EcoDebate: Índice da edição nº 3.248, de 24/07/2019

  Revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394   População da Nigéria: bônus demográfico e armadilha da pobreza, artigo de José Eustáquio Diniz Alves Áreas de afloramento do Aquífero Guarani versus Cana-De-Açúcar: reflexões e comentários técnicos, artigo de Marco Antonio Ferreira Gomes As mudanças climáticas são mais rápidas do que os animais conseguem se adaptar Cientistas rebatem decisões do governo tomadas sem sustentação factual ou científica Energias Solar e Eólica responderão por metade da geração mundial em 2050 Pesquisadores e

População da Nigéria: bônus demográfico e armadilha da pobreza, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  [EcoDebate] A Nigéria é o país que vai apresentar o maior crescimento demográfico no século XXI e se tornará a 3ª nação mais populosa do Planeta, devendo ficar à frente dos Estados Unidos a partir de 2047 e atrás somente da Índia e da China. Segundo as estimativas e projeções da Divisão de População da ONU, a população nigeriana era de 37,9 milhões de habitantes em 1950 e deve chegar

Áreas de afloramento do Aquífero Guarani versus Cana-De-Açúcar: reflexões e comentários técnicos, artigo de Marco Antonio Ferreira Gomes

    [EcoDebate] Em 2008 foi publicado o livro intitulado Uso agrícola das áreas de afloramento do Aquífero Guarani no Brasil, composto por 20 capítulos sobre vários trabalhos realizados in loco, como também por meio de revisão de literatura, com forte embasamento técnico. Todos os relatos técnicos sobre as áreas de afloramento do Aquífero Guarani abordadas nessa publicação confirmam a presença de rochas sedimentares aflorantes, principalmente nas porções mais íngremes, como também solos

As mudanças climáticas são mais rápidas do que os animais conseguem se adaptar

  As mudanças climáticas podem ameaçar as espécies e as extinções podem afetar a saúde dos ecossistemas.   Parus Major - Foto: Bernard Castelein   Forschungsverbund Berlin* É de vital importância avaliar em que grau os animais podem responder às mudanças nas condições ambientais - por exemplo, mudando o tempo de reprodução - e se essas mudanças permitem a persistência de populações a longo prazo. Para responder a essas perguntas, uma equipe internacional de 64 pesquisadores, liderada

Cientistas rebatem decisões do governo tomadas sem sustentação factual ou científica

  Em meio a ataques, Coalizão Ciência e Sociedade usa ciência para contrapor visão socioambiental do governo Por Ivanir Ferreira, Jornal da USP m um movimento crescente de união da comunidade científica brasileira, em meio aos ataques recebidos, pesquisadores constituíram o grupo Coalizão Ciência e Sociedade. O objetivo é oferecer informações e subsidiar políticas com embasamento científico, a fim de permitir discussões sobre tomadas de decisões e rebater colocações de gestores do governo

Energias Solar e Eólica responderão por metade da geração mundial em 2050

Último relatório da Bloomberg New Energy Finance afirma que preços das fontes renováveis e novas tecnologias irão lapidar o futuro da matriz elétrica mundial. Por: Ruy Fontes - Redator Os preços cada vez menores das tecnologias de geração por placas solares fotovoltaicas e aerogeradores farão de suas fontes as líderes do mix elétrico mundial daqui a 30 anos. Foi o que apontaram os dados da última edição do relatório anual da empresa

Pesquisadores e jovens ribeirinhos promovem feiras para repor agrobiodiversidade da várzea amazônica

  Ações resultaram de pesquisa que avaliou impactos de cheia extrema de 2015. Estudo avaliou também identificou ações dos ribeirinhos em resposta às mudanças climáticas     A diversidade de espécies agrícolas cultivadas pelas comunidades ribeirinhas da Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá, localizada no estado do Amazonas, está sob ameaça. Localizadas em área de várzea, ecossistema alagável da Amazônia, as comunidades que praticam a agricultura sentiram os efeitos das mudanças climáticas em 2015, quando

Top