Emissões antropogênicas e urbanização aumentam os extremos de calor

 

Severe Weather Europe
Onda de calor na Europa. Imagem: Severe Weather Europe

Emissões antropogênicas e urbanização aumentam os extremos de calor

A maioria das áreas do mundo está experimentando extremos de calor cada vez mais intensos. As consequências para a saúde relacionadas ao calor variam de acordo com as características da paisagem exposta e os tipos de calor extremo.

Institute of Atmospheric Physics*, Chinese Academy of Sciences

Apesar das evidências crescentes de impactos prejudiciais à saúde de dias ou noites quentes devido à sua alta intensidade e / ou longa duração, sua ocorrência em sequência próxima – um extremo quente composto – recebeu pouca atenção, mas pode representar grandes riscos à saúde.

Um novo estudo publicado na Nature Climate Change revelou como os extremos de calor compostos (sustentados durante o dia e a noite) afetam a saúde humana, bem como os fatores que impulsionam as mudanças observadas e os riscos futuros nas cidades do leste da China.

O estudo mostrou que os extremos de calor compostos eram mais perigosos do que apenas o calor diurno ou noturno, especialmente para mulheres e residentes urbanos mais velhos.

Extremos quentes compostos urbanos em todo o leste da China aumentaram 1,76 dias por década de 1961 a 2014, e as impressões digitais da urbanização e das emissões antropogênicas (por exemplo, gases de efeito estufa e aerossóis) puderam ser detectadas.

Suas frações atribuíveis foram estimadas em 0,51 (urbanização), 1,63 (gases de efeito estufa) e -0,54 (outras forçantes antropogênicas) dias por década. As emissões futuras e a urbanização tornariam esses eventos compostos duas a cinco vezes mais frequentes (2090 vs. 2010), levando a um crescimento de três a seis vezes na exposição da população urbana.

“Nosso estudo revela que os riscos para a saúde pública, de aumentos antropogênicos em extremos de calor compostos, têm aumentado e continuarão a aumentar nas cidades do leste da China.” Disse o Dr. Jun Wang, do Instituto de Física Atmosférica (IAP) da Academia Chinesa de Ciências, o primeiro autor do estudo.

De acordo com o estudo, a vulnerabilidade específica da idade descoberta para extremos de calor compostos implica em cargas de saúde ainda mais elevadas devido ao rápido envelhecimento da população urbana lá.

Este estudo foi apoiado conjuntamente pelo Programa Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento da China e o Programa de Pesquisa Prioritária Estratégica da Academia Chinesa de Ciências.

Referência:

Wang, J., Chen, Y., Liao, W. et al. Anthropogenic emissions and urbanization increase risk of compound hot extremes in cities. Nat. Clim. Chang. (2021). https://doi.org/10.1038/s41558-021-01196-2

 

Henrique Cortez *, tradução e edição.

 

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 10/11/2021

 

A manutenção da revista eletrônica EcoDebate é possível graças ao apoio técnico e hospedagem da Porto Fácil.

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate com link e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Top