Vertebrados herbívoros podem enfrentar maior risco de extinção

pesquisa

Vertebrados herbívoros podem enfrentar maior risco de extinção

Herbívoros com maior risco de extinção entre mamíferos, aves e répteis

Os herbívoros – não predadores – podem enfrentar um risco maior de extinção entre mamíferos, aves e répteis, de acordo com um novo estudo com mais de 44.000 espécies vivas e extintas.

Os resultados sugerem que os herbívoros sofreram consistentemente a maior ameaça de extinção nos dias atuais, no passado recente e no final do Pleistoceno – mais do que as espécies de qualquer outra posição na cadeia alimentar. Embora haja fortes evidências de que os grandes vertebrados são os mais afetados pela atual onda de extinções, os cientistas se basearam principalmente em evidências e correlações com características de espécies que estão ligadas ao risco de extinção para entender qual grupo trófico enfrenta a maior ameaça de extinção.

Como os predadores têm extensas áreas domésticas e baixas taxas de crescimento populacional – e porque pesquisas anteriores frequentemente se concentram em predadores específicos – muitos pesquisadores assumiram que os predadores correm maior risco de extinção.

“Existem tantos dados por aí e às vezes você só precisa de alguém para organizá-los”, diz Trisha Atwood, a primeira autora do estudo. “Vasculhamos a literatura científica e coligimos as informações da dieta para mais de 44.600 espécies de animais vivos e extintos. Isso nos permitiu finalmente construir um conjunto de dados para que pudéssemos determinar qual nível trófico está em maior risco de extinção”.

Os pesquisadores examinaram primeiro os padrões de risco de extinção modernos entre herbívoros, onívoros e predadores, comparando padrões de ameaças em mamíferos, aves e répteis pertencentes a diferentes grupos tróficos de todo o mundo. Em seguida, eles exploraram como as extinções passadas podem ter moldado os padrões modernos, examinando as proporções de mamíferos, aves e répteis recentemente extintos e os mamíferos extintos do Pleistoceno tardio em cada grupo trófico. Finalmente, Atwood et al. examinaram como o tamanho corporal e o grupo trófico juntos afetam o status de ameaça em 22.166 espécies.

Os pesquisadores observam que os predadores que vivem em habitats marinhos enfrentam um risco elevado de extinção, sugerindo que os predadores oceânicos podem estar enfrentando pressões existenciais maiores do que predadores em terra

Referência: Herbivores at the highest risk of extinction among mammals, birds, and reptiles
BY TRISHA B. ATWOOD, SHALEY A. VALENTINE, EDD HAMMILL, DOUGLAS J. MCCAULEY, ELIZABETH M. P. MADIN, KAREN H. BEARD, WILLIAM D. PEARSE
SCIENCE ADVANCES05 AUG 2020 : EABB8458
DOI: 10.1126/sciadv.abb8458

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 06/08/2020

 

Para pesquisar mais sobre este tema ou outros, use a ferramenta de pesquisa

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate com link e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Top