Portal EcoDebate: Índice da edição nº 1.653, de 09/08/2012

    Edição n° 40 da revista Cidadania & Meio Ambiente, Especial Pós Rio+20, está disponível para acesso/download Aquecimento global e geobiossistemas, artigo de Roberto Naime Não há economia sem sistema ecológico, artigo de Marcus Eduardo de Oliveira Reconstruindo a trilha da educação ambiental em parques e reservas na Amazônia, artigo de Kelly Souza [Áudio] Ambientalistas e ruralistas voltaram a se enfrentar em comissão que analisa a MP do Código florestal Comissão

Edição n° 40 da revista Cidadania & Meio Ambiente, Especial Pós Rio+20, está disponível para acesso e/ou download

  Prezadas(os) Leitoras(es) do EcoDebate e da revista Cidadania & Meio Ambiente Informamos que a edição n° 40 da revista Cidadania & Meio Ambiente, ISSN 2177-630X, com 8,88 Mb, já está disponível para acesso e/ou download na página do Portal EcoDebate. Capa da edição n° 40 Vejam, abaixo, o sumário da edição: 6 Documento inócuo, platitudes ou pequeno passo? Este artigo avalia alguns dos pontos positivos e fracos, e as principais lacunas dos 283 parágrafos do

Aquecimento global e geobiossistemas, artigo de Roberto Naime

    [EcoDebate] É absolutamente certo que a contribuição antrópica com as emissões atmosféricas poluentes industriais, as queimadas e a grande emissão atmosférica patrocinada por uma quantidade gigantesca e absolutamente descontrolada de automóveis de passeio contribuem de forma decisiva para o aquecimento global. Mas quanto é contribuição deste fator e quanto é responsabilidade dos fenômenos e ciclos geológicos históricos, é tema de grandes controvérsias. Devemos considerar que as previsões de aquecimento "catastrófico" e

Não há economia sem sistema ecológico, artigo de Marcus Eduardo de Oliveira

    [EcoDebate] À medida que o meio ambiente apresenta evidentes sinais de estar enfraquecido em face da agressão patrocinada pela expansão econômica sem freios, abre-se perspectiva de maior inserção dos preceitos que emolduram a chamada Economia Ecológica. Mas, afinal, o que pretende a Economia Ecológica? Economia Ecológica (EE) é uma compreensão de que o sistema econômico “gira” (funciona) em torno do mundo biofísico de onde saem matérias-primas e energia. Essencialmente, a

Reconstruindo a trilha da educação ambiental em parques e reservas na Amazônia, artigo de Kelly Souza

    Kelly Souza1. Mestranda em Educação. UFMT - GPEA. INTRODUÇÃO Você já esteve participando de alguma atividade que envolvesse a proteção de alguma espécie ameaçada de extinção? Quantas vezes você esteve visitando um parque? Caminhou numa trilha pela floresta? Essas atividades extraclasses são planejadas por professores de ciências, biologia e buscam conhecer como funciona o ecossistema, por exemplo, de um parque. Durante essas práticas de educação ambiental buscou-se interagir com os visitantes e

[Áudio] Ambientalistas e ruralistas voltaram a se enfrentar em comissão que analisa a MP do Código florestal

    Código florestal segue em disputa no Congresso Nacional - Ambientalistas e ruralistas voltaram a se enfrentar em comissão que analisa a matéria. Um dos destaques aprovados hoje foi alvo de protestos dos ambientalistas por ter retirado mecanismos de proteção dos rios não permanentes. Ruralistas afirmam que não há sentido em proteger uma área com essa característica. Apresentação de Denise Arruda, da Radioagência Nacional / ABr EcoDebate, 09/08/2012 [ O conteúdo do EcoDebate é

Comissão mista aprova alterações em MP do Código Florestal

  Dep. Sarney Filho (PV/MA) - Sarney Filho: ambientalistas não conseguem aprovar alterações no código. Foto de Leonardo Prado, da Agência Câmara   Votação de emendas à MP 571 prossegue nesta quinta-feira. A comissão mista que analisa a Medida Provisória 571/12, que altera o novo Código Florestal (Lei 12.651/12), aprovou nesta quarta-feira quatro alterações ao parecer do relator da MP, senador Luiz Henrique (PMDB-SC). Durante a reunião, representantes dos produtores rurais e dos ambientalistas

Primeira votação de destaques à MP do Código Florestal desagrada ambientalistas

  a   A primeira votação de destaques à Medida Provisória (MP) do Código Florestal deixou a bancada ambientalista insatisfeita. Isso porque a comissão mista que analisa as propostas de emendas ao texto enviado pelo governo aprovou a inclusão no projeto de destaque que acaba com as áreas de preservação permanente (APPs) em rios não perenes. Assim, os rios que nãos são permanentes, que secam durante determinado período do ano, não precisarão mais ter

Comissão mista que analisa MP do Código Florestal retira proteção de rios intermitentes

    Emenda poderá comprometer todas as bacias hidrográficas brasileiras; somente rios perenes serão resguardados por Área de Proteção Permanente, os demais podem virar pasto, roça e estrada A comissão especial do Congresso que analisa a medida provisória do Código Florestal aprovou nesta quarta-feira, 8, uma emenda que poderá comprometer para sempre todas as bacias hidrográficas brasileiras. Por 15 votos a 2, a comissão decidiu que só será resguardado por Área de Proteção

Com mudanças em MP do Código, governo deve endurecer sua posição nas negociações, dizem fontes

    Com a aprovação nesta quarta-feira de mudanças no texto da medida provisória do Código Florestal, o que pode reduzir as áreas de proteção ambiental, o governo deve endurecer sua posição nas negociações da MP, afirmaram fontes envolvidas na articulação. A comissão mista responsável pela análise da medida, editada pela presidente Dilma Rousseff para preencher lacunas do código, aprovou nesta quarta-feira uma emenda que elimina a exigência de áreas de proteção nas

Países em desenvolvimento querem pagamento de royalties por uso de saberes tradicionais

    Até sexta-feira (10), representantes de 40 países em desenvolvimento discutem, no Palácio do Itamaraty, a proteção intelectual e a remuneração pelo uso comercial de conhecimentos ancestrais, recursos genéticos da biodiversidade local, folclore e direitos autorais. A iniciativa é do Ministério das Relações Exteriores (MRE), do Instituto Nacional da Propriedade Industrial (Inpi) e da Organização Mundial da Propriedade Industrial (Ompi), que já discute em três comitês internos a chamada Agenda do Desenvolvimento,

Nova legislação dará base científica à prevenção de desastres naturais, dizem especialistas

  Lei sancionada em abril obrigará municípios a elaborar carta geotécnica, instrumento multidisciplinar que orientará implantação de sistemas de alerta e planos diretores (Foto: Valter Campanato/ABr)   Em janeiro de 2011, enchentes e deslizamentos deixaram cerca de mil mortos e 500 desaparecidos na Região Serrana do Rio de Janeiro. A tragédia evidenciou a precariedade dos sistemas de alerta no Brasil e foi considerada por especialistas como a prova definitiva de que era preciso

Top