Ambientalistas criticam revisão açodada no funcionamento do Conama proposta pelo Ministério do Meio Ambiente

 

Conama
Imagem: MMA

 

Para entidades, o MMA precisa justificar a motivação das mudanças no funcionamento do Conama e permitir maior participação da sociedade civil no órgão

Por Mauro Arbex

A revisão do Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama), de forma açodada em sem uma ampla discussão da sociedade civil, está sendo duramente criticada pelos ambientalistas, alguns dos quais fazem parte da entidade. Argumentam que o órgão é um espaço político essencial para a gestão ambiental participativa no Brasil e alterações no seu funcionamento trariam impactos em todo o território nacional, o que exige um amplo debate. O Conama tem elaborado resoluções que regulam a qualidade das águas, do solo e do ar, entre outras importantes normas ambientais.

O Ministério do Meio Ambiente (MMA) convocou reunião extraordinária para o próximo dia 20 de março visando discutir “propostas para aperfeiçoamento do Conama”. O MMA recebeu, até ontem (quarta-feira), sugestões dos conselheiros do Conama tanto em relação à composição da entidade como de seu funcionamento.

Segundo o presidente do Instituto Brasileiro de Proteção Ambiental (Proam), Carlos Bocuhy, conselheiro do Conama, “o tema é complexo e as atribuições e responsabilidades do Conama nos remetem a discussões e reflexões aprofundadas, que exigem a devida participação, representatividade e paridade de diferentes setores da sociedade”. Para Bocuhy, a condução desse processo de revisão tem de ser cuidadosa, “para que os resultados não levem a atendimentos setoriais e prejuízo nas decisões do conselho”.

Os ambientalistas, sob a liderança do Proam, e com a participação de outras 50 organizações não governamentais (ONG), encaminharam ontem, quarta-feira, ao MMA, uma manifestação do setor contra a pressa na revisão do Conama. Eles pedem que o ministério esclareça a justificativa, a motivação e o método que irá adotar para a mudança na composição e funcionamento do Conama. E que informe a agenda e prazos para a discussão.

“Queremos a realização de uma ampla e democrática discussão, com a devida transparência, participação e controle social”, diz Bocuhy. Os ambientalistas sugerem uma paridade entre as representações da sociedade civil e do governo no Conama, que reflita participação social efetiva, além da diversidade de representações sociais, situação que hoje não existe. Defendem também maior participação da área científica para as decisões colegiadas.

 

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 01/03/2019

Ambientalistas criticam revisão açodada no funcionamento do Conama proposta pelo Ministério do Meio Ambiente, in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 1/03/2019, https://www.ecodebate.com.br/2019/03/01/ambientalistas-criticam-revisao-acodada-no-funcionamento-do-conama-proposta-pelo-ministerio-do-meio-ambiente/.

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Top