Esclerose Múltipla: Aprenda a reconhecer os sinais da doença ainda no estágio inicial

 

saúde

Esclerose Múltipla: Aprenda a reconhecer os sinais da doença ainda no estágio inicial

O diagnóstico e tratamento precoce é fundamental para controlar os avanços da doença no sistema nervoso central

No dia 30 de agosto, em todo o Brasil são promovidas ações de conscientização da EM (Esclerose Múltipla), uma doença autoimune, crônica, progressiva e silenciosa que acomete principalmente mulheres jovens de 20 a 40 anos.

Os mecanismos principais da doença envolvem a perda da bainha de mielina – um material adiposo que reveste os neurônios- responsável pela condução normal e rápida de mensagens elétricas entre o cérebro e o corpo, além da perda da própria “fibra nervosa” ou axônio, que é o prolongamento do neurônio (mecanismo degenerativo). Essas reações do organismo causam interferências na comunicação entre o corpo e o cérebro.

Cerca de 85% dos casos da doença manifestam-se na forma de surtos que podem durar dias ou até semanas e que variam de pessoa para pessoa. Embora ainda não tenham sido descobertas as razões pelas quais a doença se desenvolve, os avanços da medicina já garantem aos portadores uma perspectiva muito melhor do futuro e da evolução da doença. Mas para isso, é muito importante que a EM seja diagnosticada precocemente.

Como os sinais se confundem com sintomas de outras patologias consideradas relativamente simples de se resolver, a pessoa negligencia a investigação e acaba recebendo o diagnóstico tardio, quando as manifestações já são mais evidentes. Por essa razão, o neurologista do Hospital Sírio Libanês e especializado no tratamento de pessoas diagnosticadas com EM, Dr. Mateus Boaventura, lista os sintomas iniciais e o que fazer ao percebê-los:

Visão embaçada e dor ao mover os olhos:

Aqui temos a neurite óptica, uma inflamação do nervo que se origina no fundo do olho e leva informações da nossa visão ao cérebro. Como a visão embaçada pode se confundir com problemas oftalmológicos do globo ocular, o paciente tende a demorar para procurar um especialista e associa apenas a problemas oculares, porém, esse é um dos sintomas comuns na EM, já a que a doença afeta o funcionamento normal deste nervo. Caso o sintoma persista por mais de 24h ininterruptas, o ideal é além do oftalmologista, também passar por uma avaliação neurológica;

Visão Dupla:

Quando o paciente enxerga duas imagens quando na verdade existe apenas uma imagem, temos a diplopia, ou visão dupla. Existem diferentes causas para a diplopia. Em mulheres jovens, a EM é uma das principais causas neurológicas. Assim como a visão embaçada, se a visão dupla persiste por mais de 24h, o neurologista também deve ser consultado, para uma anamnese  e exame minuciosos.

Fraqueza Muscular:

Aqui não falamos apenas de uma fraqueza por uma gripe ou cansaço por conta de atividades exaustivas. Aqui temos a perda de força muscular em um ou mais membros, em geral de maneira mais intensa em um lado do corpo. Pode haver sensação de uma perna “mais pesada”, um braço “menos firme”. Esse é um sintoma tipicamente neurológico, que pode ser causado por diversas doenças neurológicas, entre elas a própria EM, em especial quando ocorre na forma de surtos de pioras e melhoras, com duração acima de 24h, em pacientes jovens.

Dormência e formigamento:

Constituem sintomas muito frequentes na EM. Entretanto, existes inúmeras causas que justificam a sensação de dormência ou formigamento: causas vasculares (falta de circulação e oxigênio), compressivas (cruzar as pernas ou dormir em cima do braço), neurológicas, entre diversas outras causas. Novamente, entre as causas neurológicas, chamamos atenção para a suspeita de EM quando ocorre na forma de surtos de pioras e melhoras, com duração acima de 24h, em pacientes jovens. Um neurologista deve ser consultado, para colher uma história detalhada, exame neurológico e solicitação de exames complementares.

Incoordenação e Desequilíbrio:

Neste grupo de sintomas, o paciente se queixa de dificuldade para manter-se de pé, para andar em linha reta ou até mesmo quedas. A falta de coordenação não afeta apenas o caminhar! Pode afetar os braços e mãos:  dificuldade de controlar seus movimentos, não calculando onde a mão ou os dedos devem alcançar. Nessa situação o paciente pode acabar deixando cair uma xícara ou não conseguindo prender os botões da sua camisa. Aos primeiros sinais deste grupo de sintomas, é necessária uma investigação médica. Quando estes sintomas ocorrem em pacientes com risco para EM e duram mais de 24h, uma investigação dirigida deve ser realizada.

Urgência e incontinência urinária:

Comum em infecções na urina ou até por conta da ingestão de bebida alcoólica, o sintoma é negligenciado por muitas pessoas e faz parte de um dos sintomas comuns de Esclerose Múltipla, por isso, o detalhe está em observar as ocasiões em que ocorre a incontinência. Casos que merecem atenção é a recorrência do problema.

Fadiga:

Está associada a um conjunto de sintomas diversos e às vezes em casos isolados por fatores casuais do dia a dia, porém é um fenômeno comum em diagnosticados com a EM. A diferença de uma simples fadiga para a fadiga da EM: Os pacientes com EM já acordam como se houvesse corrido uma maratona, possuem uma sensação e esgotamento precoce e muitas vezes não são compreendidos. Este também é um caso que se deve observar a frequência e permanência da sensação no corpo. A fadiga não é um tipo de surto, mas um sintoma que permanece entre os surtos e que limita muito a qualidade de vida do paciente.

De acordo com Dr. Mateus Boaventura, os sintomas nunca aparecem isolados, geralmente manifestam-se em conjunto, ou seja, a soma de alguns deles é a principal motivação para procurar um especialista.  Outro importante sinal é a piora dos sintomas no calor. Pacientes que entram em sauna ou banhos quentes notam piora de seus sintomas.

A prevenção é sempre o melhor tratamento. Embora não seja uma doença possível de evitar, o diagnóstico e tratamento precoce é fundamental para controlar os avanços da doença no sistema nervoso central, que são capazes de gerar sequelas severas.

É muito importante saber que ser diagnosticado com a Esclerose Múltipla não é uma sentença de dependência física ou de morte. A medicina avançou muito e existem inúmeros casos com excelentes resultados, proporcionando uma ótima qualidade de vida aos portadores.

 

in https://www.ecodebate.com.br/“>EcoDebate, ISSN 2446-9394, 27/08/2021

 

A manutenção da revista eletrônica EcoDebate é possível graças ao apoio técnico e hospedagem da Porto Fácil.

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate com link e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Top