Escravidão e morte de um Gorila inocente, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

 

“A libertação animal também é uma libertação humana”
Peter Singer

 

160606a

 

[EcoDebate] A humanidade ocupou e dominou todos os cantos do Planeta. Há 10.000 anos os seres humanos e seus animais domesticados representavam menos de um décimo de um por cento da biomassa dos vertebrados da terra. Agora, eles são 97%, segundo Ron Patterson. Não existe mais áreas anecúmenas suficientes para a vida selvagem.

Em vez de reselvagerizar o mundo e garantir liberdade para os animais, algumas pessoas defendem a importância dos zoológicos como unidades de preservação das espécies ameaçadas de extinção. Porém, na maioria dos casos, os zoológicos existem com fins lucrativos e como exibição do poderio humano sobre as demais espécies. Esta situação é caracterizada como escravidão animal.

Em geral, os animais ficam confinados em lugares estreitos, são expostos à visitação, sofrem mal tratos e são vítimas de abuso, como o zoológico do Rio de Janeiro é um bom (mal) exemplo. É comum os animais ficarem estressados e sujeitos a uma série de complicações da saúde física e mental. Em consequência, existe um grande movimento pelo fim dos zoológicos.

Um acontecimento ocorrido no dia 28 de maio, no zoológico de Cincinnati (Ohio, norte dos EUA), mostrou a crueldade da escravidão animal e da insensibilidade humana. Uma criança de 4 anos de idade transpôs a barreira da jaula de um Gorila e caiu no fosso que circundava seu espaço de confinação. O Gorila macho de 17 anos – chamado Harambe – e que pesava mais de 180 quilos, apanhou o menino e o arrastou pelo poço, com o seu jeito animal. Mas, durante os dez minutos que a criança ficou no fosso, não houve agressão ao garoto que não sofreu ferimentos provocados por Harambe (como pode ser visto no vídeo do jornal Daly Mail, ver link abaixo).

Contudo, a equipe de funcionários do zoológico, ao invés de contornar a situação ou atingir o Gorila com um dardo tranquilizante, resolveu disparar e matar o Gorila, que de forma alguma foi culpado pelo ocorrido. Este crime é mais uma amostra de que a ideologia que legitima o Especismo é a mesma que ratifica o Classismo, o Sexismo, o Escravismo, o Racismo, o Xenofobismo e o Homofobismo. Aliás a sociedade nem reconhece os direitos intrínsecos de existência das demais espécies sencientes.

 

160606b

 

E o pior foram as manchetes dos jornais brasileiros, que como a FSP, disseram: “Gorila que atacou criança é morto em zoológico dos EUA” (depois de reclamações o jornal mudou a manchete). Fica parecendo que o Gorila foi culpado pelo acontecido, quando na verdade foi apenas uma vítima. Mas a cultura antropocêntrica trata os animais como selvagens que ameaçam a civilização e devem ser enclausurados ou mortos.

 

160606c

 

Mas, evidentemente, as redes sociais começaram uma ampla campanha denominada “Justiça para Harambe”. O fato é que os animais não precisam de zoológicos e sim de áreas naturais e selvagens garantidas e respeitadas. No caso especifico de Cincinnati, dizem que a situação gerava risco de vida para a criança. Mas não se justifica defender uma vida matando outra vida. A humanidade precisa ser menos egoísta e ter maior altruísmo com os seres vivos da Terra e os ecossistemas.

No dia 05/06, Dia Mundial do Meio Ambiente, o Sistema ONU e seus parceiros lançaram a campanha “Solte a fera pela vida”, com o objetivo de apoiar no combate ao comércio ilegal de animais silvestres. A campanha mobilizou milhões de pessoas pelo mundo e incentivou medidas contra a captura ilegal e o tráfico de espécies e animais selvagens e para acabar com a demanda que impulsiona o comércio ilegal de animais silvestres. Porém, nada falou sobre a escravidão animal e o fim dos zoológicos. A morte de Harambe é uma evidência que muito mais é preciso ser feito pela defesa da vida e das áreas selvagens.

Referências:

ALVES, JED. Abolicionismo animal. Ecodebate, RJ, 06/11/2015

ALVES, JED. Dia Mundial pelo fim do Especismo: 22 de agosto. Ecodebate, RJ, 19/08/2015

ALVES, JED. Dia Mundial do Meio Ambiente: vergonha de ser humano. Ecodebate, RJ, 04/06/2014

Yann Arthus-Bertrand. Human
https://www.youtube.com/channel/UC4mGRD3WLYVVc4JI5LrXxUw

OLIVEIRA, Gabriela D. A teoria dos direitos animais humanos e não-humanos, de Tom Regan. Ethic@, Florianópolis, v.3, n.3, p. 283-299, Dez 2004

Brasil está atrasado em direito dos animais, diz ONG que coloca o tema em debate, Ecodebate, 02/10/2015

CAPARRÓS, Martín. A Era da Carne, El País, 31/10/2015

Por uma teologia da libertação animal. Entrevista especial com Luiz Carlos Susin e Gilmar Zampieri, IHU, 01/11/2015

SINGER, Peter. Libertação animal, Martins Fontes, 1975

SMAJE, Chris. Re-wilding: Joined-up Thinking Needed, Resilience, Oct 29, 2015

Instituto Abolicionista Animal

ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais http://www.anda.jor.br/

ANDRADE, Rodrigo. Introdução ao Abolicionismo Animal, 2012

Pelo fim da Escravidão Animal

Escravidão animal https://www.youtube.com/watch?v=LdY-eqAmPkM

Eradicating Ecocide

Dia mundial (22/08) contra o Especismo:

Ana María Aboglio. Direitos animais: O enfoque abolicionista.

Ética e Direitos Animais – Sônia T. Felipe
http://www.youtube.com/watch?v=EK0hVSpHn_I

A Carne é Fraca – documentário completo
http://www.youtube.com/watch?v=g0VoeRNEKnE

“Carne Sofriboi”, do chargista Maurício Ricardo
http://www.youtube.com/watch?v=ygC8AJ4WviA

Documentário “Linha de Desmontagem”
http://www.youtube.com/watch?v=BYHel1oZ62o

Se os abatedouros tivessem paredes de vidro – com Paul McCartney (dublado em português)
http://www.youtube.com/watch?v=2VVy_V-XOv4

Ser humano espécie invasora e praga sobre a Terra?
https://www.facebook.com/photo.php?v=710025515727565

Como o ser humano destrói o planeta http://www.youtube.com/watch?v=WfGMYdalClU
http://www.huffingtonpost.com/2014/03/27/everything-wrong-with-humanity-animation_n_5037496.html?utm_hp_ref=mostpopular

Ubuntu 4 Animals

Escravidão e Movimento Abolicionista Animal https://www.youtube.com/watch?v=f574ZVqhqyY

Abolicionismo Pelos Animais 1/3 https://www.youtube.com/watch?v=OKmmOnitKhY

Meat The Truth: https://youtu.be/u7LBPHtOBnk

PATTERSON, Ron. Of Fossil Fuels and Human Destiny, Blog, 07/05/2014

Comunidade Pelo fim dos zoológicos, Facebook

Justice for Harambe – Compartilhe este abaixo-assinado

More than a thousand have joined Facebook group ‘Justice for Harambe’, 29/05/2016

Kelly Hayes. A Zoo Story: From Harambe to Human Bondage, Truthout, 01/06/2016

Editorial ANDA. Gorila Harambe é o novo símbolo de luta contra as prisões denominadas zoológicos, 31 de maio de 2016

José Eustáquio Diniz Alves, Colunista do Portal EcoDebate, é Doutor em demografia e professor titular do mestrado e doutorado em População, Território e Estatísticas Públicas da Escola Nacional de Ciências Estatísticas – ENCE/IBGE; Apresenta seus pontos de vista em caráter pessoal. E-mail: jed_alves@yahoo.com.br

 

in EcoDebate, 06/06/2016

[cite]

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à Ecodebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

4 comentários em “Escravidão e morte de um Gorila inocente, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  1. Fico a ver esses comentários, porem na situação apresentada a decisão foi a mais acertada (infelizmente). Apesar do gorila “não querer” prejudicar a criança, pois ele trata assim seus filhos puxando de um lado para outro, sobem em cima, etc. Ele poderia sim matar a criança por essa forma de agir, e não há anestésico que haja rápido, pois esse poderia agitar mais o gorila. E para salvar a criança, eliminou-se o gorila, decidiu-se pelo princípio da precaução, ou deveria ser ao contrário? deixar o gorila agir (vivo), podendo a criança morrer??? Concordo que deva haver maior proteção (como uma criança conseguiu cair na jaula do gorila?). Como não há anestésico de ação imediata? (tecnologia). O ser humano não esta pronto (nunca estará) estamos sempre aprendendo, e muitas vezes com os erros. E assim caminha a humanidade.

  2. Parabéns pelo artigo…concordo com o Edgard tinha que usar o princípio da precaução…uma criança não pode pagar pela negligência dos pais…

    Mas lembro de já li…não sei se é verdadeiro…que indivíduos negros, nossos irmãos já foram expostos em condições análogas à zoológico…aliás eram tratados assim por traficantes de escravos…

    Grande abs…

    RNaime

  3. Doutor José Eustáquio Diniz Alves, obrigado por haver produzido e publicado o artigo “Escravidão e morte de um Gorila inocente”.

  4. Interessante e polêmico ponto. Fico realmente dividida. Mas se fossemos a mãe da criança, não haveria dúvidas..

Comentários encerrados.

Top