Cresce movimento global contra a exploração não convencional de petróleo e gás por fraturamento hidráulico (fracking)

  Países, estados, províncias e municípios mundo afora têm se mobilizado para banir a prática, que contamina águas rasas e subterrâneas, impacta a produção e a saúde da população, além de intensificar as mudanças climáticas     O movimento contra o fracking, técnica para exploração não convencional de petróleo e gás, principalmente de xisto, tem ganhado força em diversas regiões do planeta. Recentemente, mais um país da União Europeia baniu definitivamente o método. Em

Fracking: MPF cobra posicionamento da ANP em relação à exploração do gás de xisto na 14ª Rodada de Licitações

    O órgão pede que a agência se manifeste sobre lacuna que permite a modalidade de extração e faça ajustes em pré-edital O Ministério Público Federal (MPF) pediu esclarecimentos à Agência Nacional de Petróleo (ANP) sobre a ausência de proibição para a exploração de gás de xisto ou de folhelho, extraído por fraturamento hidráulico em reservatório não convencional (fracking) no pré-edital da 14ª Rodada de Licitações de blocos para exploração e produção

Extremo oeste de São Paulo na mira da indústria do fraturamento hidráulico (fracking)

    Uma das áreas com menor desempenho econômico do Estado de São Paulo, região de Presidente Prudente se mobiliza para barrar investida da indústria do gás de xisto A Região Administrativa de Presidente Prudente, no extremo oeste de São Paulo, é uma das regiões mais pobres do estado. Abrangendo 53 municípios, ela é considerada uma das últimas fronteiras do desenvolvimento paulista, com presença constante nos noticiários que tratam de conflitos por terras.

Contaminação, escassez da água e terremotos minam ‘credibilidade’ do fraturamento hidráulico (fracking)

  Da 350.org Brasil e América Latina e COESUS Novo estudo qualitativo mostra que as pessoas estão preocupadas com os impactos ambientais e sociais e tendem a apoiar investimentos em energias renováveis   Berço do fraturamento hidráulico, ou fracking, os Estados Unidos vivem o que parecer ser o ocaso da tecnologia usada há décadas para extrair o petróleo e gás de xisto do subsolo. São incontáveis os sinais de que a fatura da produção

Movimento para banir o fracking une 46 cidades do Norte e Norte Pioneiro do Paraná

  População das duas regiões está mobilizada para aprovar legislação municipal que proíbe a extração de qualquer gás ou óleo não convencional do subsolo   Cresce exponencialmente a mobilização dos paranaenses contra o fraturamento hidráulico, tecnologia altamente poluente usada para explorar o gás do folhelho de xisto, também conhecida como fracking. Depois da maciça mobilização no Noroeste, Oeste, Sudoeste e região Central, agora mais 46 cidades das regiões Norte e Norte Pioneiro estão

COESUS e 350.org Brasil alertam para ameaça do fracking no Piauí

  Empresa Ouro Preto Óleo e Gás realiza duas audiências públicas no estado sobre licenciamento ambiental e assim iniciar a perfuração de poços para exploração de petróleo e gás Na próxima semana, a empresa Ouro Preto Óleo e Gás realiza duas audiências públicas nas cidades de Baixa Grande do Ribeira e Floriano, nos dias 14 e 16 respectivamente. Detentora dos direitos de exploração de blocos para exploração de petróleo e gás no

Informação e mobilização podem dar um basta à indústria do fraturamento hidráulico (Fracking) na América Latina

  É preciso ainda congelar qualquer tipo de investimento em combustíveis fósseis se quisermos evitar os devastadores impactos das mudanças climáticas   Ainda há muito a fazer para tornar a Argentina e a América Latina livres do fraturamento hidráulico, tecnologia altamente poluente usada para a exploração do gás de xisto do subsolo também conhecida como FRACKING, que está contaminando a água e o ar, prejudicando a economia e a saúde das pessoas e

Mais cidades brasileiras resistem à ameaça do fraturamento hidráulico (FRACKING)

Em menos de uma semana, mais duas cidades do Paraná aprovaram por unanimidade Projetos de Lei que proíbem extração do gás de xisto por fraturamento hidráulico Na terça-feira (27), vereadores de Cornélio Procópio, cidade no Norte Pioneiro do Paraná, aprovaram por unanimidade, em segunda discussão, o Projeto de Lei que proíbe a extração de gás de xisto do subsolo através da técnica do fraturamento hidráulico – mais conhecida como Fracking. Na

Maringá é a maior cidade brasileira a banir o fraturamento hidráulico (FRACKING)

  Vereadores da sétima cidade mais populosa da região sul do Brasil aprovam em primeira discussão PL que protege a população e a produção agrícola da contaminação. Os vereadores de Maringá aprovaram por unanimidade nesta quinta-feira, 15, o Projeto de Lei 13.986/2016 que proíbe a exploração do gás de xisto por fraturamento hidráulico, método não convencional altamente poluente conhecido por FRACKING. Após a aprovação em primeira discussão, a proposta deve ser apreciada

Aumenta número de cidades brasileiras livres da técnica do fraturamento hidráulico (FRACKING)

    Em decisão inédita do país, Arapongas (PR) proíbe exploração de gás de xisto antes de ANP leiloar o subsolo. Mais de 60 cidades baniram a técnica do fraturamento hidráulico que já está proibida em dezenas de países e amarga falência dos EUA. Por unanimidade, os vereadores de Arapongas aprovaram na noite desta terça-feira, 16, o projeto de Lei 08/2016 que proíbe a exploração de gás de xisto por fraturamento hidráulico, método

Fraturamento hidráulico (FRACKING) ameaça reservas subterrâneas de água do Brasil

    Sem água não há produção de alimentos, trabalho e saúde, não há vida. Fundamental para a sobrevivência de todas as espécies, a preservação das reservas subterrâneas de água é a garantia de que a vida como conhecemos hoje será possível no futuro. E esta proteção não é possível nos locais onde há exploração do gás de xisto pelo método não convencional chamado fraturamento hidráulico, ou FRACKING em inglês. A preocupação só

Para evitar FRACKING sobre o Aquífero Guarani, ambientalistas impedem avanço de caminhões ‘vibradores’ para o Uruguai

  Um grupo de ambientalistas das cidades de Concordia, Colón, Concepción del Uruguay e Chajarí (Argentina) evitou no último final de semana que um comboio de caminhões ‘vibradores’ e sísmica geológica seguisse da Argentina para o Uruguai. Estacionados próximo à rodovia que dá acesso à Rota 015, os caminhões foram impedidos de seguir viagem para a região onde seriam realizados testes ‘sísmicos’ para detectar presença de xisto e possibilitar a exploração

Top