Lapinha, paraíso natural e sagrado na Serra do Cipó em MG, artigo de Gilvander Moreira

  Lapinha da Serra, um paraíso natural e sagrado Gilvander Moreira1     Há quem acredita que só se pode chegar ao paraíso após a morte. No entanto, sem morrer, nos primeiros dias do ano de 2019, estivemos em um paraíso natural e sagrado: a Lapinha, na Serra do Cipó, no município de Santana do Riacho, MG. Por estrada rústica, ao longo de sete quilômetros da cidadezinha de Santana do Riacho até o vilarejo da

Estudo identifica novos trechos de vegetação natural na Mata Atlântica

  Preservação de 20% da cobertura vegetal das propriedades pode tornar a Mata Atlântica um exemplo mundial de restauração ecológica     A Mata Atlântica é o bioma mais devastado no Brasil, devido à urbanização, à industrialização e à expansão agrícola. De acordo com os levantamentos do SOS Mata Atlântica junto com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), apenas 16% da vegetação nativa não havia sido destruída, abrigando cerca de 23 mil espécies.

Tráfico de papagaios aumenta com a proximidade do Natal

  Programa Papagaios do Brasil, realizado pela SPVS, integra ações para a conservação de seis espécies Na última semana, a Secretaria de Estado do Meio Ambiente (SEMA) publicou a atualização da lista vermelha de espécies de aves ameaçadas de extinção no Paraná, trabalho realizado em conjunto com o Parque das Aves, o Instituto Ambiental do Paraná (IAP) e a Hori Consultoria Ambiental. A lista avaliou 762 espécies de aves com ocorrência no Estado,

A vida secreta das árvores e o déficit de natureza, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

"Este mundo curioso que nós habitamos é mais maravilhoso do que conveniente, mais bonito do que útil, mais para ser admirado e apreciado do que usado" Henry Thoreau (1817-1862) “O bem-estar e o florescimento da vida humana e da não-humana sobre a terra têm valor em si próprios (valor intrínseco, valor inerente). Esses valores são independentes da utilidade do mundo não-humano para os propósitos humanos” Arne Næss e George Sessions (1984)   [EcoDebate] O livro “A vida

Amazônia é totalmente estratégica para nossa sobrevivência enquanto espécie

  'Amazônia é totalmente estratégica para nossa sobrevivência enquanto espécie'. Entrevista especial com Marcela Vecchione Por Vitor Necchi e Patricia Fachin, IHU Nos últimos 60 anos, as propostas de desenvolvimento para a Amazônia e os povos tradicionais que habitam a região, como indígenas, quilombolas e amazônidas, visam “integrar a região - e as várias ‘regiões’ dentro da Amazônia - ao país”, diz a pesquisadora Marcela Vecchione à IHU On-Line. No entanto, lamenta, “dificilmente há um debate sobre desenvolvimento de dentro da região

Conservação de Paranapiacaba e entorno frente a projetos de novos empreendimentos, artigo de Sucena Shkrada Resk

Sobre o futuro da região de ecoturismo e de patrimônio histórico da rústica Vila de Paranapiacaba     Empreendimentos que por sua natureza econômica causam passivos ambientais devem obrigatoriamente, por determinação legal, antes de serem licenciados, esclarecer da forma mais transparente possível todos os cenários possíveis do comprometimento relacionado à sua atuação, que se refere a questões de ocupação e uso do solo, emissão de poluentes, interferência no planejamento urbano, comprometimento da biodiversidade,

Biodiversidade não é problema, é solução! O uso sustentável do ativos ambientais para impulsionar a economia

Essa é a principal mensagem do “Primeiro Diagnóstico Brasileiro de Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos”, que revela porque a conservação e o uso sustentável dos ativos ambientais do país devem ser elementos centrais, transversais e estratégicos – e não apêndices ou obstáculos – no projeto nacional de desenvolvimento socioeconômico; recém-lançado e assinado por mais de 100 cientistas, o documento é o mais completo levantamento sobre a temática já realizado no Brasil Por

Relatório Planeta Vivo 2018: população de animais das Américas Central e do Sul caiu 89%

  Relatório Planeta Vivo 2018: O declínio no tamanho das populações de animais vertebrados chegou a 60% em 40 anos. Nos trópicos, principalmente nas Américas Central e do Sul, a redução chega a 89% desde 1970. É o que aponta o Relatório Planeta Vivo 2018, lançado hoje (30) pela organização não governamental WWF - Fundo Mundial para a Natureza. ABr     Segundo o coordenador do programa Cerrado e Pantanal da WWF, Júlio César Sampaio, a

Extrativismo gera emprego, renda e movimenta economia em áreas protegidas no Rio Xingu

  Beneficiamento da castanha-do-pará - Parcerias entre moradores, organizações e ICMBio garantem renda digna ABr O dia começa cedo para a comunidade do Rio Novo, na Reserva Extrativista (Resex) do Rio Iriri, na região sudoeste do Pará. Às 5h, Marlon Rodrigues coloca no fogo a primeira panela com castanhas in natura. Esse é o início do processo de beneficiamento da castanha-do-pará realizada na miniusina de processamento de produtos extrativistas instalada na comunidade, que alcançou este

Por que minha saúde tem a ver com meio ambiente? artigo de Flávia Damaceno

  Cuidar da saúde também envolve cuidado com o ambiente     [EcoDebate] A saúde humana é um tema amplo e complexo, que envolve diversos fatores como variáveis a se considerar acerca de sua qualidade ou deficiência. Quando se fala em casos de saúde pública global, uma série de questões se relacionam a ocorrência de determinada doença, desde condições ambientais propícias à transmissão, aspectos socioeconômicos e de saneamento, até hábitos culturais. Contudo, mesmo que

Florestas ricas em espécies armazenam duas vezes mais carbono que monoculturas

  O nível total de sequestro de carbono e a conseqüente mitigação do aquecimento global só poderão ser alcançados com uma combinação de espécies.     Universidade de Zurique* Em 2009, o projeto BEF-China iniciou um experimento de biodiversidade em uma floresta, com a colaboração de instituições da China, Alemanha e Suíça. O amplo projeto investigou quão importante é a diversidade de espécies de árvores para o bom funcionamento dos ecossistemas florestais. Foram plantados grupos

Estudo avalia que títulos minerários em Terras Indígenas e Unidades de Conservação (UCs) são risco potencial

  Num momento em que aumentam as pressões para impedir a criação e reduzir o tamanho e o status de proteção de Unidades de Conservação no país, a existência de pedidos de pesquisa e autorizações de lavra em UCs e Terras Indígenas, ainda que suspensas, são risco potencial.     Estudo do WWF-Brasil divulgado hoje identificou nas Terras Indígenas e Unidades de Conservação (UCs) de proteção integral na Amazônia 5.675 processos de exploração mineral

Top