MPF obtém condenação da Casal por lançar esgotos in natura no mar de Maceió

 

IMA autua construtora e prefeitura de Maceió por emissão de esgoto na praia. Foto: IMA

 

Empresa, Estado e Município estão obrigados a apresentar projeto de esgotamento sanitário e de recuperação das áreas afetadas, sob pena de multa e responsabilização dos gestores.

O Ministério Público Federal (MPF) em Alagoas obteve, na Justiça Federal, sentença que determina a Casal (Companhia de Saneamento de Alagoas) o ressarcimento por danos ao meio ambiente após a empresa pública ter efetuado ligações temporárias da rede coletora de esgoto em galerias de águas pluviais do bairro da Jatiúca, em Maceió. A sentença determina ainda que Casal, Estado e Município apresentem plano detalhado de ampliação do sistema de esgotamento sanitário de Maceió e iniciem um projeto de recuperação das áreas afetadas pelos efluentes já lançados, inclusive com a destinação de recursos nas respectivas propostas orçamentárias de 2017.

A sentença da lavra do Juiz Federal, André Luís Maia Tobias Granja, foi proferida nos autos da Ação Civil Pública nº 0006366-28.2006.4.05.8000 de autoria da Procuradora da República Niedja Kaspary. A ação ajuizada em 2006, derivou de Inquérito Civil que tramitou no MPF para apurar lançamento irregular de efluentes no mar, realizado naquele mesmo ano pela Casal, como também a necessidade de melhoria no sistema de esgotamento sanitário de Maceió.

Antes mesmo do ajuizamento da ação, o MPF/AL tentou solucionar os problemas administrativamente, realizando reuniões que ocorreram entre abril de 2005 e março de 2006, mas não obteve êxito, razão por que foi necessária buscar a tutela jurisdicional. No decorrer do processo, a Casal admitiu ter realizado ligações da rede coletora de esgoto, utilizada pelos condomínios Costa Brava, Costa do Marfim e Parque Jatiúca, às galerias de águas pluviais durante obras de reparo na região, entre junho e agosto de 2006.

Tendo em vista ser de responsabilidade do Estado de Alagoas e do Município de Maceió o desenvolvimento de políticas públicas na área ambiental, em especial de esgotamento sanitário, o juiz acatou os pedidos do MPF/AL e determinou a inclusão destes como réus. O Estado, por ser a ele vinculada a empresa pública estatal, e o Município, porque é sua atribuição a fiscalização de ligações clandestinas de esgoto nas redes de águas pluviais que têm gerado danos ambientais nas praias da Capital.

“O lançamento de esgotos no mar e nas praias de Maceió além de degradar o meio-ambiente afeta a saúde da população, sem falar em outros prejuízos advindos de tais condutas danosas, devendo os responsáveis por tais atos serem severamente punidos, até para que a impunidade não sirva de estimulo aos demais que lançam de forma criminosa esgotos nas redes de captação de águas pluviais de Maceió”, acrescentou Niedja Kaspary.

Casal, Estado de Alagoas e Município de Maceió devem ainda apresentar um plano detalhado, acompanhado de todos os estudos ambientais necessários, de ampliação do sistema de esgotamento sanitário da Capital, indicando, detalhadamente, o tempo de cumprimento de cada etapa, como também as obras já realizadas até o presente momento.

O magistrado Federal, atendendo ao pleito do MPF, determinou ainda que fosse iniciado um projeto de recuperação das áreas afetadas pelos efluentes já lançados, inclusive e com a destinação de recursos públicos incluídos nas propostas orçamentárias do ano de 2017.

Em caso de descumprimento, o Município pode ser proibido de emitir novas licenças para construção no perímetro urbano de Maceió, os réus podem ser multados, e os agentes públicos (Secretários de Estado e do Município e Diretores de Estatais) responsabilizados por ato de improbidade administrativa e dano ao erário.

O valor da indenização imposta à Casal ainda será definido, e deverá ser depositado junto ao Fundo de Reconstituição dos Bens Lesados previsto no art. 13 da Lei nº 7.347/85.

Processo nº 0006366-28.2006.4.05.8000 – 1ª Vara Federal em Alagoas

Fonte: Procuradoria da República em Alagoas

in EcoDebate, 21/07/2016

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à Ecodebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

3 comentários em “MPF obtém condenação da Casal por lançar esgotos in natura no mar de Maceió

  1. Confesso que o título da matéria e o início do texto me deixaram confusa. Acho que Casal deve ser a companhia de saneamento de Alagoas, agora que li o texto inteiro, mas recomendo que coloquem uma explicação para indicar isso, para deixar o texto menos confuso a quem não for alagoano. Afinal, depois de ler a manchete, eu estava pensando “nossa, mas… que crime pontual para ser noticiado. Quanto de esgoto duas pessoas podem estar produzindo? Com tantas fontes maiores…”

    Só depois do segundo parágrafo caiu a ficha de que Casal é um nome de companhia, e não se refere a um casal.

  2. Mariana,

    Agradecemos o alerta e a sugestão. Você está correta e por isto incluímos no texto que … Casal (Companhia de Saneamento de Alagoas) …

    Gratos, redação do Ecodebate

  3. Feita a de vida correcao, gostaria de lembrar um fato ocorrido comigo em Maceio.
    Eu estava a caminho da praia, quando me deparei com uma lingua negra de esgoto que precisei saltar.
    Chegando a praia, deparei-me com um carro pipa.
    Nao e uma incoherence a?

Comentários encerrados.

Top