Pequenos peixes podem não ser mais capazes de prosperar sob níveis de oxigênio decrescentes

  Um novo estudo revela que apenas a menor mudança nos níveis de oxigênio pode ter ramificações tremendas na cadeia alimentar. University of South Florida* O aumento das temperaturas está fazendo com que as regiões de águas intermediárias com oxigênio muito baixo, conhecidas como Zonas Mínimas de Oxigênio (OMZs), se expandam no leste do Oceano Pacífico Norte. Enquanto alguns organismos em certas regiões podem ser capazes de se adaptar, os pesquisadores descobriram que

Cientistas chamam a atenção para o lento progresso rumo às metas de biodiversidade das Nações Unidas

  Cientistas dos Estados Unidos e do Brasil alertam que o atual progresso global em direção às metas de sustentabilidade da ONU não é rápido o bastante para evitar a crise da biodiversidade Equipe elogia o amplo empenho, mas pede participação mais abrangente para melhor proteger os ecossistemas marinhos do mundo todo Academia de Ciências da Califórnia*     Cientistas dos Estados Unidos e do Brasil alertam que o atual progresso global em direção às metas

Mudança climática/perda de biodiversidade: Ameaças inseparáveis que precisam ser debatidas juntas

Perda de Biodiversidade - Modelos preveem aumento de 10 a 30 vezes nas terras agrícolas dedicadas à bioenergia PLATAFORMA INTERGOVERNAMENTAL DE POLÍTICA CIENTÍFICA SOBRE BIODIVERSIDADE E SERVIÇOS ECOSSISTÊMICOS (IPBES, em inglês)     A demanda por bioenergia para reduzir as emissões de CO2 procedentes de combustíveis fósseis pode causar um aumento de 10 a 30 vezes no uso relacionado à energia de áreas verdes nos próximos anos, acrescentando uma pressão esmagadora no habitat para

Biodiversidade não é problema, é solução! O uso sustentável do ativos ambientais para impulsionar a economia

Essa é a principal mensagem do “Primeiro Diagnóstico Brasileiro de Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos”, que revela porque a conservação e o uso sustentável dos ativos ambientais do país devem ser elementos centrais, transversais e estratégicos – e não apêndices ou obstáculos – no projeto nacional de desenvolvimento socioeconômico; recém-lançado e assinado por mais de 100 cientistas, o documento é o mais completo levantamento sobre a temática já realizado no Brasil Por

Pesquisa documenta os efeitos rápidos das mudanças climáticas nas plantas e seus ecossistemas

  Uma equipe internacional de pesquisadores descobriu que as mudanças climáticas estão alterando drasticamente as comunidades de plantas terrestres e seus ecossistemas, em um ritmo tão rápido que ter uma linha de base estável para realizar experimentos está se tornando cada vez mais difícil.     Villanova University* Em um artigo intitulado “Ambient changes exceed treatment effects on plant species abundance in global change experiments”, publicado recentemente na revista Global Change Biology , o autor

Mamíferos não evoluem rápido o bastante para escapar da atual crise de extinção

  Os humanos estão exterminando espécies animais tão rapidamente que a evolução não consegue acompanhar o ritmo. Um novo estudo mostra que, a menos que os esforços de preservação sejam reforçados, um número tão grande de espécies de mamíferos se extinguirá durante os próximos 50 anos que a natureza precisará de 3 a 5 milhões de anos para se recuperar Universidade de Aarhus* Nós humanos estamos exterminando espécies animais e vegetais tão rapidamente

O que está acontecendo com nossos mares?

  Em 2011, as temperaturas submersas subiram dois graus Celsius nas águas do oeste australiano - e assim permaneceram, bem acima do normal, por surpreendentes 10 semanas. Essa onda de calor punitiva mudou o ecossistema para sempre. Voltando cinco anos depois , os cientistas descobriram que 100 quilômetros de florestas de algas tinham sido destruídas - substituídas por peixes tropicais, subtropicais, algas e corais. Eles não esperam que as algas retornem. AMEAÇA PROFUNDA Agora está claro:

Brasil tem a maior biodiversidade de árvores do mundo; Das 8 mil espécies encontradas no país, mais de 2 mil estão ameaçadas

Cerca de 14% das mais de 60 mil espécies de árvores catalogadas no mundo são encontrados no Brasil, o que dá ao país o título de detentor da maior biodiversidade de árvores do planeta. A informação é de um estudo desenvolvido em 2017 pela Botanical Gardens Conservation International com base nos dados de 500 jardins botânicos. Completando esse cenário, a Lista Nacional Oficial de Espécies da Flora Brasileira Ameaçadas de

Pesquisadores alertam que conservar a Amazônia é questão ambiental, social e econômica

  Amazônia - Pesquisadores defendem base científica capaz de subsidiar políticas públicas que atendam questões relacionadas à sociedade, biodiversidade, meio ambiente e economia da região Por Maria Fernanda Ziegler, de Manaus, Agência FAPESP   A Amazônia é única. É a maior extensão de floresta tropical e o único lugar onde a própria floresta controla seu clima interno, impactando o mundo todo. Com sua biodiversidade ímpar, a Amazônia possibilita a manutenção de serviços ecossistêmicos e

Estudo publicado na revista Nature alerta para o colapso da biodiversidade global

  Estudo publicado na revista Nature ressalta que 3/4 de todas as espécies do planeta estão nos ecossistemas tropicais Um artigo publicado na revista Nature indica que apenas medidas urgentes podem reverter a perda de espécies nos ecossistemas tropicais, que concentram mais de 3/4 de todas as espécies do planeta, incluindo aves e corais. Segundo o estudo, realizado por pesquisadores de instituições de oito países, incluído o Museu Goeldi, os trópicos ocupam

Mudanças climáticas ameaçam pesca e vida marinha na corrente de Humboldt, afetando Chile, Equador e Peru

ONU O aquecimento global ameaça a pesca no Chile, Equador e Peru, aponta um novo informe da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO). Divulgado nesta semana (5), o relatório mostra que a elevação da temperatura global põe em risco o ecossistema formado pela corrente marítima de Humboldt, responsável em grande medida por sustentar a atividade pesqueira nos três países sul-americanos. O aquecimento global ameaça a pesca no Chile,

Estudo mostra que a acidificação dos oceanos está causando grande impacto na vida marinha

  Em uma nova pesquisa, cientistas afirmam que cortes nas emissões globais de CO2 são essenciais para limitar mais danos aos recifes de coral e às florestas de algas. University of Plymouth* As emissões de dióxido de carbono (CO2) estão matando os recifes de coral e as florestas de algas, já que as ondas de calor e a acidificação dos oceanos prejudicam os ecossistemas marinhos, alertaram cientistas. Oos pesquisadores dizem que três séculos de desenvolvimento

Top