Degelo global já segue os piores cenários de aquecimento climático

 

Degelo global já segue os piores cenários de aquecimento climático

A velocidade com que o gelo está desaparecendo em todo o planeta está se acelerando, de acordo com novas pesquisas. E as descobertas também revelam que a Terra perdeu 28 trilhões de toneladas de gelo entre 1994 e 2017 – o equivalente a uma camada de gelo de 100 metros de espessura cobrindo todo o Reino Unido.

University of Leeds*

canal criado pelo fluxo de gelo derretido na Groenlândia
Créditos da imagem: Ian Joughin – canal criado pelo fluxo de gelo derretido na Groenlândia

 

Cientistas liderados pela Universidade de Leeds descobriram que a taxa de perda de gelo da Terra aumentou acentuadamente nas últimas três décadas, de 0,8 trilhão de toneladas por ano na década de 1990 para 1,3 trilhão de toneladas por ano em 2017.

A pesquisa é a primeira do tipo a fazer um levantamento da perda global de gelo usando dados de satélite.

O derretimento do gelo em todo o mundo eleva o nível do mar, aumenta o risco de inundações para as comunidades costeiras e ameaça destruir os habitats naturais dos quais a vida selvagem depende.

As descobertas da equipe de pesquisa, que inclui a Universidade de Edimburgo, a University College London e os especialistas em ciência de dados Earthwave, foram publicadas na revista The Cryosphere da European Geosciences Union.

Financiada pelo Conselho de Pesquisa do Meio Ambiente do Reino Unido , a pesquisa mostra que, em geral, houve um aumento de 65% na taxa de perda de gelo durante os 23 anos de pesquisa. Isso foi causado principalmente por aumentos acentuados nas perdas dos mantos de gelo polares na Antártica e na Groenlândia.

O autor principal, Dr. Thomas Slater, pesquisador do Centro de Observação e Modelagem Polar de Leeds , disse: “Embora todas as regiões que estudamos tenham perdido gelo, as perdas nas camadas de gelo da Antártica e da Groenlândia foram as que mais se aceleraram.

“Os mantos de gelo estão agora seguindo os piores cenários de aquecimento climático definidos pelo Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas. O aumento do nível do mar nesta escala terá impactos muito sérios nas comunidades costeiras neste século. ”

O Dr. Slater disse que o estudo foi o primeiro desse tipo a examinar todo o gelo que está desaparecendo na Terra, usando observações de satélite.

Ele acrescentou: “Nas últimas três décadas, tem havido um grande esforço internacional para entender o que está acontecendo com os componentes individuais do sistema de gelo da Terra, revolucionado por satélites que nos permitem monitorar rotineiramente as vastas e inóspitas regiões onde o gelo pode ser encontrado.

“Nosso estudo é o primeiro a combinar esses esforços e observar todo o gelo que está sendo perdido em todo o planeta.”

A pesquisa cobre 215.000 geleiras de montanhas espalhadas ao redor do planeta, os mantos de gelo polares na Groenlândia e na Antártica, as plataformas de gelo flutuando ao redor da Antártica e o gelo do mar flutuando nos oceanos Ártico e Meridional.

O aumento da temperatura atmosférica tem sido o principal fator para o declínio do gelo marinho do Ártico e das geleiras das montanhas em todo o mundo, enquanto o aumento da temperatura do oceano aumentou o derretimento da camada de gelo da Antártica. Para o manto de gelo da Groenlândia e as plataformas de gelo da Antártica, as perdas de gelo foram desencadeadas por uma combinação da elevação do oceano e das temperaturas atmosféricas.

Durante o período da pesquisa, todas as categorias perderam gelo, mas as maiores perdas foram do gelo do Mar Ártico (7,6 trilhões de toneladas) e das plataformas de gelo da Antártica (6,5 trilhões de toneladas), ambos os quais flutuam nos oceanos polares.

A Dra. Isobel Lawrence, pesquisadora do Centro de Observação e Modelagem Polar de Leeds, disse: “A perda de gelo marinho não contribui diretamente para o aumento do nível do mar, mas tem uma influência indireta. Uma das principais funções do gelo marinho do Ártico é refletir a radiação solar de volta para o espaço, o que ajuda a manter a temperatura do Ártico.

“À medida que o gelo marinho encolhe, mais energia solar é absorvida pelos oceanos e pela atmosfera, fazendo com que o Ártico aqueça mais rápido do que em qualquer outro lugar do planeta.

“Isso não apenas está acelerando o derretimento do gelo marinho, mas também exacerbando o derretimento das geleiras e mantos de gelo, que fazem com que o nível do mar suba.”

Metade de todas as perdas foram causadas pelo gelo em terra – incluindo 6,1 trilhões de toneladas de geleiras de montanha, 3,8 trilhões de toneladas da camada de gelo da Groenlândia e 2,5 trilhões de toneladas da camada de gelo da Antártica. Essas perdas elevaram o nível global do mar em 35 milímetros.

Estima-se que, para cada centímetro de elevação do nível do mar, cerca de um milhão de pessoas correm o risco de ser deslocadas de suas terras natais baixas.

Apesar de armazenar apenas 1% do volume total de gelo da Terra, as geleiras contribuíram para quase um quarto das perdas globais de gelo durante o período de estudo, com todas as regiões glaciais ao redor do mundo perdendo gelo.

O coautor do relatório e pesquisador PhD Inès Otosaka, também do Centro de Observação Polar e Modelagem de Leeds, disse: “Além de contribuir para o aumento do nível do mar global, as geleiras das montanhas também são essenciais como recurso de água doce para as comunidades locais.

“O recuo das geleiras ao redor do mundo é, portanto, de importância crucial em escalas local e global.”

Pouco mais da metade (58%) da perda de gelo foi do hemisfério norte, e o restante (42%) foi do hemisfério sul.

Referência:

Slater, T., Lawrence, I. R., Otosaka, I. N., Shepherd, A., Gourmelen, N., Jakob, L., Tepes, P., Gilbert, L., and Nienow, P.: Review article: Earth’s ice imbalance, The Cryosphere, 15, 233–246, https://doi.org/10.5194/tc-15-233-2021, 2021.

 

* Tradução e edição de Henrique Cortez, EcoDebate

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 22/02/2021

 

A manutenção da revista eletrônica EcoDebate é possível graças ao apoio técnico e hospedagem da Porto Fácil.

Nota: Para receber atualizações pelo grupo de notícias do EcoDebate no WhatsApp, adicione o telefone 21 98682-4779 e, em seguida, envie uma mensagem com o texto ADICIONAR.

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate com link e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Top