Terras indígenas da Austrália, Brasil e Canadá abrigam e protegem alta biodiversidade

    Estudo destaca a importância de colaborar com comunidades indígenas para proteger a biodiversidade Por Lou Corpuz-Bosshart * ** Mais de um milhão de espécies de plantas e animais em todo o mundo estão em extinção, segundo um recente relatório das Nações Unidas. Agora, um novo estudo conduzido pela UBC sugere que as terras administradas por indígenas podem ter um papel crítico em ajudar as espécies a sobreviver. Os pesquisadores analisaram dados de terras

As baleias-jubarte têm muito a nos ensinar, artigo de Sucena Shkrada Resk

  Companheiras, acolhedoras, resilientes, volumosas, ágeis e com um fôlego de dar inveja. Se pensarmos bem, temos muito a aprender com elas. Vocês já descobriram quem são estas personagens com tantos atributos? Não? Então, vamos desvendar este mistério: são as baleias-jubarte  (Megapteras novaeangliaes), também conhecidas por baleias corcundas, que em grupos têm protagonizado espetáculos à parte na costa sudeste brasileira, com seus saltos acrobáticos e peculiares cantos dos machos, desde o mês

Censo registra mais de 7 mil papagaios-de-cara-roxa no litoral paranaense

  Presença de animais como o papagaio-de-cara-roxa fortalece turismo de natureza e promove desenvolvimento econômico no litoral paranaense   Monitoramento demonstra população estável em relação à contagem de 2018. Créditos: Divulgação/SPVS.   Por Fernanda Umlauf O censo realizado no início de junho pelo Projeto de Conservação do Papagaio-de-cara-roxa no litoral do Paraná registrou uma população de 7.493 papagaios-de-cara-roxa (Amazona brasiliensis). O monitoramento demonstra uma população estável em relação à contagem de 2018, quando foram registrados 7.366

Desmatamento e caça ameaçam o macaco-barrigudo, um dos maiores primatas da Amazônia

  Macaco-barrigudo, primata da Amazônia, pode perder até 59% de habitat nos próximos 40 anos, aponta estudo Júlia de Freitas, Instituto Mamirauá De cabeça arredondada e pelagem escura, o macaco-barrigudo (Lagothrix cana), um dos maiores primatas da Amazônia, corre o risco de perder cerca de 59% de seu habitat até 2050 caso sigam altos os níveis de desmatamento, problema que, seguido da caça, mais ameaça a espécie.   A pesquisa que identificou esses dados demonstra

Áreas de proteção ambiental de territórios indígenas da Amazônia estão ameaçadas por projetos de desenvolvimento

    Iniciativas ferem as populações indígenas locais, ocasionando superlotação de áreas urbanas e aumento da pobreza Por Carolina Fioratti, Rádio USP Levantamento feito por pesquisadores de seis países mostra que 68% das áreas de proteção ambiental de territórios indígenas da Amazônia estão ameaçadas em razão de projetos de infraestrutura. Wagner Costa Ribeiro, professor da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP, comenta os impactos sobre as populações locais e os

Desvendar as complicadas relações entre as pessoas e a natureza para um futuro sustentável

  As pessoas e a natureza dependem umas das outras de maneiras complexas.   Crédito: Tim McClanahan, Sociedade de Conservação da Vida Selvagem   Um grupo internacional de cientistas está fazendo grandes avanços para sustentar os ambientes do mundo, desemaranhando as formas intricadas pelas quais as pessoas e a natureza dependem umas das outras. Os resultados são publicados na Nature Sustainability de hoje e incluem contribuições de uma equipe de cientistas do ARC Centre of Excellence

Por uma reserva legal justa, protetora e produtiva, artigo de Mercedes Bustamante

    [UNB] O Projeto de Lei (PL) apresentado pelos senadores Marcio Bittar (MDB-AC) e Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) que prevê o fim da Reserva Legal (RL) nas propriedades rurais é extemporâneo e raso. Extemporâneo porque a nova Lei de Proteção da Vegetação Nativa foi exaustivamente debatida até sua aprovação em 2012 e revista pelo STF em 2018. Raso porque não tem nenhum fundamento válido para propor o fim de tão importante pilar

Por que Angra dos Reis não deve se transformar em uma Cancún, artigo de Rita de Cássia Ariza da Cruz

  Por que Angra dos Reis não deve se transformar em uma Cancún [USP] Cancún, cidade localizada no estado de Quintana Roo, foi planejada pelo Estado mexicano, no final da década de 1960, para ser um balneário internacional, objetivo que, como todos sabem, foi alcançado. O que, todavia, muita gente desconhece, incluindo aqueles que fazem apologia ao “modelo Cancún”, é que, por trás de um destino turístico de sucesso, escondem-se profundas contradições

Áreas Protegidas: Por que, pra que e pra quem? Parte II, artigo de Ricardo Luiz da Silva Costa

    Por Ricardo Luiz da Silva Costa1 O sistema de Áreas Protegidas vigente no Brasil. Em rigor, no Brasil, diferente de outros países do mundo, a concepção de Área Protegida (AP) se confunde com o conceito de Unidade de Conservação (UC), muito embora existam outras tipologias de Áreas Protegidas (APs), além das Unidades de Conservação (UCs). Atualmente as UCs encontram-se sistematizadas por meio do já conhecido Sistema Nacional de Unidades de Conservação

Biodiversidade e meio rural, artigo de Roberto Naime

    [EcoDebate] Tanto a comunidade científica internacional quanto governos e entidades não-governamentais ambientalistas vêm alertando para a perda da diversidade biológica em todo o mundo. A degradação que está afetando o planeta encontra raízes na civilização humana contemporânea, agravada pelo crescimento explosivo da população e pela distribuição desigual da riqueza. A perda da diversidade biológica envolve aspectos sociais, econômicos, culturais e científicos. Em anos recentes, a intervenção humana em habitats que eram estáveis

Bolsonaro quer revogar decreto que criou a Estação Ecológica de Tamoios, no RJ

  O presidente Jair Bolsonaro disse ontem (28) que pretende transformar a Baía de Angra dos Reis, no litoral sul do estado do Rio de Janeiro, em uma "nova Cancún", e que, para isso, pretende revogar o decreto que criou a Estação Ecológica de Tamoios, que fica na região. Foi uma referência ao balneário mexicano conhecido internacionalmente pela beleza das praias e os grandes resorts e que atraem turistas do mundo

7 anos do Código Florestal: Apenas 4% dos imóveis rurais não cumprem a lei. Por que mudar?

  A quem interessa a MP 867 do Código Florestal? Estudo do Comitê Técnico do Observatório do Código Florestal (OCF) analisa o número de beneficiados com as alterações da Lei da Vegetação Nativa Brasileira (12.651/2012) previstas na MP 867/2018. A MP e suas emendas estão na pauta para a votação na Câmara dos Deputados a qualquer momento. Resumo do estudo A Medida Provisória (MP) 867/2018, que inicialmente alterava o prazo para adesão ao Programa

Top