EcoDebate: Índice da edição nº 3.310, de 28/10/2019

  Revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394   Óleo no mar, artigo de Montserrat Martins Qual é o real tamanho da pobreza no mundo? artigo de José Eustáquio Diniz Alves A Geologia Ambiental como área de avaliação dos processos de transformação em superfície, artigo de Marco Antonio Ferreira Gomes O ônus da desigualdade no Brasil, artigo de Sucena Shkrada Resk Impactos aos ecossistemas aquáticos do Nordeste inviabilizam atividade de pescadores e pescadoras e geram insegurança alimentar Acidente Vascular Cerebral

Óleo no mar, artigo de Montserrat Martins

    [EcoDebate] os nossos 8.000 km de costa marítima, o Brasil tem um mar territorial (as 200 milhas a partir da costa) tão vasto e rico em biodiversidade que é chamado de “Amazônia Azul” pela Marinha. Se bem exploradas, suas riquezas são incalculáveis, mas hoje enfrenta problemas, como a sobrepesca e o sub-aparelhamento da Marinha. As manchas de óleo que invadem agora nosso litoral, do Maranhão até a Bahia, expõe a fragilidade

Qual é o real tamanho da pobreza no mundo? artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  [EcoDebate] Existem várias maneiras de medir a pobreza no mundo. Utilizar somente a renda como parâmetro é uma metodologia muito simples, embora seja muito utilizada. Outra alternativa é olhar para a pobreza multidimensional que considera variáveis como educação, moradia, esperança de vida, etc. Um dos gráficos mais divulgados para demonstrar a redução da extrema pobreza no mundo – na ótica da renda - é este abaixo do site “Our World in

A Geologia Ambiental como área de avaliação dos processos de transformação em superfície, artigo de Marco Antonio Ferreira Gomes

A GEOLOGIA AMBIENTAL COMO ÁREA DE AVALIAÇÃO DOS PROCESSOS DE TRANSFORMAÇÃO EM SUPERFÍCIE Marco Antonio Ferreira Gomes Pesquisador da Embrapa Meio Ambiente Há pouco mais de três décadas, os conhecimentos científicos relacionados à geologia tinham como foco principal os processos endógenos, ou seja, aqueles que ocorrem no interior do Planeta, em diferentes ambientes de formação das rochas (ígneo, sedimentar e metamórfico) e profundidades. Embora as rochas sedimentares sejam oriundas de depósitos de sedimentos

O ônus da desigualdade no Brasil, artigo de Sucena Shkrada Resk

    Há uma máxima que deve ser respeitada: os fatos não mentem, quando se trata de analisar a desigualdade socioeconômica no Brasil, que inclui a injustiça ambiental. Os percentuais estatísticos se revelam diariamente, nos trazendo a uma realidade gritante: o país está entre os 15 mais desiguais no mundo e basta termos sensibilidade no nosso dia a dia para enxergarmos e nos sentirmos parte desta engrenagem.  Desemprego, déficit de acesso ao

Impactos aos ecossistemas aquáticos do Nordeste inviabilizam atividade de pescadores e pescadoras e geram insegurança alimentar

  Derramamento de óleo impede o acesso aos recursos marinhos e pescados; Relatório Luz diz que, nesses casos, ações de monitoramento e de redução de danos são urgentes Por Alex Cunha* Especialistas ainda não conseguem estimar os danos sofridos pelos ecossistemas, para os pescadores e pescadoras e para o turismo deste que já é considerado o maior crime ambiental em extensão da história do Brasil. O derramamento de petróleo em mais de 2.000

Acidente Vascular Cerebral Isquêmico (AVCI): entenda os riscos e previna-se

  Acidente Vascular Cerebral Isquêmico (AVCI) - A campanha de 2019 foca na prevenção e as possíveis sequelas causadas pela doença Por Lívia Davanzo O Acidente Vascular Cerebral Isquêmico (AVCI) é a segunda maior causa de mortes e a primeira de incapacidade no Brasil. A cada 5 minutos um brasileiro morre em decorrência do AVCI, contabilizando mais de 100 mil mortes por ano. Por isso, ficar alerta aos sinais é fundamental para prevenir

O interesse em construir hidrelétricas em vez de investir em alternativas é a grande quantidade de dinheiro que pode ser ganho nas obras

  'O interesse em construir hidrelétricas em vez de investir em alternativas é a grande quantidade de dinheiro que pode ser ganho nas obras'. Entrevista especial com Philip Fearnside     Por Patricia Fachin e João Vitor Santos IHU O interesse do Estado brasileiro em investir na construção de hidrelétricas ao invés de incentivar fontes energéticas alternativas “se deve, principalmente, à grande quantidade de dinheiro que pode ser ganho nas obras”, diz Philip Fearnside à IHU On-Line. Os recursos envolvidos nesses empreendimentos, menciona,

Top