Deslizamentos de terra são a maior causa de mortes por desastres naturais

A afirmação foi feita pelo secretário de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento do MCT, Carlos Nobre, no seminário Clima para Você, no Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), em Brasília.

Embora as inundações ocorram com mais frequência, os deslizamentos são a principal causa das mortes, correspondendo a 60%. “De 2008 a 2011, cerca de 2.500 pessoas morreram devido a deslizamentos de terra. As inundações estão em segundo lugar como responsáveis pelas mortes e as descargas elétricas em terceiro”, disse Nobre.

O seminário foi em comemoração ao Dia Meteorológico Mundial e reuniu representantes de atividades relacionadas à meteorologia, aquecimento global e mudanças climáticas. O evento provocou uma reflexão da relação homem, natureza e clima.

Nobre, que também é presidente da Comissão de Coordenação das Atividades de Meteorologia, Climatologia e Hidrologia (CMCH), mostrou os riscos do efeito estufa e das mudanças climáticas. Ele explicou que alguns “limites climáticos perigosos”, se ultrapassados, causam colapso de subsistemas, como morte de corais, perda de gelo, extinção de espécies e esgotamento da floresta amazônica.

De acordo com o especialista, o aumento das ondas de calor é um problema para as próximas gerações, que ainda podem sofrer com inundações, ventos, epidemias relacionadas à água, deslizamento de terra, seca, ressaca costeira e transtornos na agricultura.

Nobre explicou como funcionará o Centro de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais, previsto para funcionar até o final deste ano em Cachoeira Paulista (SP). O desafio, segundo ele, é converter alertas meteorológicos em alerta de desastres. “Nosso objetivo é ser um País que tenha a maioria das vidas salvas dos eventos e desastres naturais”.

A ideia é reunir, no centro, meteorologistas, hidrólogos, geólogos e especialistas em defesa civil. “O Centro será multi-institucional e abrigará o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe)], Inmet, Ministério das Cidades, IBGE, a Defesa Civil, Agência Nacional de Águas (ANA), Embrapa e Aeronáutica”, explicou.

Hoje, as ações do governo federal estão focadas no levantamento das áreas de risco, integração das informações meteorológicas e cruzamento de informações para estabelecer parâmetros de chuva intensa, água do solo e riscos de deslizamentos geológicos.

Fonte: Ascom do MCT

EcoDebate, 25/03/2011

[ O conteúdo do EcoDebate é “Copyleft”, podendo ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, ao Ecodebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate
Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta clicar no LINK e preencher o formulário de inscrição. O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Alexa

2 comentários em “Deslizamentos de terra são a maior causa de mortes por desastres naturais

  1. Só para lembrar, deslizamentos de terra não são desastres naturais quando em áreas urbanizadas, agrícolas ou movimentação de terra (obras, etc.); os desastres na região da Serra do Mar são, em quase todos os casos, devido à ocupação urbana desordenada, não respeitando o Código Florestal e outras normas de proteção ambiental. Excesso de chuva agrava, mas não é a causa.

  2. Caro Peter
    Os deslizamentos como os que ocorreram em Terezópolis são desastres naturais o problema básico é que a Serra do Mar é uma região instável. Só para exemplificar o pior deslizamento ocorrido foi em 1961 na serra das Araras em que mais de 1500 pessoas morreram, naquele caso choveu o dobro que choveu neste ano na metade do tempo.
    Agora se falares principalmente o que ocorre nas grandes cidades aí sim a mão do homem é extremamente importante.

Comentários encerrados.

Top