Antropoceno: uma nova época geológica definida pela ação do homem

O economista e sociólogo Ignacy Sachs será um dos expositores do seminário
O economista e sociólogo Ignacy Sachs será um dos expositores do seminário “A Rio+20 e a Entrada no Antropoceno”

Os estudos de inúmeros cientistas indicam que as mudanças climáticas, a acidificação dos oceanos, a erosão dos solos e as ameças à biodiversidade são reflexos das ações da humanidade. Seria possível então classificar o atual momento do planeta como uma nova época geológica moldada pelo ser humano? Essa decisão será tomada pela Comissão de Estratigrafia da Sociedade Geológica de Londres em conferência no próximo ano, na Austrália.

A comissão inglesa definirá se a Terra continua no Holoceno (atual época geológica), iniciado com o fim da última glaciação, há cerca de 10 mil anos, ou se as mudanças ocorridas são suficientes para demarcar a influência humana, iniciando-se uma nova época, o Antropoceno, decisão já adotada pela Sociedade Geológica Norte-Americana.

Os principais argumentos para a aceitação do ingresso no Antropoceno proposto pelos cientistas e as perspectivas para a Conferência Rio+20, que acontecerá em 2012, serão debatidos no seminário “A Rio+20 e a Entrada no Antropoceno”, no dia 12 de setembro, às 11h30, na Sala de Eventos do IEA.

Em relação à Rio+20, o seminário discutirá o papel que a conferência desempenhará perante a pressão social por escolhas ecologicamente viáveis, na formulação de propostas e na capacidade que seus representantes devem ter para modificar um quadro cujas consequências já se fazem sentir na intensificação dos eventos extremos.

Os expositores do seminário serão: o economista e sociólogo Ignacy Sachs, professor emérito da Escola de Altos Estudos em Ciências Sociais, da França; o ambientalista Fabio Feldman, consultor, ex-presidente do Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas; o economista Ricardo Abramovay, professor titular do Departamento de Economia da FEA e do IRI-USP; e o geógrafo Wagner Costa Ribeiro, professor titular da FFLCH-USP e coordenador do Grupo de Pesquisa de Ciências Ambientais do IEA. A coordenação do evento caberá a Abramovay.

A denominação Antropoceno foi popularizada pelo geoquímico holandês Paul Crutzen, Prêmio Nobel de Química em 2002, para determinar as mudanças no planeta ocasionadas pelo homem a partir do início da Revolução Industrial.

O seminário é uma realização do Grupo de Pesquisa em Ciências Ambientais do IEA e do Núcleo de Economia Socioambiental (Nesa) da FEAUSP.

Local: Sala de Eventos do IEA, Rua Praça do Relógio, 109, Bloco K, 5º andar, Cidade Universitária, São Paulo.
Transmissão: ao vivo pela internet em www.iea.usp.br/aovivo.
Informações: com Inês Iwashita (ineshita@usp.br), telefone (11) 3091-1685.

Colaboração de Inês Iwashita, para o EcoDebate, 17/08/2011

[ O conteúdo do EcoDebate é “Copyleft”, podendo ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, ao Ecodebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate
Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta clicar no LINK e preencher o formulário de inscrição. O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Alexa

Top