Estudo avalia relação entre queimadas e mudanças climáticas

 

Estudo avalia relação entre queimadas e mudanças climáticas

Cibele Rockenbach estuda, por meio da Paleobotânica, o carvão vegetal fóssil

A bióloga Cibele Inês Rockenbach é mestra pelo Programa de Pós-Graduação em Ambiente e Desenvolvimento da Universidade do Vale do Taquari – Univates. Atualmente pesquisadora no Laboratório de Paleobotânica e Evolução de Biomas, vinculado ao Museu de Ciências da Univates, Cibele estudou a morfologia da resina em carvão vegetal fóssil para entender quais efeitos os incêndios vegetacionais causaram no clima ao longo da história do planeta.

Confira a entrevista com a pesquisadora realizada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e publicada no site da entidade na quarta-feira, 26. O trabalho de Cibele recebeu destaque no quadro “Bolsista em destaque”.

Capes – Fale sobre seu projeto de pesquisa e objetivos.

Cibele Inês Rockenbach – Minha pesquisa teve como objetivo principal a descrição da morfologia de resina preservada em fragmentos de lenhos submetidos à queima artificial. O grupo de pesquisa do qual eu faço parte está consolidado sobre o estudo de plantas fósseis – Paleobotânica –, principalmente sobre o macro-charcoal (carvão vegetal fóssil), oriundo da queima incompleta de plantas, que é um indicativo direto da ocorrência de incêndios vegetacionais ao longo da história da Terra. O registro de macro-charcoal é encontrado em diferentes estratos sedimentares que datam do período logo após o surgimento das plantas terrestres, há cerca de 419 milhões de anos.

Capes – Como as plantas podem retratar eventos históricos?

Cibele – As plantas são extremamente sensíveis às mudanças climáticas, e essas alterações ambientais ficam registradas na sua anatomia. Além disso, o expelir de resina está fortemente relacionado a intervenções físicas de animais, estresses ambientais e fogo. A queima incompleta das plantas mantém as feições anatômicas e morfológicas preservadas, sendo, portanto, um objeto de grande importância na Paleobotânica. O estudo desses carvões, associado a outros tipos de análises, traz informações importantes sobre o ambiente, o ecossistema e o clima de onde essas plantas viviam, além de suas interações ecológicas. Isso possibilita construir um cenário mais próximo ao que era no passado. Assim, investigações sobre diferentes estruturas presentes no macro-charcoal e a interação desses dados com outras áreas da Paleobotânica e da Paleontologia possibilitam uma melhor compreensão de eventos como os incêndios de vegetação, os quais, sabemos hoje, estão fortemente associados às mudanças climáticas e podem levar a extremos climáticos de grandes dimensões.

Capes – Quais são os próximos passos para seu estudo?

Cibele – Com os resultados promissores obtidos na pesquisa de base realizada durante o mestrado, a continuidade do projeto no doutorado será com o aprofundamento dos dados obtidos e com o aprimoramento da metodologia, utilizando outras ferramentas de estudo e aplicando o método em fitofósseis – fósseis vegetais – de várias idades. Esses dados irão auxiliar a compreensão dos diferentes elementos presentes nos ambientes em que as plantas cresciam, além de oferecer um melhor entendimento sobre os processos envolvidos na formação e preservação da resina e sua importância paleoecológica.

Capes – Como o seu trabalho contribui para a sociedade?

Cibele – Os estudos da Paleobotânica, em que meu projeto se insere, trazem uma visão ampla da evolução dos ambientes e da ciclicidade do clima ao longo do tempo. Além disso, identificar alguns fatores-chave, nos mais diversos ecossistemas, que são desencadeados por mudanças climáticas é de extrema importância, visto que estamos num momento na história do planeta em que pequenos efeitos oriundos das mudanças climáticas já são experimentados pela população. Assim, divulgar esses dados permite à população compreender e perceber que é preciso ter consciência ambiental muito grande, a fim de desacelerar as mudanças climáticas, evitando grandes catástrofes ambientais em curto prazo.

Capes – Qual a importância do apoio da Capes para o desenvolvimento do seu projeto?

Cibele – Eu recebi bolsa do Programa de Suporte à Pós-Graduação de Instituições Comunitárias de Educação Superior (Prosuc) durante o mestrado. Com certeza, ter o apoio da Capes foi de fundamental importância para o projeto ser desenvolvido e concretizado, gerando bons resultados. As parcerias internacionais que são construídas durante o desenvolvimento do projeto, por meio da divulgação dos trabalhos e da oportunidade de participação em congressos, possibilitam a difusão do conhecimento e a troca de experiências entre pesquisadores, além do crescimento pessoal e profissional.

Texto: Assessoria de Comunicação da Capes

carvão vegetal visto no microscópio eletrônico de varredura
Carvão vegetal visto no microscópio eletrônico de varredura (Foto – Arquivo pessoal)

 

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 28/01/2022

 

A manutenção da revista eletrônica EcoDebate é possível graças ao apoio técnico e hospedagem da Porto Fácil.

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate com link e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Top