Índice da edição nº 2.852, 2017 [de 18/10/17]

    Vida 3.0 e o ser humano na era da inteligência artificial, artigo de José Eustáquio Diniz Alves Alerta! Desastre socioambiental em Peruíbe/SP, artigo de Heitor Scalambrini Costa Sei em quem NÃO vou votar em 2018, artigo de Roberto Malvezzi (Gogó) Governo divulga que desmatamento na Amazônia caiu 16% em 12 meses Queda do Desmatamento na Amazônia: o que comemoramos? Desastres naturais levam 24 milhões de pessoas por ano a situações

Vida 3.0 e o ser humano na era da inteligência artificial, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] O livro “Life 3.0: Being Human in the Age of Artificial Intelligence” (2017), do físico e professor do MIT, Max Tegmark, que acaba de ser lançado, é uma relevante referência para a discussão sobre os impactos da Inteligência Artificial (IA), sobre a dinâmica econômica do mundo e sobre as possíveis reconfigurações da noção tradicional do ser humano. O título da obra refere-se a uma terceira fase da história evolutiva. Por

Alerta! Desastre socioambiental em Peruíbe/SP, artigo de Heitor Scalambrini Costa

    [EcoDebate] A definição e construção de grandes obras, sem participação e controle social, virou sinônimo de corrupção, de destruição ambiental, de remoção forçada de populações (quase sempre dos pobres, de comunidades tradicionais). No Brasil de hoje, no Brasil real, os exemplos estão ai para demonstrar o quanto se desvia dinheiro para fins escusos em obras justificadas pelos governantes como de interesse público (?), essenciais ao “desenvolvimento” (de quem?), para a geração

Sei em quem NÃO vou votar em 2018, artigo de Roberto Malvezzi (Gogó)

    [EcoDebate] Não sei em quem votarei em 2018, mas já sei em quem não vou votar. Não voto em nenhum deputado que votou pelo golpe no país. Eles são mais de 360. Não voto também em nenhum senador que confirmou o golpe. Eles são mais de 60. Eles destruíram o fiapo da democracia que tínhamos e implantaram no Brasil uma ditadura civil. Não votarei em nenhum deputado ou senador que pertença à

Governo divulga que desmatamento na Amazônia caiu 16% em 12 meses

ABr   Em 12 meses, Amazônia perdeu área de floresta equivalente a quatro vezes a cidade de São Paulo O desmatamento na Amazônia caiu 16% entre agosto de 2016 e julho de 2017. Os dados são do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e foram divulgados ontem (17) pelos ministros do Meio Ambiente, Sarney Filho, e da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab. Apesar da queda, 6.624 quilômetros quadrados (km²) de floresta

Queda do Desmatamento na Amazônia: o que comemoramos?

  O governo federal divulgou, em Brasília, que a taxa de desmatamento na Amazônia caiu 16% entre agosto de 2016 e julho de 2017 em relação ao mesmo período anterior. Com isso, a derrubada volta a cair depois de dois anos de tendência de alta, mas não há real motivo para celebração. “Bom que caiu a taxa, mas temos de focar em acabar com o desmatamento. Já passou da hora de o

Desastres naturais levam 24 milhões de pessoas por ano a situações de pobreza

  ONU Catástrofes naturais fazem com que, anualmente, 24 milhões de indivíduos sejam levadas à miséria, alertou na semana passada o secretário-geral da ONU, António Guterres. Dirigente pediu mais compromisso com marcos globais para combater a ameaça dos desastres. Segundo novo relatório do Escritório das Nações Unidas para a Redução do Risco de Desastres (UNISDR), fenômenos extremos deslocam cerca de 14 milhões de pessoas por ano. Catástrofes naturais fazem com que, anualmente, 24

MPT e MPF recomendam revogação de portaria que dificulta combate ao trabalho escravo

  Instituições afirmam que norma fere Código Penal, convenções internacionais e Lei de Acesso à Informação O Ministério Público do Trabalho (MPT) e o Ministério Público Federal (MPF) expediram, nesta terça-feira (17), recomendação pela revogação da Portaria nº 1129/2017, do Ministério do Trabalho (MTb). O texto modifica o conceito de trabalho escravo e traz novas regras sobre a publicação da Lista Suja. Na recomendação, o MPT e o MPF afirmam que a portaria

Top