Madeireiros expulsos do território dos Awá, a tribo mais ameaçada do mundo

 

A campanha global da Survival International para salvar os Awá, a tribo mais ameaçada do mundo, celebrou um grande sucesso esta semana: madeireiros e fazendeiros responsáveis pela destruição da floresta da tribo na Amazônia brasileira estão sendo expulsos. Os primeiros prazos para os invasores deixarem o território expiraram nessa segunda-feira 24 de fevereiro, 2014.

De acordo com relatórios da FUNAI (Fundação Nacional do Índio) muitos madeireiros e fazendeiros deixaram a área na última semana, e o esquadrão terreno vai remover todos os outros invasores antes do dia 9 de março.

Assista a um vídeo da FUNAI, mostrando a primeira etapa da ‘Operação Awá’. Pire’i Ma’a, um homem Awá diz: ‘Tudo [toda caça] se espanta… Há madeireiros em todos os lugares. Não podemos caçar… Durante muito tempo estamos dizendo que os madeireiros estão aqui na área, e suas motosserras estão soando.’

Celebridades e centenas de apoiadores espalharam a mensagem 'Brasil: Salve os Awá' em pontos famosos ao redor do mundo.

Celebridades e centenas de apoiadores espalharam a mensagem ‘Brasil: Salve os Awá’ em pontos famosos ao redor do mundo. © Survival

A operação segue a campanha internacional para salvar a tribo Awá da extinção. Após o lançamento da campanha, em abril de 2012, o governo brasileiro anunciou que o caso Awá era uma prioridade, e enviou um esquadrão de pelo menos 200 soldados, policiais e agentes do governo no início de 2014 para retirar os invasores. Fontes oficiais confirmaram que o lançamento da Operação Awá é devido à pressão internacional.

O Ministro da Justiça do Brasil já recebeu mais de 56.000 mensagens de apoiadores da Survival pedindo que a terra dos Awá seja protegida, e celebridades como a estrela de cinema Colin Firth, a designer de moda Vivienne Westwood e fotógrafo brasileiro Sebastião Salgado espalharam a mensagem da campanha ‘Brasil: Salve os Awá’ internacionalmente.

A Comissão Interamericana de Direitos Humanos, líder de direitos humanos nas Américas, também exigiu respostas do Brasil sobre seu tratamento dos Awá, depois de receber uma submissão urgente da Survival e a ONG brasileira CIMI, que tem trabalhado em estreita colaboração com os Awá há décadas.

Agora, a Survival está instando que o governo brasileiro complete a operação e implemente um programa permanente de proteção da terra, para que os invasores não voltem.

Os Awá são uma das últimas tribos de caçadores-coletores nômades no Brasil, e dependem da floresta e sua caça para sobreviver. Mas eles têm vivido com medo, já que madeireiros ilegais estavam se aproximando.

Os Awá são uma das últimas tribos de caçadores-coletores nômades da Amazônia. Eles dependem da floresta para sua sobrevivência.

Os Awá são uma das últimas tribos de caçadores-coletores nômades da Amazônia. Eles dependem da floresta para sua sobrevivência. © Domenico Pugliese/Survival

Mais de um terço da floresta em um dos territórios dos Awá já foi destruído, e a tribo está preocupada com a segurança de seus parentes isolados que são forçados a viver constantemente fugindo de madeireiros fortemente armados.

Nixiwaka Yawanawá, um índio da Amazônia que trabalha com a Survival, disse hoje, ‘As autoridades brasileiras estão removendo os invasores de terra Awá, graças à campanha da Survival e a pressão internacional. Para os Awá sobreviver, o governo deve garantir a proteção a longo prazo de suas terras. Se não, eles serão destruídos, como tantas outras tribos na história do Brasil.’

Stephen Corry, Diretor da Survival International, disse, ‘Operação Awá nunca teria acontecido sem os milhares de apoiadores em todo o mundo que tomaram medidas para impedir a aniquilação da tribo mais ameaçada do mundo. Mais de quarenta anos de campanhas para os direitos dos povos indígenas mostraram para nós que a opinião pública é a única força eficaz que pode trazer mudanças reais.’

Informe da Survival International, publicado pelo EcoDebate, 27/02/2014


[ O conteúdo do EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, ao EcoDebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate
Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta clicar no LINK e preencher o formulário de inscrição. O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate
Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Alexa

Top