China decide deixar de importar plástico para reciclar, deixando países como Reino Unido e Estados Unidos com menos soluções

 

Foto ONU: Martine Perret - Em 2016, o país asiático importou 8 milhões de toneladas de plástico.
Foto ONU: Martine Perret – Em 2016, o país asiático importou 8 milhões de toneladas de plástico.

 

Alexandre Soares, da ONU News em Nova Iorque.

No fim do ano passado, a China decidiu parar de importar plástico para reciclar de outros países, deixando várias nações ocidentais à procura de soluções. A notícia foi celebrada num artigo de opinião da agência ONU Meio Ambiente, que foi assinado por Verena Balke.

Segundo ela, em nível global apenas 14% de todo o plástico é reciclado. As máquinas atuais não são capazes de separar o plástico, por isso muito deste material era comprimido e enviado para a China, onde era tratado manualmente.

Importações

Em 2016, o país asiático importou 8 milhões de toneladas de plástico.

Esta prática teve efeitos desastrosas na saúde das pessoas na China. E segundo o artigo, a nação asiática decidiu, em dezembro, terminar com estas importações. Países como os Estados Unidos e o Reino Unido têm agora de encontrar uma solução. Nestas primeiras semanas, algumas nações têm optado por enterrar o lixo ou queimá-lo, mas a agência da ONU acredita que devem ser usadas outras praticas.

Verena Balke diz que “a decisão da China não deve significar que o problema do desperdício de plástico é transferido para outros países ou enterrado em lixeiras.”

Mas este momento deve ser usado como um ponto de mudança para desenvolver práticas sustentáveis e aumentar as taxas de reciclagem em países que exportam lixo.

Políticas

Balke diz que os governos devem “usar a oportunidade para cortar o desperdício de plástico onde ele começa” e desenvolver um conjunto de políticas que ajudem a transformar as economias em motores de sustentabilidade.

A especialista diz que a investigação na área ainda é limitada, mas que a ONU Meio Ambiente e a Parceria Para a Ação pela Economia Verde, Page, lideram esta área, fornecendo dados concretos e conselhos sobre novas iniciativas.

Em 22 de fevereiro, a Page organiza um evento sobre este tema, lançando três novos documentos sobre políticas industriais ambientais.

Segundo o Worldwatch Institute, os cidadãos dos países da América do Norte e da Europa produzem, em média, 100 quilos de plástico por ano.

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 09/02/2018

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Top