silva

[EcoDebate] Até que enfim aconteceu a tão necessária Rio+20. Agora, vivemos o período pós Rio+20, no qual todos os erros do passado serão prontamente corrigidos. Todas as medidas para proteger e recuperar o meio ambiente serão implantadas, ou seja, o capitalismo será banido da face da Terra, a superpopulação humana será suplantada em pouco tempo, e tudo entrará em equilíbrio. Existem muitos pensadores que consideram a Rio+20 apenas como um

O que nos espera após o fiasco da Rio+20? artigo de Cândido Grzybowski

  "Barulho fizemos e até bastante. Mostramos, sobretudo no Aterro do Flamengo, a vibrante e até alegre diversidade que caracteriza os povos abrigados pelo Planeta Terra. Mas, é necessário reconhecer, faltou gente e nos faltou força para criar uma real densidade política democrática capaz de inverter o jogo ou, ao menos, ameaçar. Também, não conseguimos superar a nossa fragmentação", avalia Cândido Grzybowski, sociólogo e diretor do Ibase, em comentário publicado no

Rio+20: documento inócuo, platitudes ou um pequeno passo? artigo de José Eustáquio Diniz Alves

[EcoDebate] A Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável não esteve à altura das necessidades do momento histórico. Mas tentando superar o pessimismo, pode-se considerar que a Rio + 20 teve, numa conjuntura internacional desfavorável, pelo menos dois pontos positivos: a) mostrou os impasses para se regular o Bem Comum - chamado Terra - e as dificuldades que a ONU e os governos nacionais encontram para mudar o rumo que

Boaventura de Sousa Santos: ‘A economia verde é um cavalo de tróia invisível’

  Para Boaventura de Sousa Santos, a RIO + 20 demonstra que a sociedade não tem razões para ter esperanças nos governos e que o momento é de união de agendas entre as esquerdas. Cumprindo uma extensa agenda de compromissos na Cúpula dos Povos desde o dia 14 de junho, quando participou da oficina 'Saúde, sustentabilidade e bien vivir' promovida pela Universidade Popular de Movimentos Sociais em parceria com a Fundação Oswaldo

Cientistas não se veem representados no documento da Rio+20

  Charge de Alecrim, no Humor Político http://www.humorpolitico.com.br O portal SciDev fez um balanço do resultado da conferência e ouviu a opinião de representantes de entidades científicas, entre eles a presidente da SBPC, Helena Nader. Um documento não-detalhado, que não prima pela urgência em enfrentar as ameaças ao planeta nem valoriza o conhecimento científico como forma de alcançar o desenvolvimento sustentável. Essas foram algumas críticas que cientistas fizeram ao texto 'O Futuro que

Pós Rio+20 sociedade civil promete assumir as rédeas de ações ambientais

  Charge por Jarbas para o DP Net, no Humor Político – http://www.humorpolitico.com.br Insatisfeitas com resultados da conferência, organizações anunciam união em um movimento global. Ministério do Meio Ambiente diz que o Brasil doará US$ 16 milhões para reforçar fundo e programa da ONU. A Rio+20 terminou como um diálogo de surdos, em que os governos de 193 países reunidos no Rio de Janeiro pareceram não ouvir os apelos de milhares de organizações

Rio+20: As delícias da crítica fácil ou manifesto da contra-indignação, artigo de Álvaro Rodrigues dos Santos

  "A melhor maneira que a gente tem de tornar possível amanhã alguma coisa que não é possível de ser feita hoje, é fazer hoje aquilo que hoje pode ser feito. Mas se eu não fizer hoje o que hoje pode ser feito e tentar fazer hoje o que hoje não pode ser feito, dificilmente eu farei amanhã o que hoje também não pude fazer...". (Paulo Freire) [EcoDebate] Graças aos deuses e

Rio+20: ‘A grande derrota é a impotência da ONU para enfrentar problemas’. Entrevista com Liszt Vieira

  A governança global, um dos temas centrais da Rio+20, estava “posta na mesa e nem se quer foi discutida”, critica o ambientalista. Confira a entrevista. “De antemão, já se sabia que a conferência poderia ser considerada um sucesso diplomático, mas um fracasso ambiental”. É com essa declaração que Liszt Vieira diz ter confirmado sua expectativa em relação a Rio+20: “um fracasso anunciado”. Na avaliação do sociólogo, a presença dos chefes de Estado

A Rio+20 e a cartinha ao Papai Noel, por Henrique Cortez

  Para ouvir a versão em áudio do editorial, com apresentação de Henrique Cortez, basta acionar o player abaixo: [powerpress] [EcoDebate] A Rio+20 não foi um fracasso pelo simples motivo que, de verdade, ninguém esperava que fosse um sucesso. Tolices e bravatas à parte, ela apenas reforçou as críticas que o modelo consensual da ONU é insuficiente para liderar as transformações que se fazem necessárias. No entanto, em paralelo ao evento diplomático, ocorreram significativos

Top