Os transgênicos e as hidrelétricas, artigo de Nagib Nassar

 

transgênicos

 

[EcoDebate] Em seu artigo titulado Transgênicos e Hidrelétricas publicado no Estadão o professor José Goldemberg, enfatiza beneficio dos transgênicos e disse que eles são feitos para proteger plantas de pragas.

Discordo do ilustre cientista, a começar por ele dizer vantagens não verdadeiras dos transgênicos . Sabe se que o único transgênico plantado para essa finalidade no Brasil é Milho Bt. Assim o Doutor esqueceu ou fez esquecer que para essa finalidade se introduz um gene na planta que produz toxina mata insetos, fazendo a planta funcionar como fosse um inseticida!! A toxina Bt, como mata insetos, ela intoxica o próprio humano. Frequentemente é citado na literatura que o risco para humano fica tão grande ate ser fatal. Um exemplo dessas variedades de milho Bt é a variedade milho MO 810, que é proibida para uso humano pelo próprio pais produtor e pela França, Alemanha, Inglaterra e outros países europeus. Infelizmente a variedade é autorizada no Brasil, e quem autorizou não se preocupou em nos fazer de simples cobaias!!. Em países pobres da África foi rejeitado até como presente. A Zâmbia preferiu ver seu povo sofrer de fome de que morrer envenenado!!. Além de matar insetos invasores, a toxina Bt mata insetos úteis, como abelha de mel e outros polinizadores necessários para que a planta formar frutas.

Quando esse tipo de transgênico morre ao final de estação de crescimento, suas raízes deixam para o solo resíduos tóxicos que matam bactérias fixadoras do nitrogênio e transforma o solo em um ambiente envenenado para crescimento da bactéria fixadora do Azoto que forma fertilizante. Assim, impede crescimento de qualquer cultura leguminosa. O fabricante desse transgênico gasta milhões de reais empregando todos os tipos de propagandas em todas as formas e todos os níveis levando ao mais alto nível o custo das sementes transgênicas, que chega a ser 130 vezes mais cara do que o preço normal. Os pequenos agricultores enganados e iludidos pela propaganda, quando não podem pagar dívidas, correm para um destino trágico que é o suicídio. Há muitos casos conhecidos da Índia, que chegou num ano só a 180 mortos.

É bom um físico falar sobre hidrelétricas, mas é questionável que se afirme dogmaticamente sobre transgênicos. E por que ele escolheu transgênicos para os associar às hidrelétricas? Será como uma fachada que esconde o mal dos transgênicos? Isto me lembra manifesto assinado por cem ganhadores de Nobel em favor de transgênicos escondendo atrás arroz dourado. Entre esses Nobel, físicos, químicos, e até letras, e além de tudo três mortos!!

Me lembro também de um químico que foi a dez anos atrás à Câmara de Deputados, argumentando e pedindo para liberar soja transgênica, e não pelos resultados científicos, que nunca foram apresentados nem existiam, mas para não prejudicar agricultores que contrabandearam soja, conforme registros de ata da Câmara (ver link abaixo). O nome dele é Hernan Chaimovich, diretor do Instituto de Química da USP na época e atual Presidente do CNPq. A Monsanto ganhou com liberação da soja transgênica nada menos de duzentos (200) milhões de dólares.

http://www.camara.leg.br/internet/sitaqweb/textoHTML.asp?etapa=11&nuSessao=2074/03&nuQuarto=0&nuOrador=0&nuInsercao=0&dtHorarioQuarto=14:30&sgFaseSessao=&Data=25/11/2003&txApelido=PL%202401/03%20-%20BIOSSEGURAN%C3%87A&txFaseSessao=Audi%C3%AAncia%20P%C3%BAblica%20Ordin%C3%A1ria&txTipoSessao=&dtHoraQuarto=14:30&txEtapa=

Nagib Nassar
Professor emérito da Universidade de Brasília http://www.geneconserve.pro.br/nassar.htm
Presidente fundador da fundação FUNAGIB ( www.funagib.geneconserve.pro.br )

 

in EcoDebate, 23/08/2016

[cite]

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à Ecodebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Um comentário em “Os transgênicos e as hidrelétricas, artigo de Nagib Nassar

  1. O Dr. Nassar está profundamente equivocado na maior parte de suas afirmações, a saber:

    a) Uma planta Bt não funciona como um inseticida: ela só mata um grupo pequeno de insetos contra os quais a proteína Bt específica é ativa, e apenas se o inseto comer a planta (comportamento esperado de uma praga). Qualquer outro inseto não será afetado de forma alguma, seja o inseto útil ou outra praga.
    b) A proteína não é tóxica para o ser humano nem para nenhum outro vertebrado: ele é simplesmente digerida no nosso intestino, como qualquer outra proteína
    c) A Autoridade Alimentar europeia considerou seguro o Milho Bt e muitos outros e os países individualmente proíbem os transgênicos por questões políticas, nada tem a ver com segurança alimentar
    d) A proteína Bt já está no solo porque a bactéria que a produz, o Bacillus thuringiesis, é um microrganismo comum do solo. A proteína é degradada em pouco tempo por outros microrganismos de solo e não há nenhuma evidência de que ela faça qualquer mal à microbiota nem altera de qualquer maneira a fixação de nitrogênio.
    e) O uso de sementes transgênicas traz mais lucro ao agricultor, não importa quanto a oposição esperneie: a taxa imensa de adoção destas variedades prova isso, porque o agricultor (pequeno ou grande) sabe fazer conta e não é facilmente enganado, como supõe o ilustre professor.
    f) O suicídio na India, coisa do passado, nada tem a ver com os transgênicos, mas com o comércio caótico de misturas de sementes que havia na ocasião. Isso é mais do que sabido.

    Acho que o Dr. Nagib precisa se despir dos preconceitos contra os transgênicos e ouvir menos a boataria da internet. Não fica bem para um professor emérito da UnB.

Comentários encerrados.

Top