Hábitos de consumo podem influenciar na sustentabilidade do planeta?

 

Hábitos de consumo podem influenciar na sustentabilidade do planeta?

Woman Taking Photo Of Denim Shirt On Smartphone To Sell It On Internet Shop.

Em 2020, o crescimento dos brechós foi muito mais acelerado do que o comércio de roupas convencional, mostrando uma mudança de mindset dos consumidores frente as necessidades globais

Por Fernanda Glinka

A pandemia trouxe à tona grandes reflexões sobre a vida em sociedade, principalmente em relação aos hábitos de consumo.

Estando em casa por tanto tempo, a maioria das pessoas percebeu que o consumo exagerado era extremamente desnecessário, fazendo com que a compra de roupas, carros, entre outros produtos e serviços fossem revistos por muita gente. Desde então, marcas e empresas foram obrigadas a repensar os seus modelos de negócio. E a moda foi um dos setores mais atingidos.

“Há alguns anos, o mercado da moda vem passando por transformações, especialmente devido a mudança do perfil do consumidor que está mais questionador e exige cada vez mais transparência nos processos produtivos”, aponta Gustavo Loiola, coordenador de Sustentabilidade no ISAE Escola de Negócios. No ano passado, o crescimento dos brechós foi muito mais acelerado do que o comércio de roupas convencional. Pesquisas apontam que, nos próximos meses, o mercado de segunda mão ainda vai crescer 5 vezes mais.

Em 2017, o relatório lançado pela Global Fashion Agenda (GFA) já tinha colocado a moda como responsável por mais de 5% das emissões de CO2, porcentagem 21 vezes maior do que os setores de aviação e navegação juntos. Com o aumento estimado da produção para 2030, a contribuição da moda para o colapso climático deve aumentar 49% segundo estimativas da Quantis e 63% de acordo com a própria GFA. “Além das necessidades do planeta, é crescente a mudança de mindset do consumidor. A geração de millenials está aí e vai demandar cada vez mais adaptabilidade”, afirma.

“A economia circular é a bola da vez. O conceito de que lixo não existe estimula a reciclagem e a reutilização”, diz. Segundo o especialista, grandes exemplos disso são as marcas C&A e a Renner que, parceria com o brechó online Repassa, estão disponibilizando um espaço nas suas lojas para coleta de roupas usadas. “O cliente pode revender as suas peças e utilizar esse recurso para doar a uma ONG, sacar o crédito ou utilizar parte em novas compras. Esse projeto aumenta o ciclo de vida das peças de roupa e diminui drasticamente o impacto ambiental”, complementa Gustavo Loiola.

 

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 29/01/2021

 

A manutenção da revista eletrônica EcoDebate é possível graças ao apoio técnico e hospedagem da Porto Fácil.

Nota: Para receber atualizações pelo grupo de notícias do EcoDebate no WhatsApp, adicione o telefone 21 98682-4779 e, em seguida, envie uma mensagem com o texto ADICIONAR.

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate com link e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Top