Indígenas denunciam ação de madeireiros em território do povo Uru-Eu-Wau-Wau, em Rondônia

 

podcast

 

Associações de Rondônia denunciam ação de madeireiros em terra indígena

Uma nota pública da Associação de Defesa Etnoambiental Kanindé e da Associação do Povo Indígena Uru-eu-Wau-Wau afirma que os direitos desses povos estão sendo violados.

Segundo as entidades, são constantes as invasões de madeireiros, grileiros e garimpeiros nos territórios indígenas.

As associações pedem mais estrutura para Coordenação Regional da FUNAI em Ji-Paraná. Cobram ainda mais fiscalização e apoio do IBAMA, ICMBio e autoridades policiais.

Na última semana, indígenas queimaram um dos tratores dos madeireiros. Eles afirmam que a atitude radical ocorreu porque estão cansados de esperar por providências para a retirada de aproveitadores do território.

De acordo com a Funai, a Coordenação Regional recebeu a denúncia de que madeireiros estariam entrando na aldeia Alto Jaru para retirar madeira cerrada da Terra Indígena. Dois servidores foram designados para acompanhar a situação. Com apoio do Batalhão da Polícia Militar Ambiental de Ji-Paraná, o grupo se deslocou para a Terra Indígena, mas os madeireiros já haviam se retirado da área.

Os indígenas destacam que a Terra Indígena Uru-eu-wau-wau e o Parque Nacional de Pacaas Novos são responsáveis pela maior biodiversidade de Rondônia. Nascentes dos 17 principais rios do Estado estão na região. Lá também vivem três etnias indígenas e outros três grupos de povos isolados, ainda sem contato com a sociedade.

O Ibama não respondeu ao pedido de informações da nossa reportagem sobre as ações de fiscalização na área.

 

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 18/05/2018

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Top