Produção Mais Limpa no Setor Automotivo-Reciclagem, por Cristiane Oliveira da Silva; Jéssica da Silva Ferreira; Kelly Cristina Rosa Freire;Michelle Pereira Freitas Santos e Roberta Fabiana de Pauli

 

artigo

PRODUÇÃO MAIS LIMPA NO SETOR AUTOMOTIVO-RECICLAGEM

Cristiane Oliveira da Silva; Jéssica da Silva Ferreira; Kelly Cristina Rosa Freire;Michelle Pereira Freitas Santos; Roberta Fabiana de Pauli

Orientadora: Mestre Janaina Bruna Pissolati Fernandes

Faculdades Metropolitanas Unidas- FMU

Resumo

A produção mais limpa no setor automotivo visa adotar estratégias ambientais preventivas aumentando a responsabilidade social, econômica e ecológica, respondendo as atuais necessidades das empresas por um melhor desempenho ambiental. A indústria automotiva tem sido pioneira na adoção de novos processos produtivos. Buscou-se através de estudos e pesquisas, analisar o comportamento adotado pelas empresas automotivas em relação ao desenvolvimento sustentável aliado aos princípios e técnicas sugeridos pela produção mais limpa. O objetivo do estudo consiste em métodos de reciclagem de um veículo no final de sua vida útil, trazendo beneficios para a população, meio ambiente e principalmente para a própria empresa.

Palavra Chave: Produção mais limpa.Sustentabilidade. Reciclagem Automotiva.

1. Introdução

O conceito de reciclagem da frota automotiva se tornou um dos assuntos mais discutidos nos últimos anos, pois com o avanço das tecnologias, as indústrias automobilísticas estão renovando a cada ano os seus veículos. A frota de veículos no Brasil cresce a cada ano, e com ela o aumento do numero de carros expostos irregularmente gerando impactos ambientais diversos. Países mais desenvolvidos começaram a adotar o conceito da reciclagem de veículos, e com o passar dos anos com o apoio da industria automotiva e do governo, hoje conseguem alcançar quase 90% da frota de veículos reciclados, este número no Brasil infelizmente não cosegue chegar nem a 2%.[7]

No final de sua vida útil, os veículos trazem prejuizos ambientais, e muitas vezes são levados a desmanches ilegais das peças automotivas.

Algumas empresas estão adotando a reciclagem automotiva com o apoio do governo que oficializou a lei de nº 12.977, que autoriza o desmanche de veículos.

Com a regulamentação desta lei muitos desmanches ilegais foram fechados reduzindo também, o comercio de peças ilegais. Com a criação desta lei, empresas estão criando projetos visando a sustentabilidade dos carros quando chegam no final de sua vida útil e gerando lucros com a reciclagem.

O objetivo deste trabalho relata a importancia da reciclagem de veículos, desde o processo de desmontagem, separação e regulamentação, fazendo uma comparação com o atual cenário do Brasil e em outros países.

2. FUNDAMENTOS TEÓRICOS

2.1 Produção Mais Limpa: Benefícios Ambientais e Econômicos

Produção mais limpa trata-se de uma ferramenta estratégica que agrega valores ambientais e econômicos aos produtos da empresa. Verifica a origem dos impactos gerados nos processos, produtos e serviços possibilitando, também o estudo de alternativas para eliminar ou reduzir a quantidade de efluentes, resíduos e emissões, racionalizando as matérias-primas e insumos, aumentando a reutilização e reciclagem de materiais. [9]

P+L: É a “aplicação continua de uma estratégia ambiental integrada e preventiva para processos, produtos e serviços, para aumentar a eficiência global e reduzir os riscos ás pessoas e ao meio ambiente” (CIESP, 2015). [3]

Dentre essas ferramentas são verificados a matéria prima, água, energia, os resíduos, os efluentes e emissões de poluentes atmosféricos a fim de reduzir ou neutralizar as emissões, efluentes e os resíduos encontrando estratégias para minimizar os impactos gerados ao longo de sua produção e redução de custos. Veremos a seguir alguns beneficios ambientais e econômicos.[1,9]

2.2.Benefícios da Produção mais limpa

As empresas que estão ou já implantaram o Programa de Produção Mais Limpa, têm uma visão melhor de seu processo de trabalho, com o monitoramento através de indicadores ambientais e de processo, resultante em um sistema de utilização ecoeficiente de recursos, com isso traz conhecimento, entendimento e informações necessárias para um melhor gerenciamento da empresa. Trazendo melhorias nas áreas de benefícios ambiental, econômicos e de saúde ocupacional. [9]

2.3.Benefícios Ambientais

Com a aplicação da produção mais limpa, não se atua somente em minimizar os impactos ambiental através de tratamentos, reciclagem e destinação correta dos resíduos, evita-se a poluição antes dela ser gerada. As principais tarefas são a redução, a eliminação de resíduos, a produção sem poluição, eficiência energética, saúde e segurança do trabalho, produtos e embalagens ambientalmente adequadas. [1,6,9]

2.4.Benefícios Econômicos

Ocorre o aumento de produtividade, a eliminação dos desperdícios, redução de emissões e de resíduos, limpeza e organização no local de trabalho, e redução de custos, melhora a imagem da empresa, reduz gastos com multas e penalidades. A empresa pode recuperar os investimentos iniciais que foram aplicados na empresa, pois ocorrerá uma redução nos custos totais, fazendo esses custos reduzir permanentemente com a maior eficiência alcançada. [6,9]

2.5 Reciclagem de Veículos

Atualmente os depósitos de veículos estão superlotados e para encontrar uma solução se tornou um desafio. Alguns lugares do mundo inclusive no Brasil, algumas regiões adotaram a reciclagem de veículos, diminuindo as superlotações dos depósitos minimizando os impactos ambientais. [2,6,12,14]

Para que seja feita a reciclagem de veículos são necessarias varias etapas, tais como:

Pneus: São triturados e refinados se transformando em um pó, que pode ser vendido para empresas e indústrias. [3,5]

Vidros: Os vidros são triturados até virar pó, como os vidros que são utilizados na fabricação dos veículos são mais resistentes que vidros normais, depois de reciclados não podem voltar para indústria automobilística, para serem reutilizados em outros carros, mais podem ser utilizados na fabricação de garrafas. [3,5]

Bateria: Para que seja feito a reciclagem da bateria, é necessário fazer a retirada do chumbo que depois é reutilizado em baterias de reposição. [3,5]

Fluido: Os fluidos existentes nos carros são os óleos, para fazer a sua reciclagem eles passam por uma etapa de descontaminação virando um simples óleo mineral, que depois em uma próxima etapa é feito a adição de outros componentes. [3,5]

Plástico: Os para-choques e painéis são retirados e são triturados, podendo ser encaminhados para outras empresas, para fabricação de outros materiais plásticos ou podem ser reutilizados em peças internas dos carros como, por exemplo, painéis, maçanetas internas, suporte para cintos e foro de porta. [3,5]

Um ponto de grande destaque, é a fragmentação das carcaças de aço previamente desmontadas. Esse processo diminui o material em pequenos pedaços, para facilitar o transporte e para facilitar o processo de reciclagem dos materiais. A reciclagem dos materiais fragmentados pode ser reaproveitada para confecção de chapas, barras, entre outras. A fragmentação de carcaças permite recuperar entre 45% e 55% dos metais existentes no veículo. Diferente dos outros processos que pode ser realizado no mesmo local, o processo de fragmentação é necessário um transporte e área de armazenamento grande, sendo necessário realizar este processo em um local apropriado e por empresas especializadas.[8,14]

Segundo o coordenador de operações de serviços da GM do Brasil, William Monteiro (2009):

A reciclagem automotiva trará benefícios para toda a cadeia produtiva, passando pelas montadoras e seguradoras, até alcançar a população como um todo. Acredito que a reciclagem de veículos, que tem cunho social e ambiental, é muito importante para a sociedade. Mas também é preciso analisar o lado econômico. A montadora teria a vantagem da diminuição do índice de furto e roubo, e não teria problema com as peças de reposição[11].

Com a reciclagem e reutilização de peças e componentes dos veículos, proporciona ao cidadão um custo beneficio enorme, pois estas peças e componentes que vem direto das concessionárias, tem o custo bem maior do que a mesma peça que vem de uma reciclagem de um veículo, ou seja, as peças que vem da reciclagem traz ao consumidor uma economia extremamente viável, pois a qualidade da peça é exatamente a mesma qualidade que seria a de fabrica, a única diferença que apresenta, é o valor a ser gasto nesta peça, pois a que foi reciclada é mais barata do que a peça que vem direto da fabrica. Além de proporcionar ao consumidor peças de carro em um valor acessível, traz também aos consumidores seguros automotivos com um custo mais baixo, conhecido também como seguro popular. [4,6,10]

Outro ponto de destaque foi a legalização para a reutilização das peças de veículos, através da lei nº 12.977, que proporciona para a sociedade um decaimento no roubo de carros e com isso diminui o número de desmanches ilegais existentes, que na maior parte das vezes as peças que são comercializadas nestes desmanches são peças de carros roubados. A partir desta lei o número de roubos de carros e de latrocínio foi reduzido, trazendo para a população uma segurança maior. [4,6,10]

Tabela 1- Demonstrativa dos preços de peças de Reuso e peça Original

Veiculo

Ano

Descrição

Preço Original

Preço de Reuso

Fox

2012

Porta traseira

R$ 1.650,00

R$ 480,00

C3

2012

Farol esquerdo

R$ 838,00

R$ 560,00

Civic

2008

Lanterna Traseira

R$ 529,00

R$ 155,00

HB20

2012/2014

Kit farol de Milha

R$ 423,60

R$ 156,58

Corolla

2008

Capô

R$ 1.200,00

R$ 270,00

FONTE:Preços de reuso tirados do site loja Renova Ecopeças http://www.renovaecopecas.com.br/lojaHYPERLINK “http://www.renovaecopecas.com.br/loja%20/” HYPERLINK “http://www.renovaecopecas.com.br/loja%20/”/ Preço Original Concessionária: Diauto –Volkswagen ,Honda,Hyundai , Citroen e Toyota

2.6 Reciclagem de Veículos no Brasil e em outros Países

A frota de veiculos vem aumentando no Brasil, muitos saem de circulação e poucos são reciclados. O Brasil esta em torno de 40 milhões de veículos em circulação, e centenas destes são descartados em aterros e desmanches ilegais.

Estes desmanches ilegais não tem a regulamentação do governo e nem a licença ambiental para que seja feito o descarte adequado das peças e componentes do automóvel. [5]

No Brasil apenas 1,5 % de toda a frota automobilística é reciclada, em outros países este percentual chega a 95% de reciclagem automotiva, alguns destes países são Argentina, Estados Unidos da America e Japão. Em 20 de Maio de 2014 a Presidente Dilma Rousseff, legalizou o desmanche de veículos, através da Lei 12.977 juntamente com a Lei 15.276, de 02/01/2014, com o propósito de estimular empresas a fazer a reciclagem de veículos, e com isso diminuir os índices de roubos de carros e desmanches ilegais. Mesmo com a criação desta lei são poucas as empresas que estão adotando a pratica de reciclagem automotiva, este número no Brasil ainda é muito inferior sendo comparado a outros países como por exemplo o Japão, que uma lei que obriga a todas as pessoas, ao comprar um veiculo, a pagar uma taxa, para que quando este carro sair de circulação ele será reciclado automaticamente. O objetivo desta lei é estimular a população a se preocupar com o meio ambiente, mostrando o quanto o Brasil esta em desvantagem na reciclagem automotiva. [5][6][8][9][10]

Como o índice de reciclagem automotiva no Brasil é recente, a população não tem conhecimento sobre o assunto. O governo tem a iniciativa de estimular as empresas e os consumidores a fazer o descarte correto do seu automóvel quando chega no final de sua vida útil. O Brasil tem muito a evoluir na reciclagem automotiva, segundo Bruno Batista (2012, Diretor-Executivo da CNT ):

Apesar das dificuldades, sabemos que é possível fazer. É um assunto complexo, que envolve indústria e comércio, mas precisamos ir atrás de soluções. O papel do governo é fundamental nesse trabalho” [8]

.

3. Projeto Renova Ecopeças

O projeto Renova Ecopeças, foi desenvolvido pela empresa Porto Seguro Seguros, com o objetivo de minimizar os danos ambientais causados pelos veiculos quando chegam ao final de sua vida útil, e com isso levar ao consumidor peças de carros com um custo baixo. A Renova Ecopeças já existe mais de um ano no mercado Brasileiro, colocando em pratica toda a sua visão ambiental e socioeconômica. Este processo de reciclagem dos veículos tem como objetivo principal reciclar e reaproveitar todas as peças dos automóveis, com isso as peças em excelente estado são reaproveitadas e vendidas no mercado, juntamente com a sua garantia e a sua certificação legal fornecida pela Renova Ecopeças, já as peças que estão danificadas ou que não possam ser reaproveitadas são encaminhadas as empresas especializadas em reciclagem ou devolvidas a sua empresa de origem. [15]

Para que seja feito o reaproveitamento das peças dos veículos, é necessário seguir algumas normas de documentação e sustentabilidade, para que possa ser comercializado legalmente o reaproveitamento das peças. Este processo é feito quando o veiculo é encaminhado pela seguradora (Porto Seguro Seguros, Azul ou Itaú) primeiramente o carro passa por uma fiscalização de documentos, para que seja averiguado se o veículo não tem nenhum problema de documentação, problemas legais ou se é carro roubado, se o veículo apresentar algum destes problemas é retirado do projeto, mais se não apresentar nenhum problema é passado para próxima fase. [16]

Na fase seguinte o veículo tem a baixa da sua documentação pelo DETRAN (Departamento Estadual de Transito de São Paulo), e é a partir deste processo que as peças dos carros começam a ser separadas e classificadas para serem reutilizadas ou recicladas. Na terceira fase ocorre a descontaminação do carro, que é neste momento que são retirados os óleos e gases que existem nos veículos, e sempre tendo uma atenção especial para que seja feita a retirada de forma segura, para não causar contaminação para o meio ambiente, e logo em seguida são encaminhados para empresas especializadas em reciclagem. [15]

Na quarta fase, o veiculo é desmontado e todos os seus itens de segurança, tais como o cinto e os airbags e outros itens como os vidros e o motor são retirados e encaminhados para indústria de reciclagem. A partir da quinta fase, as peças que foram retiradas dos carros são classificadas como A, B e C. As peças classificadas como A, são as peças que estão em excelente estado, as peças classificadas como B, são as peças que apresentam pequenos danos como por exemplo: amassados profundos, e por conta destes pequenos danos são vendidas nesta forma, mais com um valor bem inferior, e é nas oficinas que são realizados os reparos adequados, e as peças classificadas como C, são todas as peças e componentes do carro que não podem ser reaproveitados, nesta categoria elas são destinadas a empresas de reciclagem ou são devolvidas a seus fabricantes para que seja dado um destino final adequado. [15]

Na sexta etapa, todas as peças que poderão ser reaproveitadas sofrem uma marcação de rastreamento, que é uma garantia para o consumidor que aquela peça foi testada e aprovada de forma legal. Esta marcação de rastreamento, chamado de Microdots, não causa nenhum dano a estrutura da peça, podendo ser visualizado através da luz ultravioleta, e com isso contribui para impossibilitar o furto e contrabando de peças. Depois que todas estas peças ganham este rastreamento as mesmas ganham uma nova nota fiscal e com isso passam a ser peças únicas e prontas para serem reutilizadas. Na sétima fase todas as peças são classificadas como A, B e C e são armazenadas, as classificadas como A e B são organizadas para que seja realizado a sua venda, já as que são classificadas como C são direcionadas para as empresas de reciclagem ou devolvidas a seus fabricantes. E na última fase, as peças classificadas como A e B são vendidas para diferentes públicos juntamente com a sua garantia e certificação de segurança e qualidade. [15]

O projeto de reciclagem de veículos da Renova Ecopeças visa não apenas o custo benefício para os consumidores, mas também visa a responsabilidade ambiental. Todo o pensamento e desenvolvimento do projeto e da estrutura da empresa foi visando a sustentabilidade, e com isso a Renova Ecopeças traz aos consumidores um produto de baixo custo mais de excelente qualidade, com a sua garantia de certificação legal e de qualidade sustentável. [13][15]

4. Considerações Finais

Ao término de sua vida útil, a reciclagem dos veiculos vem crescendo nos países como o Japão, Argentina e nos Estados Unidos. Aproximadamente 95% das frotas desses paises são reciclados, mas no caso do Brasil este número é inferior a 2%. A partir de uma análise detalhada da situação e da quantidade dos veículos que saem de circulação, o Brasil precisa de iniciativa, planejamento, estratégia, economia e uma infraestrutura adequada para acomodar estes veículos ate o término do processo de reciclagem. Com esse projeto voltado para as industrias automobilisticas juntamente com o poder público, a inovação, especialização e novas soluções e tecnologias na área de reciclagem automotiva, diminui o impacto ambiental, as peças recicladas traz ao consumidor uma economia extremamente viável e com a legalização para a reutilização das peças dos veículos proporciona para a sociedade um decaimento no roubo de carros, diminuindo o número de desmanches ilegais existentes, que na maior parte das vezes as peças vem de carros

5. Referências Bibliográficas

1. AGÊNCIA CNT DE NOTÍCIAS. Japão recupera 95% dos componentes de veículos reciclados. Disponível em: . Acesso em: 13 mar. 2015.

2. BRASIL. Lei nº 12.977, de 20 de maio de 2014. Regula a disciplina a atividade de desmontagem de veículos automotores terrestres: altera o art.126 da Lei nº 9.503, de 23 de setembro de 1997 – Código de trânsito Brasileiro; e dá outras providencias. Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos: edição federal, 2014 Disponível em: . Acesso em: 14 mar. 2015.

3. CIESP. Produção mais limpa (P + L). Disponível em: . Acesso em: 27 mar. 2015.

4. CNSEG. Experiência argentina mostra vantagens da reciclagem de veículos: Legislação reduziu preços dos seguros de automóvel, afetando até taxas de homicídios. Disponível em: . Acesso em: 04 mar. 2015.

5. CULTURA MIX. Reciclagem de veículos – reaproveitamento ecológico. Disponível em: . Acesso em: 19 mar. 2015. 6. CULTURA MIX. Reciclagem de peças automotivas no Brasil. Disponível em: . Acesso em: 04 mar. 2015.

6. CULTURA MIX. Reciclagem de peças automotivas no Brasil. Disponível em: . Acesso em: 04 mar. 2015.

7. DENATRAN – FENABRAVE: Renova Ecopeças. Disponível em: . Acesso em: 10 Mar. 2015.

8. DINÂMICA AMBIENTAL. A importância da reciclagem dos veículos no fim de sua vida. Disponível em: . Acesso em: 14 mar. 2015.

9. SENAI. Implementação de programas de produção mais limpa. Porto Alegre, Centro Nacional de Tecnologias Limpas SENAI-RS/UNIDO/INEP, 2003. Disponível em: . Acesso em: 27 mar. 2015.

10. LARA, R. Lei que regulamenta desmanches abre espaço para seguro popular. Disponível em: . Acesso em: 06 mar. 2015.

11. MONTEIRO, W. Reciclagem chega ao setor automotivo. Revista Responsabilidade Social, vol. 79, ago. 2009.

12. PASSOS, E. R. Reciclagem de automóveis. 58f. Monografia (Pós-graduação) – Escola de Engenharia, Centro Universitário Instituto Mauá de tecnologia, São Caetano do Sul, 2013. Disponível em: . Acesso em: 18 mar. 2015.

13. POMAROLE, L. A. 18 º Congresso brasileiro dos corretores de seguros: 2º congresso brasileiro de saúde suplementar. Disponível em: . Acesso em: 28 fev. 2015.

14. PORTAL RESÍDUOS SÓLIDOS – ENVITESB LTDA. Reciclagem de automóveis. Disponível em: . Acesso em: 15 mar. 2015.

15. RENOVA ECOPEÇAS. Peças recicladas com garantia e responsabilidade ambiental. São Paulo. Disponível em: . Acesso em: 28 fev. 2015.

16. SÃO PAULO. Lei nº 15.276, de 02 de janeiro de 2014. Dispõe sobre a destinação de veículos em fim de vida útil e dá outras providências. Assessoria Técnico-Legislativa: São Paulo, 2014. Disponível em: Acesso em: 28 mar. 2015.

 

Publicado no Portal EcoDebate, 13/07/2015

Produção Mais Limpa no Setor Automotivo-Reciclagem, por Cristiane Oliveira da Silva; Jéssica da Silva Ferreira; Kelly Cristina Rosa Freire;Michelle Pereira Freitas Santos e Roberta Fabiana de Pauli, in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 13/07/2015, https://www.ecodebate.com.br/2015/07/13/producao-mais-limpa-no-setor-automotivo-reciclagem-por-cristiane-oliveira-da-silva-jessica-da-silva-ferreira-kelly-cristina-rosa-freiremichelle-pereira-freitas-santos-e-roberta-fabiana-de-pauli/.


[ O conteúdo do EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, ao EcoDebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Alexa

Top