Quando jegues perdem para motocicletas… artigo de Washington Novaes

  [O Estado de S.Paulo] Durante esta semana, com a realização do Fórum Mundial da Água em Marselha, na França, a comunicação está bombardeando os leitores/espectadores com uma pletora de informações a esse respeito - que tranquilizam, por alguns ângulos, e inquietam, por outros. Uma pesquisa da Universidade de Twente, na Holanda, por exemplo, diz que o mundo consome 9 trilhões de metros cúbicos de água por ano - 20% dos quais

Economia verde? Indefinição pode comprometer debate na Rio+20

  Segundo o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma), economia verde é aquela que resulta em melhoria do bem-estar humano e busca promover a equidade social, ao mesmo tempo em que reduz significativamente os riscos ambientais e a escassez ecológica. É uma economia de baixo carbono  (utiliza fontes renováveis de energia, ao invés de combustíveis fósseis); com eficiente no uso de recursos naturais  (produz bens e serviços usando

O governo e a concepção ‘fordista’ de visão de mundo

  A questão indígena e a votação do Código Florestal são apenas dois exemplos dos retrocessos na área socioambiental no governo Dilma. Vários outros estão em curso como destaca a Carta das organizações ambientalistas. A falta de apetência do governo para com a agenda ambiental e indígena é mais do que simples descaso e falta de vontade política. É fruto de uma concepção de pensar a sociedade. É resultante de determinado

O governo e a agenda ambiental como moeda de troca

  O governo, entretanto, tem pressa na votação final do Código Florestal, não quer arrastar a polêmica até às portas da Rio+20, aí os estragos na imagem do governo seriam ainda maiores. A possibilidade, porém, de uma imediata votação pode levar o governo a uma fragorosa derrota caso queira insistir na manutenção do texto aprovado pelo Senado em dezembro de 2011. Nessa altura dos acontecimentos a votação final do novo Código Florestal

Os dois Fóruns da Água concordam que só falar sobre a crise da água não basta, mas divergem nas soluções

  Os participantes do Fórum Mundial da Água "oficial", que acontece em um grande Parque de Exposições, e do alternativo, que reúne ecologistas, concordam que "apenas discutir sobre a crise da água não basta", mas diferem nas soluções. Matéria de Ana María Echeverría , AFP. O VI Fórum Mundial da Água, organizado pelo Conselho Mundial da Água, criado pelas duas maiores transnacionais da água, e que contou com a participação de ministros

Declaración ‘El agua no es una mercancía, es el bien común de la Humanidad y de los Seres Vivos’

  Por Jornadas Ciudadanas “Agua, Planeta y Pueblos” Reunidos en Marsella los días 9 y 10 de marzo de 2012 en el marco del Foro Alternativo Mundial del Agua, con motivo de las Jornadas Ciudadanas “Agua, Planeta y Pueblos”, hemos mancomunado nuestros conocimientos y experiencias, nuestras inquietudes y esperanzas, nuestras propuestas y luchas, para hacer del agua, bien común vital y no mercantil, un desafío prioritario para todos. AGUA, PLANETA Y PUEBLOS -

Top