MPF/TO busca impedir práticas que ameacem sobrevivência do pato-mergulhão do Jalapão

 

Pato Mergulhão
Pato Mergulhão. Foto: Núcleo Mata Atlântica – Numa / Ministério Público da Bahia

 

Atividades turísticas às margens e dentro do rio Novo devem ser interrompidas por cinco anos, período após o qual devem ser realizadas pesquisas para definir quais podem ser desenvolvidas sem prejuízo para a espécie

Durante reunião no Ministério Público Federal no Tocantins (MPF/TO) foram debatidas as possibilidades de proteção para o habitat do pato-mergulhão no rio Novo, na região do Jalapão. Realizado a convite do Ministério Público Federal, o evento contou com participação de representantes do Ministério Público Federal, Ibama/TO, Naturatins, Instituto Ecos do Cerrado, Secretaria Estadual de Meio Ambiente, Agência de Desenvolvimento Turístico do Tocantins (Adtur) e Secretaria de Meio Ambiente do Município de Mateiros.

Representante do Ecos do Cerrado, Marisônia de Almeida fez uma síntese dos trabalhos desenvolvidos pelo instituto especificamente em relação à espécie ameaçada de extinção. Hilton de Oliveira, do Naturatins, informou que existe uma portaria do órgão ambiental do estado proibindo a prática de rafting no rio Novo, cuja cópia foi apresentada. Somente uma empresa foi autorizada a promover atividades envolvendo o esporte no rio, após um processo administrativo conduzido pelo Naturatins.

Como encaminhamentos, o procurador da República Álvaro Manzano anunciou que requisitará a cópia do processo da empresa autorizada a promover o rafting no rio para análise da possibilidade de buscar, administrativa ou judicialmente, uma moratória de todas as atividades turísticas às margens e dentro do rio Novo, na área definida como sendo o habitat do pato mergulhão, por um período de cinco anos. Após este período, devem ser realizadas novas pesquisas científicas que definam com precisão as atividades que podem ser desenvolvidas sem prejuízo da sobrevivência da espécie e de outras.

Espécie é ameaçada de extinção – O pato-mergulhão Mergus octosetaceus é uma espécie piscívora (alimenta-se de pequenos peixes, principalmente piabas) que ocorre em baixa densidade populacional e habita somente rios de águas límpidas, com corredeiras e envolvidos por matas ciliares. A espécie é monogâmica e uma das mais ameaçadas das Américas, sendo classificada como criticamente em perigo de extinção tanto na lista de espécies ameaçadas do Ibama quanto na lista vermelha da União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais – IUCN.

Estima-se que existam em todo o planeta menos de 250 indivíduos. É encontrada no Brasil em Minas Gerais, Goiás e Tocantins. No Paraguai e Argentina, avistamentos de indivíduos isolados se deram em 1984 e 2002 respectivamente. Acredita-se que a espécie esteja extinta no Paraguai e quase extinta na Argentina, como também está extinta em alguns estados brasileiros (Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro, São Paulo e Santa Catarina). Em levantamentos anteriores realizados na Bahia e no Paraná a espécie não foi mais detectada nestes estados.

Quanto à situação de extrema ameaça em que se encontra a espécie, poucas ações conservacionistas têm sido tomadas para protegê-la. Pouco se sabe da sua biologia e ecologia, o que torna urgente o desenvolvimento de ações que visem a sua proteção. (Fonte: Naturatins)

Informe do Ministério Público Federal no Tocantins (MPF/TO), publicado pelo EcoDebate, 06/05/2013


[ O conteúdo do EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, ao EcoDebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate
Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta clicar no LINK e preencher o formulário de inscrição. O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate
Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Alexa

Um comentário em “MPF/TO busca impedir práticas que ameacem sobrevivência do pato-mergulhão do Jalapão

  1. O Ecoturismo existe para conservar a natureza e não para destruir (conhecer para preservar). Com a contribuição do Ecoturismo hoje temos alguma consciência ambiental no país, adesão às campanhas avaaz, rede de sustentabilidade, movimento contra Belo Monte etc. Ou acham que colocando uma redoma de vidro vão resolver o problema? Proibir o turismo sustentável é atitude míope e infrutífera, é jogar cortina de fumaça para esconder as falhas das ‘otoridades’ responsáveis pelo pobre pato mergulhão! O que será que querem esconder no Jalapão?

Comentários encerrados.

Top