Desastres relacionados ao clima podem afetar cerca de dois terços dos europeus até o final deste século

 

A Europa será duramente atingida por catástrofes climáticas no futuro

As catástrofes relacionadas com o clima podem afetar cerca de dois terços da população europeia anualmente até o final deste século. Isto poderia resultar num aumento de 50 vezes nas mortes em comparação com hoje se não forem tomadas medidas, de acordo com um novo estudo do Joint Research Center – o serviço de ciência e conhecimento da Comissão Europeia.

 

Padrões espaciais e temporais das mudanças projetadas no risco geral de perigos relacionados com o clima - Número de óbitos (A) e pessoas expostas (E) por ano agregadas no nível de Nomenclatura de Unidades Estatísticas 2 por vários perigos relacionados com o clima registrados durante o período de referência por 1 milhão de habitantes. Alterações simuladas simuladas de óbitos para 2011-40 (B), 2041-70 (C) e 2071-100 (D), e de pessoas expostas para 2011-40 (F), 2041-70 (G) e 2071- 100 (H), sob cenários de mudança de clima e população.
Padrões espaciais e temporais das mudanças projetadas no risco geral de perigos relacionados com o clima – Número de óbitos (A) e pessoas expostas (E) por ano agregadas no nível de Nomenclatura de Unidades Estatísticas 2 por vários perigos relacionados com o clima registrados durante o período de referência por 1 milhão de habitantes. Alterações simuladas simuladas de óbitos para 2011-40 (B), 2041-70 (C) e 2071-100 (D), e de pessoas expostas para 2011-40 (F), 2041-70 (G) e 2071- 100 (H), sob cenários de mudança de clima e população.

 

O estudo, que acaba de ser publicado na Lancet Planetary Health , combina informações sobre desastres documentados com projeções de perigo e demografia até 2100. Os desastres relacionados ao clima considerados são aqueles com os maiores impactos – ondas de calor e fezes de frio, incêndios florestais, secas, rio E inundações costeiras e tempestades de vento.

Se não for encurtado, o aumento das temperaturas e as alterações climáticas podem expor cerca de 350 milhões de europeus a climas nocivos extremos todos os anos. Este aumento substancial no risco de riscos relacionados com o clima deve-se principalmente ao aumento da frequência das ondas de calor. Outros fatores por trás do aumento projetado dos riscos relacionados ao clima são o crescimento da população e a urbanização.

O estudo conclui que o sul da Europa será mais atingido e que os extremos climáticos podem se tornar o maior risco ambiental para as pessoas na região, causando mais mortes prematuras do que a poluição do ar. As recentes ondas de calor com temperaturas recordes na Espanha são um exemplo de possíveis condições climáticas extremas futuras, já que os eventos dessa intensidade podem ocorrer todos os anos até o final do século, advertem os autores.

As variações de tempo, local, intensidade e frequência desses perigos como resultado do aquecimento global foram avaliadas sob um cenário comercial de gases de efeito estufa, usando modelos climáticos e biofísicos. As dinâmicas demográficas a longo prazo foram modeladas usando uma plataforma de modelagem territorial para representar a evolução da exposição humana. A vulnerabilidade humana aos extremos climáticos foi analisada com base em mais de 2 300 registros coletados de bancos de dados de eventos de desastre ocorridos entre 1981 e 2010, e foi assumido como estático (sob um cenário de não adaptação).

Este estudo contribui para o debate em curso sobre a necessidade de parar a mudança climática e se adaptar às suas consequências inevitáveis, como enfatizou o Acordo de Paris acordado através da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas. As descobertas revelam o peso esperado das mudanças climáticas nas sociedades de diferentes regiões da Europa.

Referência:
Increasing risk over time of weather-related hazards to the European population: a data-driven prognostic study
Dr Giovanni Forzieri, PhD’, Alessandro Cescatti, PhD, Filipe Batista e Silva, PhD, Luc Feyen, PhD
DOI: http://dx.doi.org/10.1016/S2542-5196(17)30082-7

Fonte: Joint Research Centre (JRC)*

 

* Tradução e edição de Henrique Cortez, EcoDebate

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 07/08/2017

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

2 comentários em “Desastres relacionados ao clima podem afetar cerca de dois terços dos europeus até o final deste século

  1. O texto precisa de edição. O estudo avalia especialmente probabilidades de ocorrência de eventos extremos, em especial ondas de calor. A associação dos eventos com o risco de morte não é linear, constituindo a parte mais discutível do estudo

  2. A estimativa do risco de morte é do estudo em referência e não da edição, conforme transcrição abaixo:

    Findings

    We found that weather-related disasters could affect about two-thirds of the European population annually by the year 2100 (351 million people exposed per year [uncertainty range 126 million to 523 million] during the period 2071–100) compared with 5% during the reference period (1981–2010; 25 million people exposed per year). About 50 times the number of fatalities occurring annually during the reference period (3000 deaths) could occur by the year 2100 (152 000 deaths [80 500–239 800]). Future effects show a prominent latitudinal gradient, increasing towards southern Europe, where the premature mortality rate due to weather extremes (about 700 annual fatalities per million inhabitants [482–957] during the period 2071–100 vs 11 during the reference period) could become the greatest environmental risk factor. The projected changes are dominated by global warming (accounting for more than 90% of the rise in risk to human beings), mainly through a rise in the frequency of heatwaves (about 2700 heat-related fatalities per year during the reference period vs 151 500 [80 100–239 000] during the period 2071–100).

    Atenciosamente

    Henrique Cortez, editor

Deixe uma resposta

Top