A transição energética: da energia fóssil às renováveis, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

 

“O futuro será das energias renováveis. Ou não haverá futuro

 

estimated renewable energy share of total final energy consumption

 

[EcoDebate] A edição do relatório “Renewables Global Status Report (GSR)”, de 2017, da Renewable Energy Policy Network for the 21st Century (REN21) revela que o mundo está passando por uma transição energética e que deve se acelerar nos próximos anos. Esta transição é fundamental para superar a Era dos combustíveis fósseis e para dissociação das atividades econômicas e as as emissões de dióxido de carbono, sendo que houve estabilização das emissões relacionadas à energia pelo terceiro ano consecutivo.

A figura acima mostra que, para 2015, os combustíveis fósseis ainda dominavam a matriz energética mundial e representavam mais de três quartos do consumo global. A energia nuclear representava 2,3% do total, ficando as renováveis com 19,3% (fontes modernas com 10,2% e fontes tradicionais com 9,1%). Entre as energias modernas, a eólica e a solar somam menos de 1,6%.

Assim, apesar das tendências positivas, o ritmo da transição não está no bom no sentido de cumprir o caminho para alcançar os objetivos estabelecidos no Acordo de Paris, visando manter o aumento da temperatura global bem abaixo de 2 graus Celsius. Sem dúvida, é preciso acelerar a transição energética, com aumento das energias renováveis que aproveitam as grandes reservas de vento e sol.

A capacidade de geração de energia renovável teve a sua maior elevação anual em 2016, com aumento de 161 gigawatts (GW). A capacidade global total aumentou quase 9% em comparação com 2015, alcançando quase 2.017 GW no final do ano.

A energia solar fotovoltaica (PV) contabilizou um acréscimo superior a qualquer outra tecnologia de geração de energia e representou cerca de 47% da capacidade de energia renovável instalada em 2016. A figura abaixo mostra que a capacidade global de energia solar PV chegou a 303 GW, sendo que o ano de 2016 bateu todos os recordes com 75 GW de capacidade instalada no ano. De 2006 a 2016 o aumento da capacidade acumulada foi de 50 vezes, algo realmente bastante significativo, embora tenha partido de uma base muito baixa e este ritmo de crescimento deve se reduzir nos próximos anos. A China foi o país que mais contribuiu com o aumento da energia solar. Assim, se a capacidade instalada dobrar a cada 5 anos, o mundo pode ter 100% de energia renovável antes de 2050.

 

solar pv global capacity and annual additions

 

A figura abaixo mostra que a capacidade instalada total de energia eólica alcançou 487 GW em 2016, bem acima da capacidade de energia solar. Mas o acréscimo anual foi menor, de 55 GW. A capacidade total de energia eólica está dobrando a cada seis anos, o que é pouco para um futuro 100% em meados do atual século.

 

wind power global capacity and annual additions

 

Sem dúvida o avanço da energia renovável substituindo os combustíveis fósseis é uma necessidade urgente para a estabilização da economia e do clima (Alves, 2014 e 2015). Contudo, todo este otimismo não é compartilhado por outros analistas.

Kurt Cobb considera que a revolução energética, se acontecer na escala necessária, não deve ocorrer de maneira tão rápida e nem com tantos resultados positivos sobre o clima. Ele diz: “Mesmo com todos os esforços a transição energética atual, embora cada vez mais urgente, ainda levaria um longo tempo. E não está claro a dimensão dos resultados positivos no que diz respeito às alterações climáticas”.

Gail Tverberg (2014), no artigo: “Ten Reasons Intermittent Renewables (Wind and Solar PV) are a Problem”, relaciona dez problemas que dificultam a superação dos combustíveis fósseis e a mudança da matriz energética mundial para fontes renováveis.

Richard Heinberg, analisando o crescimento da energia renovável no artigo “Renewable Energy Will Not Support Economic Growth” (2015), chega à seguinte conclusão: “Em suma, há muito mais desafios associados à transição da energia renovável do que oportunidades. Há possíveis soluções para todos os problemas que identificamos. Mas a maioria dessas soluções envolvem custos mais elevados ou a funcionalidade do sistema reduzida”.

Não resta dúvidas de que a economia internacional precisa reduzir significativamente os subsídios e a dependência dos combustíveis fósseis e aumentar o peso das energias renováveis no conjunto da produção energética, a despeito das dificuldades que precisam ser superadas. Para tanto é preciso que as diversas nações criem políticas públicas para incentivar a utilização das energias renováveis e que haja incentivo para que o mercado, as famílias e as comunidades invistam na mudança da matriz energética. Também é preciso construir redes de transmissão inteligentes para controlar a sazonalidade da produção de energia eólica e solar, aumentar a eficiência energética e adaptar a produção à demanda.

Portanto, os investimentos em energia eólica e solar devem vir acompanhados de uma mudança no modelo de produção e consumo que degrada a natureza e aumenta a pegada ecológica. O mundo precisa se livrar dos combustíveis fósseis, mas também precisa caminhar rumo ao decrescimento das atividades antrópicas, renovando o estilo de desenvolvimento consumista que tem colocado tantas pressões sobre o meio ambiente e a biodiversidade. A transição energética é um primeiro passo. Mas a construção de uma civilização ecológica e biocêntrica é um sonho ainda muito distante e que vai requerer esforços muitos mais vultosos.

Referências:

ALVES, J. E. D. 100% energia renovável, Rio de Janeiro, Cidadania & Meio Ambiente, n. 54, v. X, p. 6-10, 2015. (2177-630X)
http://pdf.ecodebate.com.br/rcman54.pdf

ALVES, JED. Energia renovável com baixa emissão de carbono, RJ, Cadernos Adenauer 3, 2014
http://www.kas.de/wf/doc/15610-1442-5-30.pdf

TVERBERG, Gail. Ten Reasons Intermittent Renewables (Wind and Solar PV) are a Problem, 21/01/2014.
http://ourfiniteworld.com/2014/01/21/ten-reasons-intermittent-renewables-wind-and-solar-pv-are-a-problem/#more-38749

Kurt Cobb.The energy revolution will not be televised, Resource Insights, May 31, 2015
http://resourceinsights.blogspot.com.br/2015/05/the-energy-revolution-will-not-be.html

Richard Heinberg. Renewable Energy Will Not Support Economic Growth, Resilience, Jun 5, 2015
http://www.resilience.org/stories/2015-06-05/renewable-energy-will-not-support-economic-growth

REN21. 2017. Renewables 2017 Global Status Report (Paris: REN21 Secretariat).
http://www.ren21.net/wp-content/uploads/2017/06/170607_GSR_2017_Full_Report.pdf

 

José Eustáquio Diniz Alves, Colunista do Portal EcoDebate, é Doutor em demografia e professor titular do mestrado e doutorado em População, Território e Estatísticas Públicas da Escola Nacional de Ciências Estatísticas – ENCE/IBGE; Apresenta seus pontos de vista em caráter pessoal. E-mail: jed_alves@yahoo.com.br

 

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 28/07/2017

"A transição energética: da energia fóssil às renováveis, artigo de José Eustáquio Diniz Alves," in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 28/07/2017, https://www.ecodebate.com.br/2017/07/28/transicao-energetica-da-energia-fossil-as-renovaveis-artigo-de-jose-eustaquio-diniz-alves/.

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Um comentário em “A transição energética: da energia fóssil às renováveis, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  1. Prezados

    Quem domina a história da Terra chega à conclusão que o petróleo é uma FONTE INSEGOTÁVEL DE ENERGIA e a tentativa de se trocar o mesmo por outra formas de energia representa PÉSSIMO USO DO TEMPO, GASTO INÚTIL de recursos, ale de ser um SUICÍDIO COLETIVO.

    Devemos lançar gigantescas quantidade de CO2 na atmosfera, para postergar o FIM DA VIDA, gerar mais trabalho para a humanidade e sepultar ao acordo de Paris que é maléfico para os humanos, pois a sua implementação antecipa o fim da vida

    Sds
    Vicente
    GEÓLOGO E ECOLOGISTA

Comentários encerrados.

Top