Índice da edição nº 2.867, 2017 [de 09/11/17]

    Macrófitas aquáticas, Parte 2/2 (Final), artigo de Roberto Naime Resíduos Sólidos na Região Sul do Brasil em 2016, artigo de Antonio Silvio Hendges Água põe fogo no campo, artigo de Roberto Malvezzi (Gogó) Aspecto nutricional dos alimentos - o que se deve saber, artigo de Sidinéa Cordeiro de Freitas Edulcorantes artificiais nas águas subterrâneas são indicadores da contaminação por sistemas sépticos OMS recomenda que produtores e a indústria de alimentos parem de dar antibióticos a

Macrófitas aquáticas, Parte 2/2 (Final), artigo de Roberto Naime

    [EcoDebate] As macrófitas podem tolerar baixas concentrações de oxigênio por até 1 mês. Podem ser encontradas em uma profundidade de 0,5 a 1,5m. São as macrófitas enraizadas no sedimento e com folhas flutuando na superfície da água. Seus órgãos reprodutores podem ser flutuantes ou aéreos. Suas folhas são paralelas a superfície da água, e refletem uma competição pelo espaço. Tem formato usualmente esférico ou oval, são flexíveis e apresentam parte hidrofóbica,

Resíduos Sólidos na Região Sul do Brasil em 2016, artigo de Antonio Silvio Hendges

    [EcoDebate] A Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais – Abrelpe divulgou o Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil em 2016, obtidos com a soma das projeções de cada região do país e que descreve a produção e destino final dos resíduos sólidos urbanos – RSU, resíduos de saúde - RSS, resíduos de construções e demolições - RCD e os previstos nos acordos de logística reversa. Este

Água põe fogo no campo, artigo de Roberto Malvezzi (Gogó)

    [EcoDebate] Aproximadamente mil pessoas entraram nas fazendas Igarashi e Curitiba em Correntina, Bahia, quebraram os pivôs centrais de irrigação das empresas e derrubaram as instalações elétricas. Bastou para que a mídia falasse em vândalos, invasores, e a senadora Ana Amélia chegou a falar em exército de Lula no Senado, referindo-se ao MST. Quanta estupidez na boca de uma só senadora! O MST não estava lá e nem precisava, porque a reação foi

Aspecto nutricional dos alimentos – o que se deve saber, artigo de Sidinéa Cordeiro de Freitas

Aspecto nutricional dos alimentos O que se deve saber sobre os alimentos* *Sidinéa Cordeiro de Freitas, pesquisadora da Embrapa Agroindústria de Alimentos, responsável pelo Laboratório de Análises Físico-Química de Alimentos [EcoDebate] Alimentar vem do verbo latino alere, que significa crescer. Tanto para crescer, como para viver, ou até mesmo sobreviver, um indivíduo precisa se alimentar, isto é, ingerir alimentos. Mas isto não basta. É preciso que o alimento ingerido seja metabolizado pelo

Edulcorantes artificiais nas águas subterrâneas são indicadores da contaminação por sistemas sépticos

  University of Waterloo* A presença de adoçantes artificiais nas águas subterrâneas rurais mostra evidências de contaminação por águas residuais locais do sistema séptico, disseram pesquisadores da Universidade de Waterloo.     O estudo, publicado no Journal of Environmental Quality , descreve como os pesquisadores testaram poços de águas subterrâneas privadas e rurais na Bacia do rio Nottawasaga, para quatro adoçantes artificiais, como forma de detectar a água subterrânea impactada pelas águas residuais humanas sendo

OMS recomenda que produtores e a indústria de alimentos parem de dar antibióticos a animais saudáveis

  Objetivo é evitar a propagação de resistência antimicrobiana; chefe da agência alertou que "falta de antibióticos eficazes é ameaça tão grave quanto surto súbito e mortal de uma doença"; em alguns países, cerca de 80% do consumo total de antibióticos importantes para a saúde é no setor animal. Laura Gelbert Delgado, da ONU News em Nova Iorque. A Organização Mundial da Saúde, OMS, está recomendando que produtores e a indústria de alimentos parem

Condenada por trabalho escravo, M.Officer pode ser proibida de vender em SP por 10 anos

    TRT-SP manteve a decisão de pagamento de R$ 6 milhões por essa prática e o cumprimento de várias obrigações trabalhistas A 4ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo, em sessão realizada nesta terça-feira (7), manteve a condenação de primeira instância da M5 Indústria e Comércio, dona da marca M. Officer, por submeter trabalhadores a condições análogas à de escravidão em ação civil pública do Ministério Público do Trabalho

Top