Dinâmica demográfica e pandemia: nascimentos e óbitos gaúchos

 

Dinâmica demográfica e pandemia: nascimentos e óbitos gaúchos, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

Nas próximas duas décadas o RS deve continuar tendo aumento da população, mas em ritmo cada vez menor

O estado do Rio Grande do Sul tinha uma população de apenas 434,8 mil habitantes segundo o censo de 1872, passou para 1,15 milhão em 1900, chegou a mais de 10 milhões no ano 2000 e atingiu 10,7 milhões na contagem do censo demográfico de 2010. A população gaúcha cresceu 25 vezes em 138 anos.

Todavia, este alto crescimento demográfico está com os dias contatos, segundo as projeções do IBGE. O gráfico abaixo mostra que o número anual de nascimentos do RS estava em 134 mil em 2010, subiu para 150 mil em 2015, caiu para 142,7 mil em decorrência da epidemia da Zika e voltou a subir em 2017 para 144 mil. Nota-se que a recuperação de 2017 não voltou ao patamar de 2015 e que a partir de 2017 o número de nascimentos iniciou uma trajetória de queda contínua. Já o número de óbitos, que eram de 72 mil em 2010 passaram para 82 mil em 2019, apresentando uma tendência continuada de alta devido ao processo de envelhecimento populacional, sendo que o RS é a Unidade da Federação mais envelhecida do país.

Pela projeção do IBGE as curvas de nascimentos e mortes irão se encontrar em 2039, com números de nascimentos e óbitos em torno de 115 mil. A partir daí as curvas se invertem e o estado do Rio Grande do Sul iniciará um processo de decrescimento populacional estrutural no restante do século. A estimativa é que haverá 97 mil nascimentos e 144 mil óbitos em 2060, com redução vegetativa de 47 mil pessoas.

nascimento e óbitos do estado do rio grande do sul

 

Contudo, a pandemia da covid-19 provocou alterações conjunturais que não alteram o rumo geral da transição demográfica gaúcha, mas que pode antecipar alguns números da tendência estrutural. Os registros da pandemia mostram que o estado do Rio Grande do Sul já registrou 1,4 milhão de pessoas infectadas e mais de 33,4 mil mortes. Além disto houve uma redução do número de nascimentos, pois muitas mulheres e casais adiaram suas decisões reprodutivas em função da gravidade do quadro pandêmico.

Desta forma, enquanto as projeções do IBGE, para os primeiros sete meses de 2021, indicavam 81,6 mil nascimentos e 49,2 mil óbitos (crescimento vegetativo de 32,4 mil pessoas), os registros do Portal da Transparência do Registro Civil registraram 75.971 nascimentos e 76.600 óbitos, um decrescimento vegetativo de 629 pessoas. Portanto, a pandemia antecipou (momentaneamente) a redução populacional do estado mais meridional do país.

números de nascimentos e óbitos no rio grande do sul e variação vegetativa

 

Com o fim da pandemia deve haver redução dos óbitos e aumento dos nascimentos, mas dentro do marco das projeções do IBGE. Nas próximas duas décadas o RS deve continuar tendo aumento da população, mas em ritmo cada vez menor. Com menores taxas de fecundidade, a base da pirâmide etária vai diminuir e haverá um aumento do envelhecimento populacional. Assim, em algum momento da década de 2030 a população gaúcha vai começar um contínuo e persistente processo de decrescimento demográfico.

Esta nova realidade parece ser inexorável. Evidentemente, as ideologias pronatalistas vão lamentar o passado e reclamar da nova configuração. Mas não adianta querer contrariar as opções das pessoas, mas sim defender políticas públicas que garantam o bem-estar social e ambiental diante de um novo cenário que vai caracterizar os outros quinhentos anos da história gaúcha e brasileira.

José Eustáquio Diniz Alves
Doutor em demografia, link do CV Lattes:
http://lattes.cnpq.br/2003298427606382

Referências:

ALVES, JED. Óbitos podem superar os nascimentos no Brasil pandêmico, Ecodebate, 05/04/21
https://www.ecodebate.com.br/2021/04/05/obitos-podem-superar-os-nascimentos-no-brasil-pandemico/

ALVES, JED. População e transição demográfica no Brasil: 1800-2100, Ecodebate, 07/07/21
https://www.ecodebate.com.br/2021/07/07/populacao-e-transicao-demografica-no-brasil-1800-2100/

ALVES, JED; CAMARANO, AA. Tendências demográficas e pandemia de covid-19, Webinário IPEA, 23/06/2021
https://www.youtube.com/watch?v=Bzog2U-zBo0

ALVES, JED. Três séculos de população no Brasil e os três bônus demográficos, Apresentação Webinário IPEA, 23/06/2021
https://drive.google.com/file/d/1JQW9TcZi3DFFfvEuIM1C78jQIxHLInVn/view

 

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 04/08/2021

 

A manutenção da revista eletrônica EcoDebate é possível graças ao apoio técnico e hospedagem da Porto Fácil.

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate com link e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Top